Espiritismo e futurologia

Bernardino da Silva Moreira

Podemos considerar Leonardo da Vinci (1452-1519) e Júlio Verne (1828-1905), como precursores da futurologia. O genial Leonardo, um dos maiores gênios da humanidade, desenhou um esboço de um helicóptero e como complemento um pára-quedas. Questão de prudência. Claro! O primeiro protótipo moderno só foi montado pelo engenheiro francês Paul Cornu (1881-1944). O escritor Júlio Verne além de precursor da futurologia, foi o criador da ficção científica. Nas obras Le Voyage au centre de la Terre (1864; Viagem ao centro da Terra), De la Terre à la Lune (1865; Da Terra à Lua), Vingt mille lieues sous les mers (1870; Vinte mil léguas submarinas) e L’Île mystérieuse (1874; A ilha misteriosa), pressagiou muitos avanços científicos posteriores, tais como, submarino, televisão e viagens espaciais.

Em 1967, o ex-repórter da revista americana National Geographic, Edward Cornish, fundou a Sociedade do Futuro Mundial, com sede nos Estados Unidos, que em 1997 contava com 30.000 integrantes em oitenta países.

Em 1972, os computadores apesar de serem máquinas fantásticas eram também muito difíceis de serem manejadas. Para escrever ou calcular, o usuário tinha que digitar comandos cabalísticos, daí a dificuldade de popularizar o computador. Pensando nisso, a Xerox, reuniu alguns pesquisadores em um hotel paradisíaco da Califórnia. O trabalho desses futurólogos seria pensar e imaginar o futuro da informática e o resultado foi muito promissor, pois, eles criaram a linguagem das janelas que podiam ser abertas ou movimentadas com um mouse. Com esse pontapé inicial, Bill Gates da Microsolf e Steve Jobs da Apple, popularizaram o computador.

Na questão 868 de “O Livro dos Espíritos”, o tema futurologia é encarado com lógica e bom-senso:

“Pode o futuro ser revelado ao homem?

Em princípio, o futuro lhe é oculto e só em casos raros e excepcionais permite Deus que seja revelado.”

Aquele que insistir por não encontrar uma resposta e através de um médium indagar a um Espírito, também pode ser surpreendido:

“Podem os Espíritos dar-nos a conhecer o futuro?

Se o homem conhecesse o futuro, descuidar-se-ia do presente.

É esse ainda um ponto sobre o qual insistis sempre, no desejo de obter uma resposta precisa. Grande erro há nisso, porquanto a manifestação dos Espíritos não é um meio de adivinhação. Se fizerdes questão absoluta de uma resposta, recebê-la-eis de um Espírito doidivanas, temo-lo dito a todo momento.”

Das muitas previsões dos futurólogos foram poucas que acertaram, afinal, o homem terráqueo é imperfeito, daí os erros da maioria dos futurólogos e adivinhadores.

Em 1928, a conceituada revista Nature opinou que as viagens espaciais eram um delírio. Errou! O prêmio Nobel de Química de 1908, o físico Ernest Rutheford afirmava categoricamente que a energia do átomo jamais teria utilidade. Errou!

Os futurólogos japoneses da Agência de Ciência e Desenvolvimento do Japão, em 1988, resolveram arriscar e anunciar que “A Aids será curada em 1997”, bem...

Por incrível que pareça, o inventor da lâmpada elétrica, o genial americano Thomas Edison (1847-1931), não previu um grande futuro para seu motor a explosão. Essa não foi uma idéia genial! Seu patrício Hermann Kahn (1922-1983), que foi o responsável pela divulgação da futurologia, também resolveu arriscar e previa que, em 1990, a humanidade já seria capaz de controlar os elementos da Natureza, tais como, o calor e as chuvas. Sem comentários!

Bem sabemos que a percepção da realidade vai além dos cinco sentidos, como exemplo vale citar os portadores de uma faculdade especial ou sexto sentido, isto é, os paranormais e os médiuns. Kardec cônscio disso, procura o esclarecimento dos Espíritos superiores:

“Não há homens dotados de uma faculdade especial, que os faz entrever o futuro?

“Há, sim, aqueles cuja alma se desprende da matéria. Então, é o Espírito que vê. E, quando é conveniente, Deus lhes permite revelarem certas coisas, para o bem. Todavia, mesmo entre esses, são em maior número os impostores e os charlatães. Nos tempos vindouros, essa faculdade se tornará mais comum.”

E complementa a questão:

“Não é certo, entretanto, que, às vezes, alguns acontecimentos futuros são anunciados espontaneamente e com verdade pelos Espíritos?

“Pode dar-se que o Espírito preveja coisas que julgue conveniente revelar, ou que ele tem por missão tornar conhecidas; porém, nesse terreno, ainda são mais de temer os Espíritos enganadores, que se divertem em fazer previsões. Só o conjunto das circunstâncias permite se verifique o grau de confiança que elas merecem.”

Repetimos que os homens e os Espíritos ainda imperfeitos, são muitas vezes iludidos pelo orgulho, o egoísmo, e principalmente a ignorância, manifestada em muitos homens ou Espíritos pseudo-sábios. Por isso Kardec adverte:

“Muitos, aos demais, só vêem no Espiritismo um novo meio de adivinhação e imaginam que os Espíritos existem para predizer a sorte de cada um. Ora, os Espíritos levianos e zombeteiros não perdem ocasião de se divertirem à custa dos que pensam desse modo. É assim que anunciarão maridos às moças; ao ambicioso, honras, heranças, tesouros ocultos, etc. Daí, muitas vezes, desagradáveis decepções, das quais, entretanto, o homem sério e prudente sempre sabe preservar-se.

Seriedade, bom-senso, lógica, prudência, eis aí o melhor antídoto contra o erro!

Bibliografia:

Bernardino da Silva Moreira