Jorge Rizzini, um baluarte do Espiritismo

Domério de Oliveira

Há determinadas correntes dentro do Espiritismo, com as quais não concordo, que não admitem louvações aos Grandes Vultos da nossa Doutrina. Alegam que os nossos aplausos podem proporcionar ao Espírito de quem os recebe uma ponta de orgulho e de vaidade. Penso, justamente, ao contrário, que os nossos aplausos, para os Confrades que bem os merecem, funcionam como elemento catalítico positivo, despertando-lhes maiores energias para que possam produzir mais e melhor. Sim, meus amigos, gosto de aplaudir quem merece os meus aplausos. Sabemos que o aplauso justo e sincero é como aquele adubo que faz com que a planta fortaleça as raízes e se desenvolva com mais vigor. À guisa de exórdio quero justificar, nesta nossa modesta crônica, os meus aplausos justos e merecidos ao Valoroso Trabalhador do Espiritismo, nosso irmão Jorge Rizzini.

Meus amigos, empolgo-me quando tenho o prazer de ler as produções literárias que já conquistaram prêmios, do nosso Eminente Rizzini. Posso afirmar, sem vislumbre de dúvida, que Jorge Rizzini é nome de grande respeito e de grande projeção no cenário da literatura e do Espiritismo. Escritor e Psicógrafo, vem comprovando suas notáveis faculdades através das suas obras. Da Rizzini, assim se expressou nosso Emérito Professor Herculano Pires:

"Acompanhamos passo a passo a eclosão da mediunidade psicográfica de Jorge Rizzini. O que Ele nos oferece pela psicografia revela conteúdos inegavelmente autênticos em referência aos Poetas comunicantes".

Nosso Chico Xavier teceu loas à Mediunidade de Rizzini:

"Reafirmo, nesse ponto, a certeza de que, nas atividades constantes da Mediunidade, será Ele. (Rizzini), um Mensageiro cada vez mais seguro e mais habilitado na transmissão dos textos de nossos Benfeitores da Espiritualidade Superior".

Meus amigos, a bibliografia de Rizzini é vastíssima e polimorfa. Nos limites desta crônica, não nos seria possível alinharmos as nomenclaturas elogiosas aos seus inúmeros trabalhos a lume, para o enriquecimento dos nossos Espíritos, os seguintes livros:

a) Antologia do mais Além;

b) Kardec, Irmãs Fox;

c) Materializações de Uberaba;

d) Guerra Junqueiro, no Aquém e no Além;

e) Escritores e Fantasmas;

f) Eurípides Barsanulfo, o Apóstolo da Caridade;

g) Castro Alves fala à Terra;

h) A vida de Monteiro Lobato;

i) O Regresso de Glória;

Esses os livros que conseguimos alinhar, talvez Rizzini, trabalhador incansável, já tenha escrito outros que ainda não chegaram às nossas mãos. Os livros supra alinhados, com expressivas dedicatórias a este modesto escriba, já passaram pelos crivos dos meus olhos. Gostei de todos. Todos os livros de Jorge Rizzini revelam sua profunda cultura e seu elevado conhecimento da nossa Doutrina. Entretanto, meus amigos, há um livro de Rizzini que revela a sua coragem e seu espírito combativo, em defesa do Espiritismo, reportamo-nos ao seu livro: "Materializações de Uberaba". Neste livro, Rizzini revela-se um autêntico lutador. Mostrou e provou aos jornalistas da antiga Revista "O Cruzeiro" a autenticidade do fenômeno de materialização lá de Uberaba. Provou que a Médium Otilia Diogo era uma criatura simples honesta e bem intencionada, submetendo-se a todos os exames, inclusive exames médicos, para deixar bem comprovada a sua autêntica mediunidade de efeitos físicos. Provou, também, que o Espírito de Irmã Josefa era uma Entidade do outro Plano que se materializava, para dar prova cabal da imortalidade.

O Eminente Jornalista Deolino Amorim, ao tomar conhecimento do livro - "Materializações de Uberaba", da lavra de Rizzini, assim, se expressou:

"Felizmente, em boa hora, Jorge Rizzini reuniu todo o material e formou, assim, um livro necessário e sugestivo, mostrando a verdade sobre as materializações de Uberaba. Poucos, na realidade, teriam a coragem e o espírito de renúncia que teve Jorge Rizzini para enfrentar, na televisão, todos os desafios que Ele enfrentou em defesa, não apenas do caso em si, mas em defesa do Espiritismo".

Avalizamos e ratificamos, "ipsis verbis", todas as assertivas do nosso saudoso Deolindo Amorim.

Também, sobre aludido livro, manifestou-se nosso Imenso Francisco C. Xavier, dizendo simplesmente:

"UM LIVRO ESCRITO COM SUOR E SANGUE".

Meus amigos, a campanha maquiavelicamente "armada" pelos jornalistas da antiga Revista "O Cruzeiro", ao invés de fazer adernar a nave do Espiritismo, pelo contrário, a impulsionou para frente, arregimentando novos navegantes. A campanha ajudou a divulgar o Espiritismo e levou muitos Intelectuais a estudar os fenômenos mediúnicos. Nossa Doutrina, neste episódio de Uberaba, saiu ainda mais fortalecida e os louros desta vitória nós os atribuímos a Jorge Rizzini, um Baluarte do Espiritismo.

Valem para nossa peroração, as próprias palavras de Jorge Rizzini:

"Os Médiuns vêm para dar provas de que o mundo espiritual é uma realidade! Nós temos um objetivo, nós temos uma missão a cumprir: nós somos eternos! E podemos, com a graça de Deus, dar provas, depois de mortos, que a vida continua, além de sepultura!"

(Publicado no Correio Fraterno do ABC Nº 366 de Julho de 2001)