O Nome de Chico Xavier

Francisco Klors Werneck

Nem todos conhecem o verdadeiro nome civil do nosso querido Chico. Afinal, de onde vem o "Xavier", se os pais se chamavam João Cândido e Maria João de Deus?

Sabe-se hoje que as primeiras produções do médium de Pedro Leopoldo poemas publicados, de 1929 a 1931, no "Jornal das Moças", do Rio de Janeiro, no "Almanaque de Lembranças", de Portugal, no Suplemento Literário de "O Jornal", e também na revista "Reformador" eram assinadas por F. Xavier. Depois disso, passaram a conter o nome do autor espiritual e a informação de terem sido recebidas pelo médium Francisco Cândido Xavier, com a indicação do dia e local.

A luz definitiva sobre a questão quem a dá é o escritor Francisco Klors Werneck em carta dirigida ao amigo R. A. Ranieri, biógrafo do Chico, reproduzida em seu livro "Recordações de Chico Xavier" (Edifráter, Guaratinguetá SP, 3° edição, 1991), página 46, de onde a reproduzimos para saciar a curiosidade do leitor. Ei-la:

"Rio de Janeiro, 22 de março de 1972.

Caro Amigo e Confrade Ranieri:

Eu bem sei que você é ocupadíssimo e não tem mesmo tempo de responder-me, mas hoje me lembrei de que certa vez lhe disse que Francisco Cândido Xavier não era o verdadeiro nome do nosso Chico e você chegou a dar um pulinho que até chegou a assustar o Mandarino. Nós, em latim, costumamos dizer que Dire et non probare non est vero, que, se não errei no latim, quer dizer: Dizer e não provar não é verdade.

Tenho em mãos o Número Especial Comemorativo do Cinqüentenário da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, de dezembro de 1971. Lá, na página 98, está um trecho que vou transcrever para V. Exa. (lá vai o tratamento português). Trata-se da revista "A Reencarnação", de Porto Alegre. Ei-lo:

"No número de agosto de 1957, desta revista, publicávamos, nesta secção, um trabalho da autoria do grande esperantista Prof. Ismael Gomes Braga, que voltamos a reproduzir em parte por nos parecer de absoluta oportunidade, quando, há bem pouco, o Movimento Espírita Brasileiro (1968) assinalava os quarenta anos de atividade mediúnica de Francisco Cândido Xavier, o psicógrafo excepcional: Francisco Cândido Xavier é o pseudônimo literário e não o nome civil do notável médium brasileiro. Dentro e fora do Brasil, não há espírita que não conheça e admire o extraordinário médium de Pedro Leopoldo, Francisco Cândido Xavier, pelo menos através de sua excepcional obra bibliográfica, mas bem poucos, até há alguns meses, não ignoravam que o nome civil do humilde psicógrafo é FRANCISCO DE PAULA CÂNDIDO".

Agora, meu velho, se lhe interesse, acho que não precisa ser divulgado - é pedir confirmação dele mesmo.

Continue a dispor do velho amigo e confrade

(Aliança Espírita – Julho de 2000)