Obrigado, Chico

José Francisco Costa Rebouças

Hoje, quando abri mais uma das inúmeras páginas dos inúmeros livros com as incontáveis advertências e os profundos ensinamentos, contido em tantas das obras psicografadas pelo maior e mais completo exemplo de exercício saudável e equilibrado da mediunidade em prol do bem, lembro-me mais uma vez deste amigo que não será jamais esquecido por todos aqueles que através dele puderam alargar seus conhecimentos sobre o mundo espiritual, como eu que muito me beneficiei e beneficiarei por certo até o fim dos meus dias.

Só, então, pude me dar conta, de que já se foram 2 anos desde o dia em que o nosso saudoso Francisco Cândido Xavier voltou para a pátria espiritual, deixando, para nós outros, uma fortuna que não sabemos até hoje avaliar a sua verdadeira importância para o nosso enriquecimento moral, espiritual. Mas sei que, ler e estudar suas obras no meu dia a dia é tão constante, que ao me utilizar, da sua ARTE DE PSICOGRAFAR, representada em cada livro seu, tenho a impressão de que você amigo Chico ainda está entre nós, não só pelas várias obras mediúnicas de sua autoria que tenho a honra de possuir, mais e principalmente por seu conteúdo tão rico, esclarecedor e confortante, que ainda não tinha me dedicado a refletir sobre sua partida.

Lembro-me daquele dia, em que todo o Brasil, e é claro que me incluo também, estávamos eufóricos pela espetacular vitória brasileira na copa do mundo, e longe estávamos de imaginar que você havia preparado sua volta em dia de alegria do povo, principalmente o sofredor, para amenizar a grande falta que você deixou no coração de todos nós, que na nossa mesquinha visão não queríamos que você se fosse, mesmo já tendo cumprido com sua missão e deixado todo esse roteiro de ensinamentos para que também nós possamos regressar um pouco melhor do que regressaríamos sem os conhecimentos que você nos legou, é que você representava o alimento para os famintos do espírito, o bálsamo para os corações despedaçados pela perda de entes queridos, o conselho justo para os desviados da senda reta da vida, a esperança para tantos desesperançados, a palavra amiga para os ouvidos sedentos de orientação, a companhia mais agradável para os solitários da estrada, a capacidade de compreensão para com os incompreendidos, o perdão para aqueles previamente julgados e condenados por toda a sociedade, em fim, era por estes e outros tantos motivos amigo Chico, que não queríamos que você partisse.

Confesso que cheguei a me sentir órfão, e sei que muita gente assim se sentiu também, mas hoje, passados esses dois anos, só temos é que te agradecer por nos ter dado tanto, e aproveitar o ensejo, para de te pedir desculpas por não termos te ofertado também por nossa vez a devida contrapartida que fizestes por merecer, mas me alegro por saber que você desfrutou ao despertar da viagem, no mundo espiritual, da alegria de ser recebido como um filho querido que laborou com esmero todas as missões que a ti foram confiadas e me alegro por isso, sei que Jesus continua a te guiar os passos, e que por tua vez com certeza estás trabalhando como sempre o fizestes, por nosso planeta e por toda a humanidade.

Hoje percebo Chico, que não tinha o direito de pedir a Deus que você não se fosse nunca, pois a vida é uma eterna escola de aprendizado, e que você por sua vez muito tem também que aprender e ensinar, a nós mesmos e a outros tantos irmãos que ainda não tiveram a bênção de conhecer teu trabalho, por isso quero te desejar toda felicidade possível a alguém que tanta felicidade distribuiu, que sejas sempre um completista em todas as tarefas que o Mestre de Nazaré por certo te há de confiar, pois já deste prova suficiente de quanto és dedicado, perseverante, capaz, e mais que tudo DISCIPLINADO.

Seguirei, por toda essa existência, a pesquisar em tuas obras as lições que me esclarecerão nas possíveis dificuldades que a vida me apresentar, na certeza de que encontrarei sempre a necessária orientação e o justo ensinamento de como proceder da melhor maneira em cada uma das situações do meu cotidiano.

Teu exemplo por certo muito me será útil, e tantos quantos tiverem a oportunidade de te conhecer, hão de seguir teu exemplo no exercício da máxima, “fora da caridade não há salvação”, como nos apregoou o codificador do espiritismo, e que teve em você um testemunho vivo de procedimento e dedicação em favor do próximo.

Esteja em paz, amigo Chico na companhia de Jesus e de seus inumeráveis discípulos, dos quais você faz parte integrante, saiba que nós te amamos e ficamos confiantes de que estarás sempre por perto, pois Jesus já nos anunciou bem antes que “meu Pai trabalha até hoje e eu também” e, por conseguinte, com você não seria diferente.

Resta-me apenas ouvir a voz que vem do imo deste meu coração saudoso, mas alegre, confiante, e otimista em relação ao porvir, a ti dizer profundamente agradecido, em meu nome e em nome de toda a humanidade, mesmo daqueles que ainda não compreenderam a exuberância da tua mensagem e missão divinas: “MUITO OBRIGADO CHICO, POR TUDO”.