Um grande Irmão

Humberto Pazian

“Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar tudo o que vos tenho dito” - Jesus.

E assim tem acontecido. Desde a partida do mestre amado, muitos têm sido enviados em seu nome para junto de nós, trazendo em suas bagagens, mensagens de amor e de esperança, exemplos de fé e coragem, sinalizando com o farol de suas vidas, o caminho á ser trilhado para que atinjamos as regiões celestiais.

Após a revelação da meiga mensagem da Boa Nova, muitos vieram complementá-la, mas foi com Allan Kardec, na França em meados do século XIX, através da manifestação de inúmeros espíritos, em diversas partes do mundo, que foi iniciada uma nova fase na história da humanidade; o surgimento da doutrina dos espíritos; O Espiritismo.

Após o grande e laborioso trabalho de Kardec, o espiritismo desenvolveu-se e espalhou-se por todo o mundo, iniciando um modesto, embora determinado, movimento em nosso país, escolhido este que fora, para ser no coração do mundo, a pátria do Evangelho.

Grandes idealizadores e determinados soldados do Cristo, que eram os primeiros simpatizantes da nova doutrina, a duras penas, foram desenvolvendo e ampliando o movimento em todo o Brasil.

As idéias espíritas foram contestadas pelos “doutores” da época, os fenômenos de comunicação e manifestação dos espíritos eram um fato já presenciado por muitos, mas por receio e ignorância, eram refutadas.

A doutrina consoladora de Jesus, ampliada no seu entendimento pelos homens através do espiritismo, necessitava ser ampliada e ganhar espaço na mente e nos corações humanos, e para isso, o testemunho de um nobre e humilde discípulo do mestre deveria ser utilizado. Encarnou, então no mundo, um grande espírito, com a sublime tarefa de exemplificar o Evangelho do mestre, à luz do novo conhecimento que o espiritismo ofertava aos homens... ...2 de abril de 1910, nasceu, em uma pequena cidade, no interior de Minas Gerais, Francisco Cândido Xavier, filho de João Cândido Xavier, e de Maria João de Deus

* * *

Este é o começo de um grande épico, uma história que jamais o mundo vai esquecer. Seu roteiro está na mente de milhares de pessoas que cruzaram seu caminho em quase um século de fértil de ativa existência mediúnica.

Nele, encontramos referências á Caridade, ao Amor, á Benevolência, á Mansuetude, á Retidão... ao Mestre Jesus e ao Pai.

Centenas de livros iluminando mentes, milhares de almas consoladas pela voz serena e meiga, milhões de corações que sentiram seu amor...

Assim como o Francisco de Assis, o de Uberaba, deixou-nos o exemplo de que é possível vivermos de acordo com o Evangelho do Mestre, e acima de tudo: sermos felizes.

Muito, a partir de agora, será contado e narrado sobre a vida deste grande espírito. Ouçamos, ponderemos, reflitamos, mas acima de tudo: tentemos imita-lo!

05-07-2002