Papo Interessante

Jorge Barreto

Analisar "Vida Após a Vida" é o mesmo que visualizar uma porta entreaberta para o desconhecido. De um lado estamos nós, e todo este mundo que conhecemos, do outro uma total escuridão, um vazio ou um mundo o qual não conseguimos "enxergar", no entanto existem frestas e reflexos deste outro lado os quais fazem parte no nosso cotidiano e que nunca levamos em consideração: através de sonhos, contos, acontecimentos extraordinários como visões ou idéias que vem em nossas mentes e não sabemos de onde. Quem nunca, ao estar dormindo, sentiu a sensação de estar caindo ou perdido no espaço.

Muita das respostas às nossas dúvidas ou curiosidades vem através do nosso esforço em procurar informações, rechear o nosso banco de dados e aos poucos abrir a porta para o lado do desconhecido.

Desta forma começamos, consciente, a entender que não só habitamos mais também fazemos parte deste imenso universo.

Nasci em um estado brasileiro onde recebeu o título de místico por sua historia de miscigenação de culturas religiosas fortes. De um lado a valorização dos costumes e a obediência a diretrizes (dogmas) de uma grande congregação que valorizava Deus como um ser supremo e que a ele deveríamos toda a nossa obediência, e por outro o culto ao supremo universo do desconhecido, e tendo que associar sua crença com a religião dos poderosos por serem maioria dominante.

Durante toda a minha vida, convivi com pessoas comentando e contando historias de que a vida continua a partir desta nossa estadia terrena. Culturalmente fui católico e convivendo com todo este lado considerado místico.

Vemos o ser humano constantemente pensando no amanha: Emprego, Dinheiro, Casa própria, Carro, Som, Celular, Férias e daí em diante. Sem parar para analisar está totalmente preso neste amanha, sempre querendo algo mais.

Se analisarmos bem, para todo amanha existe um "Depois de Amanha", para todo futuro existe um "depois" e o que será ou onde estará este depois.

Observamos que: nascemos, crescemos, envelhecemos e moremos, durante este período aprendemos, construímos e ensinamos o que aprendemos, "será que para por ai?" "Será que Deus com sua infinita sabedoria criaria seres capazes de aprender, manipular o que foi aprendido e ensinar (raciocinar) para viverem somente uma determinada época e depois "PUF" acabou. Muito improvável!

Devemos procurar analisar se este "Depois de Amanha", ou digamos: este "Além Vida" se é provável ou não, pois caso sim (que é muito lógico), existe algo que devemos realmente nos preocupar em saber, e re-analisar toda a nossa existência, não só este amanha para o qual nos preparamos tanto, nossos almejos e nossos desejos provenientes dos conhecimentos os quais temos e consideramos o tudo.

É muito estranho e desagradável quando falamos "Além vida" dando uma impressão de vida após a vida ou "morte".

Morrer no verdadeiro sentido da palavra significa (fim de vida, fim do estado vivo).

Sonhos interessantes, contos, acontecimentos inexplicáveis estão o tempo inteiro a nossa volta, por que? Nunca paramos realmente para dar importância, e a vida continua, até que na verdade e se a verdadeira vida não é só essa que direcionamos todas as nossas atenções, o certo seria nos preparar e nos programar para o Depois de Amanha.

Tive um sonho onde estava procurando emprego em uma empresa que já havia trabalhado, como sempre não encontrava quase ninguém conhecido, aguardei até o final do expediente quando fui atendido, ao sair da empresa os funcionários estavam de saída, daí encontrei alguns conhecidos e saímos pela calcada conversando. Num grande susto, aparecem do nada dois rapazes exaltados, um deles como estivesse sendo assaltado e aproveitando a oportunidade para fugir. O outro em um estalar de tempo dispara a arma. Automaticamente me vejo em um prédio alto e todo fechado, dentro uma grade cercando o seu interior de baixo a cima, algo me dizia, passe para dentro desta grade e suba até o topo, passei para dentro da grade e me deu vontade de descer, olhando para baixo vi um grande buraco parecendo uma fossa, então resolvi subir. Chegando ao topo do prédio já do lado de fora, avistei uma rua onde havia pessoas caminhando pela calcada, daí algo me faz acreditar ter morrido e não sei se vejo ou se sinto um sinal em minha fonte como se fosse a marca que aquela bala tinha deixado em mim, novamente algo me diz, aquela mulher ali é a sua mãe e depois de sua morte ela ficou muito doente e já está perto de morrer, é onde vejo uma senhora de cadeira de rodas, aquela voz volta a falar comigo e diz: aquele rapaz é que atirou em você, neste momento já estou na calcada e vejo um rapaz dentro de uma loja, meu impulso automático foi ir a direção daquele rapaz e atingi-lo de alguma forma, joguei minha mão em direção ao seu rosto, tentando arranhá-lo, no entanto minha mão transpassou seu rosto como se fosse uma sombra, consciente que estava morto, me concentrei de toda forma para que de alguma maneira o atingisse, neste momento acordei lembrando de todo o sonho e tentando analisar o porque do mesmo. Normalmente após um sonho, fica a impressão forte que ele causa, durante o dia agente pensa: seria um aviso? Um acontecimento passado. Até me senti sendo testado através de um sonho.

Todos nós a partir de um determinado tempo temos necessidade de nos desligar de todo este turbilhão de rotinas relacionados ao nosso corpo material, a maturidade e o desenvolvimento de nossos conhecimentos, instintivamente, nos ensina a utilizar mais o nosso intelecto para diminuir os nossos esforços físicos, o envelhecimento do corpo está diretamente relacionado ao desenvolvimento intelectual. Em culturas ocidentais o idoso é considerado fonte de conhecimento.