Considerações Sobre o Passe

Celso Martins

Há certos assuntos em torno dos quais vez por outra gosto de tecer considerações, nem que seja em forma de crônica ligeira, para melhor esclarecimento dos nossos leitores em geral. Não escrevo tais páginas (evidentemente?) pensando propositadamente em A ou em B; não endereço estas palavras a este ou àquele espírita desta ou daquela cidade em particular. Apenas ressalto situações encontradiças em nosso meio brasileiro e que creio devam ser analisadas desapaixonadamente para melhor rendimento de nossas atividades espirituais. Se erro em meu proceder, conto com o perdão dos caros leitores.

O passe está neste caso. Através dele, muitas bênçãos poderemos receber do Alto melhorando o físico, revitalizando células cansadas, fortalecendo órgãos doentes, tonificando o perispírito em descontrole, pacificando o estado psíquico e mental de criaturas que se sentem em alguma dificuldade constrangedora... Como que tomamos uma potente "injeção" dando-nos alento para encarar a vida e lutar por vencer, por superar as dificuldades de cada dia.

Eu mesmo já me vali várias vezes do passe para refazimento geral.

No entanto, para que o passe possa então cumprir com as suas finalidades aliviando nossos sofrimentos físicos e espirituais - é preciso que cada um de nós faça por onde merecer de fato tudo quanto ele nos pode conceder de acordo com a nossa fé e com o nosso merecimento individual. Assim sendo, não basta pedir. É necessário saber-se colocar na posição de receber...

Em primeiro lugar, atentemos bem para o que estamos esperando receber dos amigos da Espiritualidade... Quer dizer, toda atenção será pouca sobre o conteúdo das nossas rogativas... Há preces, como há tempos escreveu um trovador já desencarnado pelo lápis do Chico Xavier, há preces que não chegam sequer ao céu da bocal... De igual maneira, ao tomarmos um passe, com todo o fervor, com toda a devoção - muita atenção sobre os nossos pensamentos... Policiemos os propósitos que temos em nossa mente na forma de rogativa ao amigo que nos atende ao pedido?...

Há casos em que os propósitos indubitavelmente são os mais dignos... É fora de dúvida de que eles são os mais louváveis, admiráveis até... Por exemplo quando, através do passe queremos saúde para nosso organismo enfermo... Kardec fala a respeito dos passes tendo em vista a saúde... Ler O Livro dos Médiuns, capitulo 26. Mas... quantas vezes até mesmo nestes casos que respeito sinceramente de todo o coração - não somos impacientes e apressados querendo uma cura rápida, instantânea quase, para um mal antigo, para uma moléstia quase crônica?

Quantas vezes tomamos um remédio meses a fio, até mesmo durante anos, e não ficamos radicalmente curados? Mas na hora de tomar água fluidificada, desejamos curar órgãos como que num passe de mágica, num abrir-fechar de olhos, o que, evidentemente, não é possível na grande maioria das vezes... Não há de ser assim pois milagre não existe Se sofremos - há uma razão para isso. Ninguém sofre serra dever. O grande segredo é saber esperar e dar tempo ao próprio tempo para que o passe ou a água fluidificada, o remédio ou o tratamento possam reorganizar o corpo ou o perispírito que nós mesmos desorganizamos consciente ou inconscientemente.

Há ainda pessoas que, na hora de tornar o passe, estão de fato com o pensamento e o coração voltados para Deus, para Jesus, para os amigos da Espiritualidade no desejo mais forte e sincero de obter a graça. Entretanto, mal colocam o pé na rua ou dentro de suas casas, voltam logo aos hábitos antigos, ás vezes falando furiosamente mal da vida alheia, outras vezes por ninharias, por míseras bagatelas infernizando a vida de seus parentes, de seus filhos, de seus pais, de seus vizinhos, de seus chefes ou de seus subalternos, iludindo clientes e fregueses, desesperando os semelhantes em geral... Muitos companheiros nossos, embora compareçam aos centros espíritas, ávidos de alívio para seus males, pouco depois vão também aos terreiros de Umbanda como quem diz assim com os seus botões: Por via das dúvidas não me custa ter um olho na missa e outro no padre!...

Evidentemente não estou com estas palavras menosprezando a Umbanda ou subestimando os nossos diletos irmãos umbandistas. Longe de mim qualquer idéia neste sentido A Doutrina Espírita nos ensina respeitar todas as religiões existentes á face da Terra pois cada uma delas corresponde ao estado íntimo de cada grupo de religiosos. A Doutrina Espírita nos ensina sobretudo a amar os fiéis de todas as demais seitas do planeta em que vivemos. Assim, à Umbanda os nossos respeitos... Aos umbandistas o nosso amor cristão. Mas isso não impede que venha a declarar eu, nesta crônica ligeira, devamos ser coerentes em questão de fé.

Ou somos espíritas e procuramos seguir os postulados de Kardec ou somos umbandistas seguindo com dedicação e sinceridade tudo quanto se pratica com entusiasmo e respeito dentro dos terreiros de Umbanda... Os centros espíritas realizam as atividades mediúnicas após uma certa preleção evangélica, um certo estudo doutrinário para esclarecer as criaturas no que diz respeito às finalidades do Espiritismo cristão. Sim, porque o Espiritismo não encara o mediunismo como a sua maior finalidade, não. Segundo a Doutrina Espírita. o mediunismo é apenas um meio, um instrumento - para se atingir um objetivo muito maior que é o esclarecimento da mente humana, que é a redenção do espírito, que é a sua reforma moral, que é a sua renovação íntima. O passe - repito - é apenas um dos instrumentos de que se valem os espíritas para alcançar aquele fim...

Pois bem, se você chega sempre atrasado só para não escutar esta parte inicial de nossos trabalhos espirituais - sinceramente devo dizer-lhe que você está perdendo o seu valioso tempo enganando-se apenas a si mesmo... De nada vale tomar o passe para curar uma dor de cabeça hoje e uma cólica amanhã, se você não procura curar antes de tudo o espírito de muitas mazelas que todos nós (eu também, todos nós) temos desde épocas passadas até agora? Mazelas que carregamos em nossos corações como se fossem nossas próprias sombras. Aquela pregação inicial sobre um tema do Evangelho segundo o Espiritismo ou sobre um assunto do Livro dos Espíritos é realizada para iluminação das consciências, para abrandamento dos corações, aprimoramento de espíritos volvendo-os para Deus.. Assim sendo, constituem a melhor prece feita aos céus... Transformam-se outrossim no melhor dos passes pois durante tais minutos o Plano Espiritual pode perfeitamente trazer até ao nosso fígado desarranjado, até ao nosso coração arrítmico, até ao nosso estômago dispéptico, enfim, até ao nosso organismo enfermo eflúvios necessários para o seu refazimento integral.

Valorizemos pois o passe para que possamos desfrutar assim das bênçãos que ele nos pode conceder por permissão de Deus... Só assim é que haverá real proveito de nossas atividades nesse setor tão importante que é o da mediunidade curadora!...

Meu amigo, .sei que esta crônica ligeira está sendo escrita de um modo muito incisivo. Mas é preciso que assim seja... Mil vezes preferível uma verdade amarga a uma mentira doce...

Afirmou Jesus de um modo bem categórico de modo a não deixar qualquer dúvida: Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará. Libertemo-nos das ilusões, dos enganos, das frioleiras que tanto nos têm feito sofrer na fileira de nossas passadas reencarnações...

O Semeador – 07/1975