Como o Espiritismo vê as outras religiões

Alamar Régis Carvalho

Quando você ouve um programa de rádio ou assiste um de televisão, entre os inúmeros programas religiosos que proliferam nas nossas emissoras, raro é o dia em que um desses "pastores" não ataca o Espiritismo, definindo-o da maneira como eles acham que é e não como realmente é. Embora afirmando que falam em nome de Jesus, não pensam duas vezes em usar argumentos desonestos, conseqüentemente sujos, para atacarem o Espiritismo, fazendo crer às pessoas que Espiritismo e macumba é a mesma coisa, e a usarem expressões absurdas e mentirosas como "baixo e alto espiritismo", "espiritismo de mesa e espiritismo de terreiro", coisas que só existem nas cabeças deles.

Chegam inclusive a usar argumentos equivocados afirmando que a Bíblia condena o Espiritismo, o que é um absurdo, porque um livro escrito a milhares de anos não poderia condenar uma Doutrina que só veio existir a apenas um século.

Falam do Espiritismo como se falassem de uma concorrência comercial que pudesse tirar os seus "clientes" (impressionante como se preocupam com isto) e, conseqüentemente, diminuiria os seus ganhos.

Em momento algum, fazem qualquer referência aos inúmeros e incontáveis exemplos de amor ao próximo, da Caridade e dos exemplos de coerência evangélica que o Espiritismo proporciona.

Não são apenas pastores que se preocupam com esses ataques gratuitos ao Espiritismo. Muitos padres também fazem a mesma coisa nas suas igrejas.

E o pior de tudo, é que acham que o Espiritismo é que é Doutrina condenada e que eles estão salvos, chegando à presunção de se considerarem Evangélicos, e os outros não.

E qual é a posição do Espiritismo?

Em hipótese alguma admite atacar religião de quem quer que seja. Respeita a liberdade de credo do próximo, porque, além disso ser um direito constitucional de uma nação é um direito humano.

Em nenhum Centro Espírita você vê um orador ou palestrante espírita se preocupar com os protestantes, mesmo com aqueles que usam a Bíblia para fundarem igrejas visivelmente mercantilistas.

O Espiritismo faz a sua parte, porque é um princípio de educação cuidar primeiro da sua vida, antes de se envolver com a vida dos outros.

Quanto ao papel das outras religiões, o Espiritismo, dando um exemplo contrário aos que o atacam, em sua altivez definem como "todas são úteis" ao ser humano.

Embora não concorde com os dogmas e muitos princípios e práticas usadas por outras religiões, prefere procurar os lados bons delas, que são muitos, do que viver mergulhado num radicalismo ridículo de críticas e oposição.

O Espiritismo sabe reconhecer muito bem os valores extraordinários de homens cujas vidas são de dedicação à causa do Cristo, embora atuando em religiões diferentes.

Seria coerente que os Espíritas considerassem condenados homens admiráveis, só porque não comungam de todas as suas idéias?

Desde quando o radicalismo e a incoerência estão compatíveis com Jesus?

O Espiritismo tem o maior respeito pelo Catolicismo, porque ele deu ao mundo seres maravilhosos como Francisco de Assis, Antonio de Pádua, Tereza D'Avila, João de Deus, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce e uma infinidade de gente verdadeiramente abençoada.

Aqui em Belém por exemplo, existe um padre simplesmente fantástico, um verdadeiro e autêntico Ministro de Deus que é o Padre Bruno Sechi. Claro que nos outros Estados também existem padres maravilhosos.

Quem lança dúvidas sobre o trabalho de um Dom Hélder Câmara, um homem de amor e de muitos outros padres que se dedicam integralmente à evangelização das pessoas?

Será coerente que continuemos a condenar todos os trabalhadores do catolicismo só porque há alguns séculos alguns imbecis praticaram atrocidades em nome do Cristo, representando esta religião na inquisição?

É um absurdo!

Baseados em que Jesus estariam os Espíritas se julgassem condenados todos os protestantes, só porque ainda não admitem a reencarnação, deixando de reconhecer a importância para a humanidade de um Pastor Martin Luther King, um Albert Schweitzer e vários outros que deram e continuam dando ao mundo exemplos de verdadeira coerência com Jesus?

Aqui em Belém também, como não poderia deixar de ser, existem pastores protestantes maravilhosos que vivem realmente sintonizados com Jesus:

O Pastor Jerônimo Filho, um líder presbiteriano de Belém, é um homem da mais alta dignidade, possuidor de uma família equilibrada, que vive em paz com todo mundo e não é de agredir ninguém.

Existe também aqui no Pará o Pastor Firmino da Anunciação Gouveia, um dos líderes a Assembléia de Deus a nível Nacional, e vários outros pastores, como um Hermes Falcão, o Antonio Siqueira e muitos outros que fizeram e continuam construindo a Assembléia de Deus, com total amor à causa, para falar de Jesus para tanta gente?

Eles mantém muitos serviços assistenciais de amor ao próximo e precisam ser respeitados.

O trabalho dos Batistas, em Belém e em várias cidade brasileiras, e de outros protestantes adventistas, presbiterianos e outros também merecem reconhecimento de quem tem o mínimo de capacidade de raciocinar.

Apesar de cidades gigantescas, como São Paulo e outras, encontrar-se proliferadas por mercenários da fé, existe também na capital Paulista e nas outras cidades, pastores brilhantes que não vêem no dízimo a única razão das suas existências, como muitos fazem camufladamente.

Seria coerente que o Espiritismo reduzisse a zero todos os méritos deles.

Será que teríamos que condenar esses brilhantes homens só porque não acreditam na reencarnação, não aceitam a comunicação do mundo encarnado com o mundo espiritual, acreditam na existência de Satanás e em castigo de Deus?

Em absoluto. Não teria o menor sentido.

Fiquemos com os pontos comuns, que são absoluta maioria, e deixemos os pontos conflitantes de lado.

Em verdade, esta é a postura do Espiritismo, totalmente coerente com os Ensinamentos de Jesus: "Não julgueis...".

Quanto à suposta condenação do Espiritismo pela Bíblia, leia o nosso próximo boletim.

(Alamar Régis Carvalho - Av. Gentil Bittencourt, 563, Bairro de Nazaré, Belém, Pará. 66035.340. Fones: (091) 212-5033. FAX 241-7359. BBS 242-2000).