União em verdade

Adams Auni

Espíritas ou Cristãos? Espíritas e Cristãos? Espírita Cristão? Cristão Espírita? Será que existe diferença?

Os questionamentos e negações sobre o acima exposto existem em maior numero que se possa imaginar.

Mesmo para aqueles que conhecem a Jesus. Muitos não o seguem, portanto não assumem nem intimamente, nem publicamente a sua conduta cristã.

Embora existam espíritas que da mesma forma estudam a Jesus, estudam sobre Jesus, mas não o conhecem. Seguir a Jesus, considera ser propriedade de elevação espiritual dos demais irmãos, que ele acredita, serem escolhidos para isso. Esse, não consegue seguir a Jesus, pois seu fardo e julgo não pode ainda suportar.

Então e aqueles que assumiram os passos do mestre e trilham em seus corações com os ensinamentos do seu evangelho? E aqueles que guiam e são guiados a luz da sua verdade insofismável? E aqueles que reconhecem a presença espiritual explicada pela razão? Pela fé raciocinada que transcende a elevação espiritual pela adoração consagrada a Deus? Quem seriam estes?

Concomitantemente como se possa imaginar, temos o espiritismo inserido no cristianismo, na palavra do Cristo, trazida para nós pelo evangelho de Jesus ao longo dos tempos.

Se fez a necessidade de seu maior alcance em sua essência e não em sua verdade. Desdobrando o evangelho de Jesus em seu grande conhecimento como se desdobrássemos uma peça de arte, a principio pronta e completa, bela já na sua essência, mas que se torna muito mais bela e profunda ao ser compreendida ao passo da evolução dos sentimentos, dos valores, das consciências e das capacidades dos corações já quebrantados ao longo dos tempos. A sua verdade permanece inquestionável e inviolável, contundente como sempre foi, marcante como sempre nos pareceu, inigualável como só uma verdade pode ser. A verdade deixada pelo Cristo a todos nós que nos cremos seus discípulos.

A salvação em Jesus como transformação do homem. Reconhecimento superior de Deus sobre nós e tudo que nos é entorno .

É a presença constante entre nós “ dos espíritos santos de Deus “.

Cremos em Deus Pai, inteligência suprema sobre todas as coisas, cremos em Deus espírito, pois nos dizem que as coisas de Deus são coisas espirituais , cremos em Jesus, seu filho assim como nós, divino sim. Cremos no seu evangelho e cremos na luz da verdade insofismável.

Seguimos a sua moral, como buscando um entendimento além da adoração que nos sustenta, pura, simples, as coisas de Deus são simples e direta.

Entendemos que adquirimos muitos conhecimentos através da reencarnação, ferramenta divina para a nossa redenção. Ferramenta preponderante à conseguirmos por nossos próprios compromissos e esforços, caminhar para frente e em direção ao alto.

Que a salvação proferida, está no sacrifício de Jesus, mas não pelo sangue derramado,e sim pelo exemplo registrado.

A reencarnação, logo, de espíritos imortais, nos coloca aptos a caminhada de luz, nos auxilia quando não entendemos qual caminho a seguir. Quando escolheremos voluntariamente o melhor caminho, não aquele que nos é mais cômodo, mas aquele que realmente nos irá transformar.

E como apoio, sustentação, verdade e conforto, temos a comunicação com nós mesmos em espírito.

Somos nós, em todos os nossos estágios evolutivos, alguns mais próximos do Cristo, outros muito distantes, outros entorpecidos pelos baixos sentimentos, outros muitos como socorristas em missões e comprometimentos( compromissos ) morais.

As comunicações e mensagens trazidas pelos espíritos em si não é algo ruim, algo do mal, algo do oculto ou algo do inexplicável sobrenatural.

As comunicações existem desde sempre, Jesus, nos exemplificou várias comunicações.

Nós, encarnados, por condição ou por permissão, temos nossas tantas comunicações, somos todos médiuns, medianeiros, passíveis de qualquer influencia espiritual, em qualquer nível e intensidade.

Todos nós, aparelhos, instrumentos de Deus para a sua obra, é necessário que estejamos em contato com Ele, através de seus emissários e seus medianeiros.

As comunicações mal conduzidas, mal usadas , mal interpretadas, mistificadas como embustes na fé ao longo dos tempos deturparam suas qualidades e foram deturpadas com intenções de manipulação das pessoas , assim como as calúnias, as mentiras, as palavras enganosas de nós mesmos.

Nós encarnados, muitas vezes, nos preenchemos com aquelas “ mesmas comunicações pessoais “ com as quais nos afinizamos (fofocas, comentários maldosos, intrigas, criticas denegrindo o próximo, calunias , etc. ...) e nem por isso, as avaliamos como um mal a ser condenado, pois isso ainda está presente em nós.

Na verdade, ” o mal não deve ser comentado” .

Assim, demonstrando que não são as comunicações que são algo de ruim, ou provêem de algo ruim, mas as pessoas em todos os sentidos que as manipulam de acordo com a sua moral, valendo isso, tanto para espíritos encarnados, como para os desencarnados.

Pensamentos puros refletem, repulsam os pensamentos impuros e os transforma.

Pensamentos impuros, de baixo ordem moral, cheios de densos valores, de raiva, de rancor, inveja, orgulho, vaidade, são escuridões em nossos corações a sugar as influencias negativas que nos atingem e nos circundam e se associam com os de igual interesse.

Sugam também as boas influencias, mesmo aquelas que nos são enviadas. E esses mesmos, ainda na escuridão moral, pobres de virtudes, recebem, embora com efeito abafado, sempre, o bom socorro. É o depósito certo para colheita futura.

È o amor incondicional de Deus, sobre todas as suas criaturas. Deposita luz onde encontra a escuridão.

O bem sempre prevalece sobre o mal, independente da nossa vontade e do nosso tempo.Pois, a vontade não é a nossa, assim como o tempo não é o nosso.

Somos espíritas pelo conhecimento dos esclarecimentos esperados há muito tempo.

Somos cristãos, por esse esclarecimento nos sustentar a fé além da nossa adoração.

Pois é consolo a o esclarecimento e verdade sobre a imortalidade da alma, sustentando todas as verdades trazidas pelo Cristo.

Completa-se então, a mensagem de Cristo Jesus, em nos enviar o consolador prometido, não os espíritos, pois somos espíritos e carne, mas a Doutrina Espírita. Podermos seguir as suas palavras e seus passos para o nosso futuro e Ele nos diz: “ ... fareis muitas coisas, e fareis muitas além das que eu já fiz...”.

Conclui-se que, a Doutrina Espírita, trazida por todos aqueles que contribuíram ao longo dos tempos para os esclarecimentos de nos mesmos, não poderiam ficar e permanecer vivos somente através de suas memórias e registros da época , se fazia necessário que viessem para dar continuidade, que estivessem em contato conosco, para testemunhar e testificar a providencia divina, nos esclarecer da bondade de Deus, abrir corações ainda duros e temerosos sobre o que desconhecíamos e que a morte possui suas utilidades e funções, mas não é em absoluto, aquilo que considerávamos ser, o fim de tudo.

Assim como o homem cresce e progride, seus entendimentos da própria fé também evoluem.

E que a Doutrina Espírita veio para unir e não para dividir, que não está acima da verdade de Jesus. Que nada diminui a sua presença. E que de forma alguma nos desvia da dependência de Deus em nossas vidas.

O Cristo é eterno a nossa frente, necessitamos então, estar acompanhando esse crescimento, critério evolutivo da civilização.

Não se trata de desacreditar, mas somente entender quando nos sentirmos titubeantes reconhecer quem somos além do véu da adoração e trilhar com pés firmes no caminho do bem , tendo como companheiro os ensinamentos e medianeiros do Cristo, que somente por permissão sua e de Deus nos podem acompanhar.

Os “ espíritos santos de Deus” estão conosco, sempre que estivermos reunidos em seus nome .

As obras, são as obras em nossa vidas.

Pequenas aos olhos do homem egoísta, mas necessárias e grandiosas aos olhos de Deus.

Sabe que o seguimos, que obedecemos, mesmo as vezes, distantes de suas determinações diretas, pois possuímos a sua essência e de qualquer forma Ele sabe que é a Ele que nos direcionamos e complacente, nos permite errar e aprender.

Que muitas vezes não compreendemos a sua linguagem, mas que nos predispomos a ter a centelha de sua vida em nossos corações.

Que nos predispomos a ser fieis e assim ele nos honrará com seus mais valorosos emissários.

Nos presenteará com os seus conhecimentos e suas experiências.

Nos aproximando por esforço próprio, através das infinitas reencarnações aos entendimentos nos passos do Senhor Jesus.

Muitos irmãos amados porém, ainda nas escuridões de suas vidas e desprovidos ainda de sentimentos mais nobres, nos perseguem. Na verdade, aflitos, sofridos, revoltados por suas muitas dores e sofrimentos, presos no fundo do poço de sua existência, só conhecem atos e palavras brutas. Nos perseguem por enxergarem em nós, seguidores do Cristo, a luzes que Ele nos concede e deposita. Querem, inconscientemente essa luz, pois dessa mesma forma, mesmo ainda duros e empedernidos de suas dores, sentem o bem estar da luz de Jesus.

Quando tocados, encontrando-se em situações de dor, sofrimento e desalento, aí, nesse momento, se promove verdadeiros “ milagres “ em qualquer coração.

A luz do amor clarifica qualquer alma, qualquer espírito.

E aí, passamos a compreender que, aqueles que muito ainda atribuem, serem o mal personificado, com nomes e dogmas, não passam de irmãos perdidos na escuridão de suas vidas, confusos de seus sentimentos, como muitas vezes ainda o somos.

Não difere então, o estado de encarnado para desencarnado, espírito e carne. Na carne nos escondemos, pois o espírito se encobre. Desprovidos da proteção do corpo físico nada podemos fazer para nos refutar a nossa realidade, aos erros e resgates que adquirimos , a não ser, assumir a nós mesmos. Somos os espíritos existentes nas duas condições e devemos aprender e compreender a conviver nessa realidade.

Muitos vivem com dores da vida que carregam e aí não suportam o remorso ou desconhecedores do seu estado espiritual, perseguem, infinitamente suas vítimas em processos obsessivos. Somos nós mesmos, revelados e expostos.

Somente pelo amor, amor a todos incondicionalmente, amor ao próximo, amor ao exercitar a caridade, a compaixão e na reforma intima, para então, reconhecermo-nos trabalhadores do Cristo e saber a nossa condição de obreiros de Deus na sua criação.

E agora, não conseguimos nos distinguir diferentes. Somos espíritas? Somos cristãos? Cremos e vivemos em Cristo Jesus, cremos na reencarnação e cremos no mundo invisível de nós mesmos.

Tudo já nos haviam dito os evangelhos e agora, nos está sendo revelado. Todo o conhecimento para o cristão está contido no evangelho do Cristo Jesus,mas quanto tempo está sendo necessário ainda para que possamos absorver tudo que já estava lá e que não sabíamos como interpretar e vivenciar. Hoje, ainda com nossa inúmeras dificuldades e imperfeições, buscamos e desvendamos, com auxílio e companhia dos mentores espirituais, aquilo que está claro e que por nossa imperfeição, não conseguimos ainda viver em sua plenitude, os mais disciplinados, esforçados e desprendidos nos são o exemplo. E tudo já estava lá.

Renovamos nossa fé a cada mensagem, a cada estudo, ele não se repete, nos sustenta sempre cada vez mais.

Não somos insatisfeitos na fé, somos potencializados nela, sinergia divina em nós.

Pelo Cristo e em Cristo, viveremos eternamente.