Como se iniciam no caminho das drogas?

Aluney Elferr Albuquerque Silva

Quais as causas que levam as pessoas às drogas?

Os motivos são vários: busca de uma sensação prazerosa, curiosidade, desejo de pertencer á “turma”, problemas sócio-econômicos, fuga de problemas e da realidade, descontentamento com a sociedade de consumo, falta de diálogo entre pais e filhos, dificuldade de relacionamento com outras pessoas, falta de informações precisas sobre drogas, ansiedade, influência de traficantes, influência de familiares, pressão de “amigos’’, etc”.

Como alguém começa a usar drogas?

Quase sempre este início é igual: através do melhor amigo, o colega de carteira da escola, o namorado ou a namorada. Quando o jovem está aborrecido, oferecem-lhe de graça uma passagem para um mundo onde o aborrecimento vai desaparecer.

Se ele aceita, o “amigo’ ’vai estar em seu caminho para oferecer outras doses até que a dependência se instale e aí o produto passa a custar dinheiro. E nesse ponto a pessoa já se tornou escrava da droga e do seu fornecedor, que nem sempre é o traficante maior, mas age em seu nome. Daí as conseqüências são as piores possíveis.

A tolerância por parte das escolas é outro fator que tem contribuído para a dispersão do consumo de drogas ilícitas.

As escolas particulares “cumprem” com seu papel informando com palestras não efetivas, e também o número de expulsões relacionadas com o uso de drogas é baixo. Hoje em apenas um de cada dez casos, o estudante é desligado do estabelecimento. Geralmente, quando se droga dentro das dependências do colégio.

A droga no colégio é fácil de ser adquirida, podendo ser comercializada pelo vendedor de balinha que fica na porta, por um professor, ou um colega.

ALGUNS DOS DIVERSOS SINAIS QUE IDENTIFICAM UM USUÁRIO DE DROGAS:

Alguns sinais podem auxiliar na identificação de um usuário de drogas. Os principais são:

Mas é preciso prestar atenção, pois, algum ou alguns desses sinais podem indicar outra coisa, como alguma doença ou outra coisa que, não necessariamente, uso drogas, e não se pode correr o risco de rotular alguém sem certeza.

Assim como indicamos através de nossas pesquisas, alguns dos sintomas que podemos localizar, indicamos abaixo algumas CONSEQÜÊNCIAS DA DEPENDÊNCIA.

1- Psíquicos:

Perda parcial da memória, debilidade da inteligência e de poder idealizador. A fala fica lenta, difícil e pesada. Essa decadência vai aumentando quanto maior é a dose da droga e a duração do uso. Torna-se indiferente, egoísta, perde o sentido moral e o carinho familiar, deixando de existir qualquer sentido de vontade própria e seu interesse se volta apenas para a procura da droga por qualquer meio; recorre inclusive, ao crime para iludir a angústia do estado de abstinência. Adquire a mania do leito. Nega violentamente ser viciado ou se vangloria disso; torna-se sujo, descuidado e, de afável, passa a ser grosseiro. A mulher perde sua linha e seu pudor e ultrapassa limites.

2- Sensoriais:

Sofre alucinações visuais noturnas terríveis, além de transtornos de pupila (miose), abolição de reflexos, etc. Alteração do fundo do olho, palidez conjuntiva; o campo visual fica diminuído. Esses fenômenos desaparecem se a supressão do tóxico for total, o que serve de indicativo de cura, além disso, pode ter o tato diminuído, acompanhado de leve esquentamento das mãos.

3- Respiratórios e Circulatórios:

Respiração lenta e irregular, enfraquecimento cardíaco.

4- Digestivos:

Língua seca e pastosa, sede intensa por falta de secreção salivar, muita propensão a estomatites. Anorexia e constipação pertinaz, hipofunção hepática. A desnutrição progressiva leva o paciente a estados carenciais, que comprometem sua vitalidade (caquexia morfínica).

5- Urinários:

Pode haver albuminúria ou glicosúria.

6- Sanguíneos:

Chama a atenção o contraste entre a palidez da pele com as mucosas, pessoa fica com olheiras. Também, causada pelo cansaço já que passam a madrugada usando drogas.

7- Cutâneos:

As alterações da pele são muito intensas. A superfície é áspera. Podem ser notados nódulos ou cicatrizes nos músculos dos braços e outras partes do corpo, como seqüelas de abcessos de injeções aplicadas, que facilitam o diagnóstico.

8- Nutricionais:

Emagrecimento progressivo, alterações no metabolismo basal, empobrecimento dos elementos orgânicos, que nas etapas finais, chega a caquexia (enfraquecimento geral).

Parte integrante do Livro sobre dependência química do Terapeuta Aluney Elferr