Lição no lar

Aluney Elferr Albuquerque Silva

Lar, mola, semente, princípio basilar da experiência terrena, reduto aconchegante para transformações de vidas.

Mesmo que se façam grandes conquistas externamente, se o lar encontra-se transviado do entendimento, da compreensão, do mutuo auxílio, pouquíssimas conquistas serão duradouras e reais.

O lar é a matriz, onde se encontram espíritos relacionados entre si, para com o véu do esquecimento, poderem se amar, sem amarras, sem medos, poderem se conhecer e aproveitar oportunidades benfazeja em outras ocasiões desperdiçadas.

Analisemos, agora, um homem bem estruturado, e feliz, seguramente veremos um lar, ao menos compreensível ou robusto em entrosamento, por detrás dele, lhe dando suporte.

A família é para o homem o pivô de maior importância, e Deus em sua Sabedoria Maior, conduz o homem a ser um indivíduo totalmente gregário, necessitando do relacionamento primeiramente intra-pessoal, e posteriormente o interpessoal, no primeiro vemos a necessidade de um auto-conhecimento e no segundo o entrosamento com os outros homens. E é no lar que temos os primeiros treinos para que estas duas necessidades possam auferir embasamento tal, que nos transforme num ser seguro de si mesmo.

Visualizando a importância do Lar, agora incluamos a necessidade da Oração em família. Buscando sempre no Mestre os exemplos básicos, para um convívio harmônico e tranqüilo.

Iniciada a oração no Lar, possibilitamos presenças envolvidas com o Amor e a transformação da humanidade, que incentivam estas realizações nos corações debaixo do mesmo teto.

Reunamos, filhos, filhas, esposo, esposa, enfim, todos aqueles que conosco convivem, a fim de em torno de uma mesa, podermos comentar fraternalmente sobre as orientações contidas no evangelho do Cristo.

Oração e estudo do evangelho, manifestações desprovidas de qualquer complexidade ou dificuldade, deverão ser simplesmente simples, visando apenas o entrosamento da família alí reunida com a mensagem fiel do Cristo. Não necessitamos nos exceder em tempo para não cair na monotonia e também no desinteresse.

Enquanto isso, os irmãos invisíveis tratam de infiltrar nos corações muita Paz e serenidade, tratam de fazer uma verdadeira transfusão energética das forças mais puras até nós, concomitantemente trazem irmãos outros, que nos são afins ou não, para que também eles, mesmo estando no plano espiritual, possam ouvir as considerações ali semeadas e refletir, pondo as orientações em torno de suas próprias vidas.

Não façamos imposições, para aqueles que ainda não compartilham de nossas idéias, ao contrário disso, oremos também por eles, se existe imposição, não existe fraternidade. Tentemos uma argumentação embasada, ao invés do simples convite, façamos um convite convincente, mostrando acima de tudo, a necessidade de relacionar-se com as orientações que o Cristo nos legou.

Rotineiramente escutamos alguém falar "se oras em tua casa, teus vizinhos também são beneficiados", frase quase sempre incompreendida, todavia, verdadeira, além dos familiares reunidos e dos irmãos já em outro plano de existência, trazidos pelos benfeitores espirituais, também alcança-se os vizinhos ou as pessoas que circundam aquele lugar, pois o ambiente envolvido pela paz, começa agora a irradiar amor, fraternidade, saúde, aumentado ainda mais nossa responsabilidade perante esta realização que não pode mais tardar para começar em nossos lares.

"A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar nele; é aproximar-se dele; é por-se em comunicação com ele. A três coisas podemos propor-nos por meio da prece: louvar, pedir, agradecer", já nos dizem os Espíritos em O Livro dos Espíritos Quest. 659.

A prece é um poderoso instrumento contra os desânimos, fracassos temporais, ódio retido nos corações, através dela, podemos inter-relacionar nosso pensamento com outros irmãos que nos ensejam paz. A começar pelo amigo mais intimo que temos, nosso Anjo Guardião, que nos faz companhia nos momentos mais deficientes e felizes de nossas vidas. A ele nos ligamos imediatamente no momento de nossas reflexões e preces.

No momento em que o desânimo bata a tua porta te convidando a suspender tais atividades redentoras em teu lar, pensas na Época do Cristo, pensa nos primeiros Cristãos e suas dificuldades em suas reuniões, e aure em ti mesmo e em teu amigo espiritual as forças necessárias para não desanimar, cultivas este hábito de Evangelizar e Orar em família, com os teus, para que as sombras das trevas não penetrem em teu Lar. Fortificando assim, os corações dos pequeninos e transformando-os em Homens de Bem do amanhã.