Ser Discípulo

José Francisco Costa Rebouças

A vida, em sua versão diária, com os avanços exibidos na modernidade das descobertas da ciência, nos pede agir com dignidade também no exercício das atitudes cristãs, revelando com esmero os verdadeiros princípios de moral ensinados por Jesus.

O homem que se projeta pelo campo fértil dos discursos, sem a prática do que apregoa, sem que seus atos e suas atitudes fora do palco espelhem o real reflexo de tudo que diz, expõe-se ao ridículo, e à negação dos princípios que alardeia.

Há muitos séculos, os movimentos das filosofias utilitaristas, sobrevivem mantidos pelos seus orientadores, que cada vez mais se multiplicam, construindo em torno de seus passos, os palácios de egoísmo levantados à base do magnetismo pessoal e psicólogo que aperfeiçoam dia a dia para utilizarem na exploração da credulidade e da ignorância das massas.

Nesse tão grave momento, e diante de tão obscuro cenário do desenvolvimento moral da terra é que os aprendizes do Cristo devem comparecer a seara do bem para servir, pois como verdadeiros cristãos, são também expoentes da filosofia edificante da renúncia e da bondade, revelando em suas obras isoladas, a experiência divina dAquele que preferiu a crucificação ao pacto com o mal.

Conscientes de suas responsabilidades para com a vida, é que entram em cena, os verdadeiros discípulos, do divino Rabi da Galiléia, que vão aos poucos surgindo, além do sacerdócio organizado, laborando com esmero e dedicação em prol dos irmãos em sofrimento, dos simples, dos necessitados, que trabalham com a bênção esclarecedora da filosofia espiritista cristã, ultrapassando os obstáculos terríveis da cultura intoxicada pelos dogmas, no combate sem tréguas ao conceito dominante das idéias comodistas e ultrapassadas.

Há mais de dois mil anos, Jesus já nos alertava para a atitude dos Judeus hipócritas, que se mantinham bonitos na aparência, mas que em nada se assemelhavam em suas atitudes no convívio em sociedade, sendo por isso, comparados aos túmulos caiados por fora e podres por dentro.

Passados tantos séculos, os momentos vividos pela humanidade são idênticos àqueles mesmos que Jesus declarava quando da sua vinda ao nosso Planeta; e as figuras dos judeus e gregos de outrora, estão muito bem representados hoje nos negocistas desonestos e nos intelectuais vaidosos, que prosseguem na mesma posição de antes.

Deus em sua infinita bondade e misericórdia, vendo a necessidade de evolução do nosso planeta, faz surgir no meio deles os continuadores da obra iniciada por Jesus nosso Mestre, a fim de auxiliá-los em seu crescimento e transmitir-lhes o ensinamento contido no evangelho através do verbo santificado pelas ações nobres que testemunham.

Diante das dificuldades, sarcasmos e conflitos, o aprendiz sincero, decidido, e fiel ao seu Mestre, não se atemoriza, e segue resoluto e confiante na certeza de que não está só, pois sabe que conta com todo o apoio e ajuda dos emissários da vida maior, procurando vencer suas próprias dificuldades morais para seguir adiante, amando, exemplificando e educando com as lições hauridas no consolador prometido.