A concepção de Deus no Velho Testamento

Yuri Rodrigues

Caros amigos,
Paz em Jesus

Até o mês de Setembro passado a única fonte de informação religiosa que tive veio através do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo de Kardec. Até os 50 anos de idade fui, o que se pode chamar, ateu. Negava Deus e Jesus de uma forma hipócrita, pois embora envolto na negação, os temia.

Aos 50 anos, com o afloramento da mediunidade em minha mulher, descobri que havia algo mais que "sonhava a minha vã filosofia". Inicialmente foi um choque descobrir que Deus e Jesus não eram uma estória pois, se existiam espíritos comunicantes, prova irrefutável da continuidade da vida após a morte, teria que haver um Criador; e esse fato perturbou-me terrivelmente, pois passara 50 anos ao léu da verdade e tive muito medo pelas conseqüências decorrentes de meu ateísmo. Dediquei-me aos estudos das obras básicas do espiritismo na FEESP durante anos e, através de O Evangelho Segundo o Espiritismo, aprendi a conhecer o Deus de Amor descrito de forma tão maravilhosa por Jesus, o Mestre do Amor, da Fé e da Caridade. Descobri que Deus é Pai que ama todos os seus filhos; descobri um Deus Justo que, na Justiça de Seus desígnios, todos nós, apesar dos erros cometidos, teremos novas oportunidades de nos redimir e dar seguimento ao nosso aprimoramento moral tão maravilhosamente ensinado através da palavra e dos exemplos do Cristo.

Minha vida mudou completamente, passei a ter fé e esperança no futuro; sabia que teria nova oportunidade de recuperar o tempo perdido e redimir-me da outrora negação; e com essa certeza, com essa fé inabalável, passei a amá-los e adorá-los.

Tudo caminhava bem até no mês passado, quando imbuído por forte vontade de conhecer mais profundamente a religião a que me atirara, adquiri uma Bíblia, cuidadosamente escolhida, tomando por critério de seleção o Vetículo 20.6 que não utilizasse a palavra "espírita", "espiritismo", "aqueles que evocam os espíritos", etc., e sim uma que fosse traduzida corretamente, sem preconceitos doutrinários. Encontrei uma edição da SBB traduzida por João Ferreira de Almeida, comprei-a e passei a lê-la. A minha primeira Bíblia já aos 60 anos de idade.

Aí começou o que qualifico de um pesadelo, nos Livros de Moisés encontrei um Deus diferente daquele DEUS que Jesus nos descreveu; Moisés descreve um Deus rancoroso e vingativo, exigente e vaidoso, intransigente e egocêntrico, parcial e arbitrário.

Não é o DEUS que Jesus me ensinou a amar e respeitar; não é o DEUS de amor; não é o DEUS PAI de toda a humanidade que ama à todos os seus filhos e que faz o Sol brilhar sobre todos, justos ou injustos. NÃO É O MEU DEUS ! Certo que já ouvi sobre as leis criadas por Moisés que lhes dava conotação divina para serem obedecidas pelo povo rude e ignorante daqueles tempos, porém certas passagens resvalam a beira da fantasia e do absurdo, criadas por quem desejava manter o domínio absoluto sobre o povo, incutindo-lhes o pavor através das horríveis coisas que poderiam acontecer-lhes na desobediência.

Analisemos algumas passagens descritas por Moisés que estão gerando a minha incredulidade:

  1. DEUS PREMIANDO A DESONESTIDADE ?
    Jacó usurpou o direito de primogenitura de Esaú (Gn. 25.31) e enganou a seu pai Isaque, fazendo-se passar por Esaú, recebendo assim as bênçãos do pai que deveriam ser de Esaú; durante a sua fuga com medo do irmão, Jacó tem um sonho onde DEUS lhe promete as terras em que ele estava e o abençoa e à sua descendência (Gn. 28.13,14,15);
  2. JACÓ LUTA COM DEUS E VENCE ? (Gn. 22 a 30);
  3. DEUS MANDA JACÓ ERIGIR UM ALTAR À OUTRO (?) DEUS ?
    Disse Deus a Jacó: Levanta-te sobe a Betel e habita ali, faze ali um altar AO Deus que te apareceu quando fugias da presença de Esaú, teu irmão. (Gn. 35) - Se foi o próprio e único DEUS que apareceu à Jacó, durante sua fuga, então DEUS não deveria ter dito: "Erige ali um altar à mim" e não: "Ao Deus que te apareceu" ?;
  4. DEUS MANDA OS HEBREUS DESPOJAREM OS EGÍPCIOS ?
    DEUS mandaria os hebreus roubarem jóias de prata e jóias de ouro dos egípcios para "não saírem de mãos vazias" do Egito ? (Ex. 3.21e 22);
  5. A ARCA, O PROPICIATÓRIO, A MESA, O CANDELABRO, O ALTAR (Ex. 25.2 a 40) (27.2 a 8)
    Por quê exige DEUS peças de ouro puro para a confecção dos objetos de uso em sua congregação ? Por quê DEUS mandaria colocar 4 chifres (há muito símbolo do maligno) nos cantos do Altar ?
  6. DEUS NECESSITA DE SACRIFÍCIOS DE SANGUE ? (Ex. 29.10 a 37)
    DEUS, aprecia o cheiro da carne queimada ao fogo ? DEUS nos obriga a sacrificar animais inocentes e se compraz com isso ? DEUS, aprecia o derramamento de sangue sobre e ao redor do altar do Holocausto, em sua homenagem ? Não o fazem assim, ainda hoje, os umbandistas e cadomblecistas pelo qual são acusados de fazerem oferendas ao diabo ?
  7. O BEZERRO DE OURO (Ex. 32.1 a 29)
    Se foi Arão quem pediu ouro ao povo e com ele fundiu a imagem do bezerro, por quê somente o povo fui punido por Moisés que ordenou aos filhos de Levi que passassem a espada sobre todos, assassinando , num só dia três mil homens, Três mil mortos em nome de DEUS ? E Arão, o artífice do Bezerro, não só não foi punido como foi consagrado como sacerdote de DEUS ?
  8. OS FILHOS DE ARÃO SÃO QUEIMADOS VIVOS (Lv. 10.1 e 2)
    Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário, e puseram neles fogo, e sobre este, incenso, e trouxeram fogo estranho perante a face do SENHOR, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. - Por quê DEUS matou os filhos de Arão se eles apenas estavam ofertando ao SENHOR ?

Algumas passagens de igual teôr foram puladas senão continuaríamos escrevendo por muito tempo e também porque, até o momento, a minha leitura da Bíblia só chegou até o Levítico.

Por expor meus pensamentos, alguns me chamarão de herege, outros me amaldiçoarão, porém não consigo imaginar o DEUS que JESUS nos descreveu, e nos ensinou a amar, como sendo o mesmo DEUS de Moisés.

Vou continuar amando e louvando ao MEU DEUS, o DEUS do amor, o meu PAI carinhoso e paciente, aquele que nunca deixou-me faltar o pão, aquele que sempre me abençoou e à toda a minha família, aquele ao qual oro e rogo todos os dias de minha vida atual e futura.

O Espiritismo ensinou-me a não aceitar a fé cega, passar antes tudo pelo crivo da razão, do raciocínio; é o que estou fazendo neste momento.

Não sei se prosseguirei na leitura do Velho Testamento, pois até agora só conturbou tudo o que havia em minha mente; considero melhor restringir-me ao Novo Testamento, aos ensinamentos de JESUS, meu herói, meu irmão em DEUS PAI, meu Mestre querido.

Recebam as minhas melhores vibrações com votos de muita Paz.

Abraços
Yúri Rodrigues

(Publicado no Boletim GEAE Número 403 de 31 de outubro de 2000)