Confirmação

Rogério Coelho

"E Lázaro saiu, tendo as mãos e pés ligados com faixas. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir."

Jesus. (Jo., 11:44.) Para quem procura aprofundar-se na essência das lições do Meigo Rabi, o episódio ocorrido em Betânia é muito expressivo. Há que se ater à significação dele. Não nos devemos prender ao simples fato de Jesus ter feito voltar à Vida ao amigo que estava em estado cataléptico. Os desdobramentos do episódio são mais importantes vez que nos dizem respeito.

Detenhamo-nos na frase: "desligai-o, e deixai-o ir".

Assim como Lázaro estava imobilizado nas sombras tumulares, nós nos encontramos tolhidos por nosso trevoso passado de equívocos. Há que se desatar, que se desligar dessas limitações para que possamos ir na direção da meta assinalada por Deus: a perfeição.

Nossa conversão, portanto, não pode tardar.

Mas, não é fácil lutar contra os atavismos da acomodação. São muitos os séculos de sombras para tão pouco tempo de luz, daí verificarmos inúmeras vacilações e variegado número de tergiversações quanto ao novo rumo a tomar.

Até dentro do próprio Colégio Apostólico observamos essa situação conflituosa: Após três anos de estreita convivência com Jesus, Pedro ainda vacilaria no momento do testemunho e Jesus detectou isso admoestando-o (1):

"Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. Digo-te Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces."

Ao contrário de Paulo que se converteu imediatamente, enfrentando todas as vicissitudes, Pedro, apesar da estreita convivência de três anos com o Mestre ainda não estava convertido. Ainda se encontrava "ligado" como Lázaro ao sair das trevas tumulares. Mister fazia-se "desligá-lo" para deixá-lo ir pelas veredas dos testemunhos.

Qual seria o significado das palavras de Jesus: "Cirandar como trigo?"

Cirandar o trigo é submetê-lo àquelas pesadas rodas de pedra que o esmagavam em movimentos circulares. O trigo representa o alimento. O "demônio" tentava "esmagar" o "alimento espiritual" que Jesus ministrava a Pedro há três anos, destruindo-o; e o pescador vacilava, não se convertia com todas as veras d'Alma, a exemplo de Paulo. Somente mais tarde tal se sucederia.

Hoje, que detemos o conhecimento espírita que revive os ensinamentos de Jesus, encontramos ainda, a mesma situação.

Hoje, como ontem, o Doce Amigo espera nossa conversão, pois Ele já nos tirou das trevas tumulares da ignorância. Urge "desligar-nos" das faixas da acomodação que nos retêm os passos e como Lázaro, caminhar pelo roteiro assinalado pelo Mestre, transformando-nos em cartas vidas do poder do Cristo, confirmando, com nosso testemunho as excelências do "alimento" que Ele nos deu.

1 - Lucas, 22:31 a 34

(Publicado no Boletim GEAE Número 284 de 17 de março de 1998)