Doutrina Lógica - Comportamentos Ilógicos

David Ascenço

Frente aos dias atuais em que muito se comenta através dos meios de comunicação sobre fatos espíritas e sobre a mediunidade,vemos muitas pessoas alegarem ser Espíritas, mas que na verdade não conhecem nada à respeito da Doutrina e destes mesmos fenômenos.

Mesmo vendo e ouvindo determinadas coisas, deixamo-nos levar pela fantasia e pela ilusão dos fatos, sem procurar as fontes seguras e verdadeiras que são as Obras Básicas da Doutrina Espírita,que nos proporcionam material rico e seguro de estudarmos os fatos e as questões expostas a todos nós.

Todas as vezes que começamos a nos interrogar à respeito da vida,de nós e de todos os acontecimentos que estão a nossa volta,procuramos respostas a "CERTAS INJUSTIÇAS",que fica difícil atribuir a este Deus soberanamente Bom e Justo.

Por esta razão a Doutrina Espírita chama nossa atenção para a Fé baseada na razão, como fonte segura para encontrarmos as respostas necessárias a tudo que atualmente nos rodeia.

A Doutrina na sua parte Científica que pesquisa e estuda os Fenômenos Mediúnicos à Luz da Razão, mais a parte Filosófica que nos faz pensar seriamente nestas questões e finalmente a Religião que leva o Homem ao encontro com Jesus e todos os seus ensinamentos, têm neste tripé a base fundamental de todos os nossos problemas e aflições atuais,e coloca à nossa disposição certos princípios básicos,pesquisados, provados e já relatados pelo Mestre Jesus.

A existência de Deus, a imortalidade da alma, a reencarnação, a comunicação com os Espíritos,a fé raciocinada,a lei de evolução,a lei moral e tantos outros temas, são pontos certos de aceitação mais racional para tudo aquilo que se fala e se mostra à respeito de Doutrina Espírita.

Vemos perfeitamente que através do estudo e do conhecimento, temos a Lógica sincera da Doutrina, sem fantasias e enganos, levando-nos ao encontro da verdade, pois ela sim, nos Libertará.

Infelizmente, em muitas ocasiões, encontramos inúmeras Ilógicas dentro do próprio Movimento Espírita e que nos é mais surpreendente,dentro mesmo das Casas Espíritas, mostrando claramente que nós muitas vezes adentramos à Doutrina Espírita, mas Ela não adentrou em nossos corações.

Alguns companheiros podem estar pensando que estamos com isso querendo simplesmente apontar falhas no trabalho geral, mas não, estamos mostrando uma realidade que muitas vezes os Companheiros de Ideal não querem ver e observar, lembrando as palavras de Jesus, quando ficamos sem olhos de ver e ouvidos de ouvir.

Antes de qualquer outra observação,devemos lembrar que sempre a CAUSA deve estar acima das coisas, que pertencem aos homens e ao nosso Mundo, pois a CAUSA está fundamentada em DEUS, Pai e Criador de tudo e de todos.

Todas as coisas estão sujeitas as mudanças em virtude da influência do próprio Homem, que muitas vezes às coloca de acordo com sua vontade e suas necessidades, sem a preocupação de sermos fiéis a Jesus e a Doutrina Espírita, que tanto nos oferece de conhecimento e experiências.

Em virtude de tantos conhecimentos e verdades que nos chegam às mãos, acreditamos que deveríamos nos tratar de maneira mais fraterna e solidária, procurando juntos sanar os erros e as dificuldades existentes no percurso e em nossas personalidades, além dos inconvenientes surgidos em virtude de nossas idéias ou palavras, e não nos tratarmos de forma tão dura e radical como muitas vezes acontece.

Será que a Doutrina Espírita não nos ensina de forma clara e perfeita, o quanto precisamos ser Simples e Humildes mediante inúmeros acontecimentos,pois se estamos com a razão, muitas vezes um bom diálogo seria muito mais lucrativo para todos do que as agressões verbais.

Dentro da Casa Espírita também encontramos estas Ilógicas, em Dirigentes que se tornam perpétuos em seus cargos; a falta de uma recepção mais adequada àqueles que chegam pela primeira vez; a falta de um aperfeiçoamento para todos os tipos de trabalhos e para todos os trabalhadores, através de Cursos de Doutrina Espírita; estudo mais profundo e sério das Obras Básicas,por todos os Dirigentes, Trabalhadores e freqüentadores da Casa Espírita; a Humildade sempre presente em todas as atividades e junto a todos os Grupos,como forma clara de que somos apenas meros instrumentos da Espiritualidade na realização das atividades que nos competem realizar;a pontualidade nos compromissos assumidos com os Espíritos,- através dos inúmeros trabalhos realizados na Casa; compreensão e carinho para com os idosos,pois foram eles os primeiros batalhadores; a Educação da Infância, Juventude e da Mocidade, tão necessitadas nos dias atuais em virtude da falta de respeito,amor e carinho dentro dos próprios lares, enfim, inúmeras situações Ilógicas que ocorrem entro da Casa Espírita pela nossa falta de atenção e fidelidade a Doutrina Espírita, que muitas vezes nos levam a problemas enormes,onde sempre as Sombras se aproveitam, de forma sutil e desapercebida,para derrubar sobre todos o fel da desconfiança, da tristeza e da preguiça.

Por estas razões, devemos fortalecer as Bases, não só nossas, mas de todos aqueles que freqüentam e trabalham na Casa Espírita, para que não necessitemos mais Ver e Ouvir tantas besteiras e bobagens à respeito de Doutrina Espírita,que nos é tão verdadeira e acima de tudo LÓGICA.

(Publicado no Boletim GEAE Número 319 de 17 de novembro de 1998)