Clonagem

Humberto Pazian

Como sempre acontece, o tema da novela principal, da também emissora principal de nosso país, mexe com a cabeça de todos.

Desta vez, excluindo as aplaudidas cenas que pesam contra os conceitos de respeito familiar, o tema – o clone, foi uma feliz escolha, não pela abordagem fantasiosa, necessária para uma apresentação televisiva, mas sim, pela reflexão que tem levado ao público.

As comparações entre as religiões estão sendo muito bem colocadas e, pasmem: o Espiritismo tem sido mostrado de uma forma correta, séria e sem extravagâncias no papel do personagem Lobato, muito bem representado pelo ator Osmar Prado.

A essa altura, devem estar pensando, será que estou lendo um periódico espírita ? O autor comentando sobre novela? É isso mesmo, e podem ter certeza que não é por falta de assunto.

Acreditem, esse é um assunto de grande importância. Muitos não têm idéia da força que as imagens da televisão exercem em nossa mente. Elas criam conceitos que, sem que percebamos, de uma forma consciente, vão se incorporando a nossa maneira de pensar. È por isso que muitos especialistas no assunto, têm levantado esse tema junto às autoridades competentes, buscando transformar esse meio de comunicação em algo que possa ser usado para educar e sociabilizar o povo.

Mudanças positivas estão acontecendo e acreditamos que muitos profissionais da área, bem intencionados, estão fazendo a sua parte, mas enquanto não possamos contar com uma qualidade total, façamos a nossa parte, ou seja, analisemos toda informação que nos chegue através dessas imagens; seja pelos noticiários, programas de entretenimentos diversos, filmes e principalmente novelas, pelo efeito emocional que exercem em nós.

Por tudo isso é que resolvemos citar esse tema. Temos observado alguns comentários, entre espiritualistas, sobre a clonagem nos quais percebemos uma forte influência da citada novela. Conceitos pessoais e divergências são importantes para formar-se idéias mas, é importante que nos lembremos de que, no Espiritismo, aprendemos que o espírito é indivisível, único e que não pode ser confundido com o corpo material que tem o único propósito de servir de abrigo ao espírito enquanto estiver encarnado.

Por meio do avanço científico, podemos modificar de muitas formas nosso corpo e até os que estão em formação. Nada há contrário ou conflitante com o que entendemos no espiritismo.

A busca pelo belo, pela a saúde e a perfeição, deve ser feita de todas as formas, principalmente pela ciência, através de seus representantes que encarnam com esse propósito porém, como espíritas, sabemos que o “comando” vem do “Alto” e o que nos interessa realmente são as mudanças e melhoras do espírito e essas não poderão ser efetuadas em laboratórios.

Podemos adquirir através do estudo e da observação qualidades de outras pessoas, podemos até imitar quase que totalmente outro ser, mas somos únicos, o que é muito bom.

Portanto, a perfeição deve e pode ser buscada em seu aspecto material, mas se quisermos adquirir beleza, aprimoramento ou outras qualidades em nossa alma, não serão os laboratórios da matéria que deveremos procurar mas sim o laboratório da nossa mente, e para isso há um ser fantástico -Jesus- que não só permite, como deseja, que suas idéias e conhecimentos sejam clonados na mente de todos.:

E apenas como devaneio; será que dá para imaginar o dia em que a humanidade for um clone perfeito de Jesus?

hcpazian@bol.com.br

01-04-2002