Um sonho...

Humberto Pazian

Hoje vivi um sonho diferente, e como é interessante sonhar no meio da realidade.

Levantei-me como em todos os dias, do mesmo leito, do mesmo jeito, lento e com a mesma esperança de que seria um bom dia, e o foi!

O período normal de meditação – aquele contato com a Fonte de tudo – dera-me, como sempre, o alvará para mais um dia de vida.

Na programação uma palestra, um encontro como muitos outros, num grupo , para mim, até então desconhecido. E que encontro!

Mal as portas se abriram e fiquei encantado. Maravilhado com o que vi e, principalmente, senti. Não havia pompa nem reticências, apenas simplicidade e singeleza. Havia também trabalho, e apesar de ser muito, nada aparentava dada a alegria e a paz que nesse grupo reinava.

Eram jovens e muitos de todas as idades, sim porque o corpo e a mente quando acompanham a alma na sua essência não têm idade.

Num canto, um grupo de pais, alegres e interessados, participavam de uma animada conversa revendo os melhores caminhos para a harmonia doméstica. Num outro um grupo feliz preparava-se para ganhar outras praças em busca de alimentos e roupas para companheiros em necessidade. Mais à frente, num amplo e harmonioso salão, um ruidoso grupo conseguia afinizar os corações presentes em melodias de júbilo e agradecimento ao criador.

Parecia um sonho, o sonho da fraternidade lançando suas bases na Terra. Ninguém esperando ser puro o suficiente para participar, apenas participavam dando o melhor de si. Que alegria poder ali estar e participar dessa festa. Que alegria, pois numa época em que tanto se fala do mal, de lá, com certeza, ele nem se aproxima.

Os amigos espirituais nos falam que há muitos sonhos assim, sonhados por muitos e em muitos lugares, esse foi apenas um que conheci. Todos os dias e noites, irmãos nossos deixam o abrigo do lar para dividir o abrigo dos seus corações e tudo, tudo isso em nome do amor, em nome da caridade, em nome do Criador pela confiança que o Espiritismo nos traz.

Que belo dia, que boa mensagem de esperança pude vivenciar, só me resta doravante, pedir sempre em minhas orações que o Pai conserve sempre esse sonho vivo, que nunca desperte aqueles que acreditam no poder do amor e que o Cristo no seu sonho de redenção de todos nós continue presente acalentando nossas esperanças.

Humberto Pazian

31/05/2004