Fenômenos mediúnicos na Bíblia

José Reis Chaves

Os estados alterados da consciência são quatro: Beta, de vigília. Alfa, de semiconsciência. Teta, do sono, de inconsciência. E Delta, estado de sono profundo, em que acontecem os sonhos proféticos (mediúnicos) de precognição e retrocognição. O samadi, o sartori, o êxtase (saída de si) e o instase (entrada em si) da meditação transcendental ocorrem em Alfa. Já no transe mediúnico, o médium fica geralmente inconsciente (Teta). Na Bíblia, o profeta-médium é denominado no Hebraico de "Nabi", aquele que quando fala, gesticula ou escreve, está com um espírito. Modernamente, dá-se a isso o nome de fenômeno exógeno (de fora). Se o fenômeno for oriundo do próprio médium, temos o que se chama de fenômeno endógeno (de dentro), que Kardec denominou de animismo. A Igreja está chamando o fenômeno de ouvir vozes de "locução interior", só, pois, endógena. Mas Joel e o Livro de Atos afirmam que Deus enviaria (de fora, exógeno) de seu Espírito a toda carne. Porém não é o Espírito de Deus propriamente dito que é enviado, pois Deus não enviaria a si próprio. E consultemos l Samuel 28, 14, 15 e 16; 1 Samuel 16, 23; 1a Carta de João 4, 1 e 2; 1 Coríntios 12, 10. Além de exógenos os fenômenos dessas citações, eles nos mostram também que não se trata do Espírito Santo. E os anjos bíblicos são espíritos iluminados de pessoas falecidas (Padre François Brune, francês, "Os Mortos Nos Falam"). Aliás, "Gabriel" quer dizer "homem iluminado". O Livro de Atos e as Cartas de Paulo, principalmente 1 Coríntios capítulos 12 e 14, estão repletos de fenômenos mediúnicos. E a Trasnfiguração foi uma verdadeira sessão espírita, sobre a qual o Mestre até pediu sigilo aos apóstolos e médiuns Tiago, Pedro e João, pois isso não era proibido pelo Decálogo, mas o era pela Lei Mosaica (Deuteronômio 18, 11).

O Velho Testamento anunciou a vinda do Messias. O Novo anunciou a do Espírito da Verdade, substituído na Bíblia e na prática pelo Espírito Santo, a partir de sua instituição no Concílio Ecumênico de Constantinopla (381). Mas alguns casos escaparam. E, às Vezes, os teólogos, confusos, ensinam que o Espírito da Verdade é o próprio Jesus, quando se manifestam também outros espíritos. Paulo teve contato com uma visão (espírito) de um homem macedônio (Atos 16, 9). O profeta-médium ("Nabi") João, ao ajoelhar-se aos pés do espírito materializado que lhe ditou o Apocalipse, foi repreendido por ele: "Vê, não faças isso; eu sou um colega teu, dos teus irmãos, os profetas... Adora a Deus" (Apoc. 22, 8 e 9). Não há hermenêutica e exegese bíblicas que nos convençam do contrário dessas verdades incontestáveis.

Os dogmas cristãos que são contrários à Bíblia, um dia acabarão caindo, pois, como nos assegurou o Nazareno, nada ficará oculto!

Autor de "Quando Chega a Verdade", Ed.Martin Claret, entre outros livros. E-mail: escritorchaves@ig.com.br