O cardeal e a PUC Minas

José Reis Chaves

Há matérias que são escritas com o objetivo exclusivo de causar sensacionalismo, mesmo que isso custe denegrir injustamente a imagem de alguém. E, às vezes, esse é o único objetivo de determinadas matérias. Destarte, as vítimas mais freqüentes disso são os políticos e, principalmente, os líderes religiosos, pois estes se tornam alvo fácil de hostilidades por parte de pessoas de preconceito religioso, as quais, também, às vezes, por fanatismo, estão sempre com seus petardos prontos para serem disparados contra os líderes de qualquer religião que não seja a sua, comportamento esse condenado veementemente pela Doutrina Espírita.

E é esse quadro de difamação que se nos apresenta em algumas matérias publicadas por um outro órgão da imprensa desta Capital. Parece-nos clara a intenção de quem as escreveu: difamar o cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo, em vésperas de sua renúncia, por idade, ao cargo de Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte.

Dom Serafim, tanto como quando reitor da PUC Minas, e como Arcebispo atual da nossa Capital, sempre exerceu grande influência nessa renomada universidade, transformando-a numa das maiores da América Latina, a qual conta hoje com cerca de 40.000 alunos e, aproximadamente, uns 3000 funcionários que compõem o seu corpo docente e o pessoal da administração, com várias unidades espalhadas pela Grande BH e algumas cidades do interior.

Formei-me em Comunicação e Expressão na PUC Minas, quando dom Serafim era o seu reitor. E quero dar o meu testemunho de que o clima reinante nela, quando lá eu estudava, era de total liberdade, apesar de ter sido na época do regime militar. E até tive um professor agnóstico e um outro anticlerical.

Dom Serafim é o titular da Arquidiocese de Belo Horizonte, e como tal possui poder legal e soberano sobre essa instituição de ensino superior particular igual a qualquer outra. E é a ele que compete, pois, a nomeação de seus dirigentes máximos. Assim, pois, acaba de nomear como sendo vice-reitor da PUC Minas o seu irmão, o conhecido ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol de Salão, Professor Eustáquio Afonso Araújo, que é também especialista em Odontologia, e atualmente contratado pela Universidade de Saint Louis, nos Estados Unidos.

Trata-se, pois, de uma ação normal de dom Serafim. E somente poderia ele escolher para esse cargo uma pessoa capacitada e de sua inteira confiança, como o é o Professor Eustáquio Araújo, além de ser esse professor uma pessoa honrada e respeitada em todo o Brasil. Mas as pessoas responsáveis pelas citadas matérias estão querendo, ou fingindo que estão querendo ver nesse episódio uma atitude inapelável de nepotismo, o que me parece um exagero.

Estão fazendo uma tempestade num copo d’água, com o objetivo injusto de azucrinar a vida do cardeal e da PUC Minas!

Autor de “A Face Oculta das Religiões” (Ed.Martin Claret), entre outros livros. E-mail: escritorchaves@ig.com.br