O vale de lágrimas

José Reis Chaves

Segundo a Astronomia e a Astrologia, as eras das constelações do Zodíaco duram 2.145 anos. Acabou a Era de Peixes (de Cristo) e começou a nova Era de Aquário (de água). E é oportuno recordamo-nos aqui de que a escassez e o excesso de água fazem-nos sofrer!

Para os deístas, Deus criou o homem, mas o abandonou. Não é bem isso. A Física afirma: "A cada ação corresponde uma reação de igual potência e reversibilidade". Pela Lei da Gravidade, a água corre para baixo. E eu posso fazer um declive para a água correr ou colocar nele a água que corre. Essas ações circunstanciais minhas contribuem com a Lei da Gravidade. Com a lei de causa e efeito ou cármica, que é divina, eu posso também ser a causa direta ou só circunstancial do meu carma bom ou mau, isto é, do meu céu ou do meu inferno, pois, como Deus é perfeição, Ele respeita incondicionalmente nosso livre-arbítrio, não interferindo jamais em nossas ações, que são justamente as que manipulam essa lei cármica. Destarte, nós é que, usando bem ou mal o nosso livre-arbítrio, fazemos o nosso próprio destino. "Colhemos o que tivermos plantado". "A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória". "Na mesma medida com que medirdes, sereis medidos."

A tragédia da Ásia é uma dor imensa para toda a humanidade. São desconhecidas por nós as causas morais ou cármicas dessa tragédia. Mas ela não é um mistério de Deus. Apenas as suas causas devem estar em vidas passadas das vítimas e de seus familiares, quando nós só conhecemos o presente. Não é a toa que Jesus nos proíbe julgar! De uma coisa, porém, temos certeza absoluta: Deus não castiga ninguém, pois Ele é amor (1 João 4,16). E Deus sabe tirar do mal o bem. "Os pensamentos de Deus não são os nossos pensamentos" (Isaias 55,8).

Foram cerca de 300.000 pessoas que morreram. Mas seus espíritos continuam vivos. "Deus não é Deus de mortos, e, sim, de vivos"(Mt 22,32). E, na verdade, as vítimas da "tsunami" apenas nos precederam na passagem para a dimensão espiritual, a dimensão de Deus e de todos nós, também, pois, igualmente, todos nós passaremos para lá. E, um dia, isso será em definitivo, quando não voltaremos mais à Terra (Apoc.3,12),"o vale de lágrimas",da Salve-Rainha, para todos nós, numa vida ou noutra, pois Deus não faz acepção de pessoas! (Atos 10,34).

O teósofo e biblista José Reis Chaves escreve neste espaço às segundas-feiras.