O espírita e o serviço do bem

Rogério Coelho

"Meu Pai trabalha até agora, e eu também."
Jesus. (Jo., 5:17.)

Hibernando ancestralmente na descompromissada, confortável, cômoda e aquecida furna da ignorância, a Humanidade vê-se, agora, na contingência de sair à luta.

Os tempos são chegados!...

Alerta-nos o Espírito de Verdade (1):

"Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a Caridade! Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo do que tiverem esperado. Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: "trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "vinde a mim, todos vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio às vossas rivalidades e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra"! Mas ai daqueles que, por efeito de suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão!...

(...) Deus procede, neste momento, ao censo dos Seus servidores fiéis e já marcou com o dedo aqueles cujo devotamento é apenas aparente, a fim de que não usurpem o salário dos servidores animosos, pois aos que não recuarem diante de suas tarefas é que Ele vai confiar os postos mais difíceis na grande obra da regeneração pelo Espiritismo."

Escreve Suely Schubert (2)

"O tempo, para o trabalhador dedicado ao Cristo é hoje; é agora. Não há tempo para acomodações. Nenhuma desculpa ou dúvida. Há uma ansiedade constante em se aproveitar de forma cada vez melhor o tempo disponível. O valor do minuto que passa é inestimável. A oportunidade perdida não retorna em idêntica condição. Urge contribuir para o bem, realizar alguma coisa, antes que o relógio da Vida assinale os últimos minutos das últimas horas.

Entretanto, não há pressa, embora seja urgente o serviço do Bem.

O Dr. Bezerra de Menezes lega-nos importante advertência: "é urgente mas não apressado."

Por isso, o trabalhador fiel tem paciência ante as dificuldades. Prossegue na sua faina; não cruza os braços; não adota atitude passiva ou acomodada: continua, persevera... Ele sabe que com "Jesus e o tempo não há problema insolúvel."

Resguarda-se na fé e avança, cônscio de que em breve, modificadas as circunstâncias, o problema será solucionado."

Conclama-nos Erasto, discípulo de Paulo (2):

"(...) Ó verdadeiros adeptos do Espiritismo!... Sois os escolhidos de Deus! Ide e pregai a palavra divina. Convosco estão os Espíritos elevados.

Faz-se mister regueis com os vossos suores o terreno onde tendes de semear, porquanto ele não frutificará e não produzirá senão sob os reiterados golpes da enxada e da charrua evangélicas.

Marcha, pois, avante, falange imponente pela tua fé!

Diante de ti os grandes batalhões dos incrédulos se dissiparão, como a bruma da manhã aos primeiros raios do Sol nascente.

A fé é a virtude que desloca montanhas, disse Jesus. Todavia, mais pesados do que as maiores montanhas, jazem depositados nos corações dos homens a impureza e todos os vícios que derivam da impureza. Parti, então, cheios de coragem, para removerdes essa montanha de iniqüidades. Aproxima-se a hora em que a Luz Divina se espargirá entre os dois mundos.

Ide e agradecei a Deus a gloriosa tarefa que Ele vos confiou; mas, atenção! Entre os chamados para o Espiritismo muitos se transviaram; reparai, pois o vosso caminho e segui a verdade."

Para esparzir as sementes de luz na terra sáfara dos corações, faz-se necessário que o trabalhador da Era Nova se assemelhe a um penedo a fim de suportar o embate das marés furiosas dos adversários da Luz, fortalecido na fidelidade Àquele que é o verdadeiro Caminho, a Verdade e a Vida, "não temendo o que nos há de acontecer e perseverando até o fim para receber a coroa da Vida." (4)

... o trabalhador fiel tem paciência ante as dificuldades; não cruza os braços; não adota atitude passiva ou acomodada: continua, persevera... com "Jesus e o tempo não há problema insolúvel."

  1. Kardec, A. in "O Evangelho Segundo o Espiritismo" – Capítulo XX, item 5
  2. Suely C. Schubert in "Testemunhos de Chico Xavier"
  3. Kardec, A. in "O Evangelho Segundo o Espiritismo" – Capítulo XX, item 4
  4. Apocalipse, 2:10

(Jornal Mundo Espírita de Agosto de 1998)