Humanização do Centro Espírita

Orson Peter Carrara

Brilhante iniciativa surgida no Rio de Janeiro pode agora ser acessada por qualquer grupo espírita do país ou mesmo do exterior. A iniciativa surgiu quando se pensou na pedagogia utilizada por Jesus que sempre considerou:

  1. a pessoa humana em seu todo;
  2. o crescimento pessoal pelo esforço próprio e pelo incentivo que encontre entre seus companheiros;
  3. a valorização do contato pessoal do relacionamento na convivência;
  4. a visão integral do ser humano como espírito imortal;
  5. a relação teoria-prática para viver o que ensina;
  6. o homem e a experiência humana;
  7. o sentido transcendente do rico universo de perspectivas do espírito humano.

Colocando-se isso em termos práticos e em síntese, podemos dizer que se trata do calor humano nos relacionamentos, em ambientes que podem ser construídos nas instituições espíritas, ao invés do formalismo de cargos ou da frieza da indiferença. Sim, porque o amigo leitor poderá notar que os itens acima enumerados estão todos diretamente ligados com a fraternidade, com o bem estar e por síntese, com a caridade, índole da própria Doutrina Espírita e do Evangelho de Jesus.

Pois bem, voltemos ao que iniciamos no primeiro parágrafo. A iniciativa surgiu no Rio de Janeiro e recebeu o nome de Projeto Humanizar, inspirada em proposta do Espírito Joanna de Ângelis, através de Divaldo, com a expressão Espiritizar, Qualificar, Humanizar.

Os objetivos são claros: Promover a fraternidade no ambiente doutrinário e entre os grupos espíritas; Espiritualizar o ser humano e promover o bem. Tudo isso através de estudos, seminários e ampla divulgação do tema central. O que se busca é resgatar o ambiente simples, acolhedor e fraterno do próprio espírito do Espiritismo, muitas vezes abalados pelas nossas próprias imperfeições humanas.

Convidamos o leitor para o conhecimento integral da proposta através do site www.gepenet.hpg.ig.com.br ou pelo e-mail gepenet@ig.com.br . Ou por carta para caixa postal 47039 – CEP 21215-971 Rio de Janeiro-RJ.

A iniciativa é do Grupo de Estudo e Pesquisa Espírita – GEPE, que, inclusive, está incentivando a formação de núcleos em diversas regiões e cidades do país, para incentivar que a idéia da fraternidade nos grupos e entre os grupos espalhe-se de maneira integral, para vivermos o Espiritismo em sua proposta original, ao invés de nos perdermos em formalismos, disputas, frieza ou indiferença.

Notem os amigos leitores que as grandes dificuldades vividas pelo movimento espírita (falando em termos gerais) e na realidade de cada instituição em particular, estão centralizadas ou ocasionadas pela ausência da fraternidade, o que naturalmente colide com a própria proposta espírita.

O mais interessante, contudo, é que, embora, tenhamos iniciado a presente matéria indicando o surgimento da proposta surgida no Rio de Janeiro, a idéia estoura em diversos pontos do país, simultaneamente, através de diversos grupos, ainda que com outros nomes. Como a indicar o investimento dos espíritos na valorização do afeto, a iniciar-se entre os próprios espíritas.

Daí a oportunidade da proposta. Queremos convidar-te a conhecer, divulgar e integrar esta proposta moralizadora dentro do próprio movimento espírita que surge em importante e oportuno momento histórico.