Respostas e buscas

Orson Peter Carrara

É natural que os espíritas sejamos indagados sobre a possibilidade de obter mensagens psicografadas de pessoas queridas e que já deixaram o planeta pelo fenômeno biológico da morte. Afinal, os que desconhecem o Espiritismo e com ele simpatizam, respeitando sua existência, quando se vêem separados de seus filhos, de seus pais ou cônjuges, irmãos ou amigos, lembram-se do comentário popular de que os espíritas conversam com os mortos.

Por outro lado, a busca de respostas às aflições humanas, que se multiplicam em ritmo assustador, acabam em muitos casos envolvendo o Espiritismo, já que seus fundamentos e princípios oferecem consolo e orientação. Especialmente para os que sofrem e buscam explicações.

É preciso considerar que não existem mortos. Todos vivem, aqui ou depois da morte. Aqueles que morreram apenas estão agora residindo no plano espiritual, mas conservam sua individualidade (e portanto seu caráter, suas virtudes e defeitos, suas lembranças). E a mediunidade, que não é exclusividade nem privilégio dos espíritas, é o canal de comunicação com estes que costumamos chamar de Espíritos.

Mas, obter mensagens psicografadas não é tarefa tão simples. Há vários itens a considerar antes de se obter uma mensagem. Em primeiro lugar a iniciativa é sempre deles. Não temos como acionar alguém a se comunicar, porque desconhecemos o estado espiritual de quem ora habita o plano espiritual e, por respeito a esse estado, não efetuamos evocações. Oramos sim, mas sem exigir presença para uma manifestação.

Por outro lado, nem sempre o espírito tem autorização para manifestar-se ou está em condições para tal. E para que possa ocorrer uma psicografia, é preciso ainda reunir um ambiente preparado, um médium adequado (com o qual o espírito comunicante consiga a afinidade ideal) e um grupo onde reine harmonia e dedicação entre seus integrantes. É fácil reunir estas condições?

As manifestações autênticas são sempre espontâneas. Como agir, então? Ora, o único caminho é conhecer o assunto, porque tal conhecimento integrará a pessoa ao meio adequado para que uma possível manifestação verbal ou psicografada possa ocorrer. E aguardar, com calma. Orar em favor daquele que se espera notícia, eliminando ansiedades e expectativas que a nada levam.

Um detalhe, porém, é fundamental: evite buscar informações com médiuns que garantem e prometem mensagens. Isto é absurdo. As mensagens surgirão no momento oportuno, mas ninguém pode garantir ou prometer que surgirão. E muito menos cobrar por tais mensagens ou fazer sensacionalismo com quem já partiu. Cuidado, apenas, com charlatães e enganadores.

Para os que buscam respostas o caminho é o mesmo. Estudar o Espiritismo traz luz ao raciocínio pela clareza dos argumentos e orientações que o Espiritismo apresenta.