As Alegrias da Alma

Valdomiro Halvei Barcellos

Se fostes contemplado com a ‘alegria e com a tristeza’, ‘desgraça e triunfo’: trates da ‘mesma forma a esses dois impostores...’ aprendi nos arraiais espíritas que certa vez Chico teria pedido a Emmanuel que trouxesse para ele uma mensagem do Espírito Maria: No que fora atendido com o ensinamento seguinte: Isso também passa. Com a explicação do Espírito Guia, Emmanuel, de que assim quando estivesse triste, sofrendo lembrasse de que era passageiro e de que quando estivesse alegre, também; assim manteria sempre o estado de equilíbrio...

Presenteado com as informações e os princípios Espíritas; Espírita deve ser o teu proceder não importando a queda, os abusos, as desgraças, os percalços; Espírita deve ser a tua reação ante esses acontecimentos e fatos momentosos.

Com o pensamento e conduta Otimistas, colhendo ensinamentos dessas experiências, tenhas sempre em Mente que se ‘a cada dia cabe o seu mal’, a cada dia cabe o seu Bem, faze o bem e siga, intimorato, feliz! 13 Dez 02. (Um Amigo).

A Psicologia Espírita vem clarificar as ações que convenientemente foram taxadas de “pecados”, pela religião oficial, considerando-as como desajustes, neuroses ou desequilíbrios íntimos. Precisam mais de auto-análise, reparação e tratamento do que de condenação, repressão ou castigo.

É um ato de auto-agressão viver a vida nos termos estabelecidos pela aprovação alheia. “Para vivermos bem com nós mesmos, é preciso estabelecer padrões de auto-respeito, aprendendo a dizer ‘não sei’, ‘não compreendo’, ‘não concordo’ e ‘não me importo’”.

As atitudes costumeiras de santarrão ou santarrona, buscando uma atmosfera virtuosa e de ser admirada e sempre aceitos deve-se ao papel que representam incessantemente de satisfazer e de contentar a todos, em quaisquer circunstâncias.

Por trás de todo o ato de crueldade sempre existe um pedido de socorro.

Nunca nos esqueçamos de que a vida sempre agirá em nosso benefício, quer nos setores da solidão, quer nos de muitas companhias, ou seja, entre encontros, desencontros e reencontros. Todo sofrimento é um ato importantíssimo de conhecimento e aprendizagem.

Poderemos agir no processo de formação e progresso das criaturas, nunca forçar o processo ou criticar o seu andamento.

Nada é inútil no Universo. Todos estamos progredindo e crescendo, ainda que, algumas vezes, não nos apercebamos disso.

Dizem os Benfeitores Espirituais que a missão primordial das almas é a de melhorarem-se pessoalmente e, além disso, concorrerem para a harmonia do Universo, executando as vontades de Deus.

Não forçar, não censurar, não impor nada a ninguém, não apresentar soluções, somente a “Virtude Oposta”.

Fazer aos outros seguros e felizes é missão impossível de realizar. Não seria mais fácil se cada um de nós conquistasse sua felicidade para que depois pudesse desfrutá-la, convivendo com alguém que também a conquistou por si mesmo?

Inspirado no Livro as Dores da Alma, de Francisco do Espírito Santo Neto/Hammed, Boa Nova Editora.