Caridade: a melhor ginástica para o coração

Jornal Verdade e Luz de Julho de 2001

Atualmente, tem sido expressiva a corrida de pessoas às academias de ginástica.

Pesquisas recentes sobre o mercado de saúde, revelam que cresce dia-a-dia o interesse do público em relação à busca de meios para se evitar males do corpo, preservar a saúde e, conseqüentemente, prolongar a vida.

Nada mais louvável que isto esteja ocorrendo. É preciso valorizar o corpo pois, é, através dele que o espírito se conduz no plano corpóreo, dando cumprimento a uma das leis naturais: a reencarnação.

Entretanto, ao lado dos cuidados com a saúde física, devemos também nos preocupar com a saúde da alma - e isto necessariamente envolve os nossos sentimentos.

Feliz foi a iniciativa da equipe ministerial do então Presidente da República, Mal. Humberto Castelo Branco, ao propor o dia 19 de julho - o “Dia da Caridade”, cuja efetivação se deu por um decreto oficial assinado pelo Presidente.

Pena que esta data seja pouco conhecida pela maior parte da população brasileira e que nada tenha sido feito no sentido de comemoração ou alguma coisa para evidenciá-la.

Esta é, para o meio espírita, uma excelente oportunidade de passar ao grande público o verdadeiro sentido de caridade, de acordo com o conceito de Jesus, segundo S. Vicente de Paulo (questão 886 - de O Livro dos Espíritos): “Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheias, perdão das ofensas”.

Diante dessa abrangência a respeito da caridade, fica mais fácil compreender porque Allan Kardec insistiu na máxima “Fora da caridade não há salvação”.

Ao se tornar benevolente, indulgente e ser estimulado a perdoar, vai aos poucos, morrendo o homem velho, dando surgimento ao homem novo, com o qual poder-se-á redesenhar um novo perfil para o habitante da Terra.

Pense Nisso. Pense Agora

(Jornal Verdade e Luz Nº 186 de Julho de 2001)