Chico Xavier - O Médium do Século

Carlos A. Baccelli

de Uberaba, MG

No dia 2 de abril, Chico completou 90 primaveras. Tendo nascido em 1910, na cidade de Pedro Leopoldo, Minas, Chico praticamente atravessou o século, sem dúvida, como um dos maiores fenômenos mediúnicos de todos os tempos. As suas obras e os seus exemplos mudaram os rumos do Movimento Espírita. Ele tem sido o autêntico líder - sem que, no entanto, nunca o quisesse ser - dos já numerosos adeptos da Terceira Revelação.

Na pesquisa bibliográfica levada a efeito pelas Organizações Candeia, dentre os dez considerados melhores livros espíritas do século, sete são da lavra mediúnica de Chico Xavier: Nosso Lar, o mais votado dentre todos, Paulo e Estevão, Parnaso de Além Túmulo, A Caminho da Luz, Há 2000 anos…, Evolução em Dois Mundos e Missionários da Luz. Os outros 3 da referida lista são os excelentes: O Problema do Ser, do Destino e da Dor, de Léon Denis, Memórias de Um Suicida, psicografado por Yvonne A. Pereira e O Espírito e o Tempo, de autoria de Herculano Pires.

Aproveitaríamos, no entanto, o ensejo do convite que nos foi gentilmente formulado pelas Organizações Candeia para tecer estas breves considerações e alertar a nova geração de seguidores do Espiritismo (e aqui incluímos os seus modernos divulgadores) no sentido de não permitirem que as obras mediúnicas de Chico Xavier caiam no esquecimento, de vez que se constituem, todas elas, no complemento autêntico das obras da Codificação; que se incentivem os novos títulos, mediúnicos ou não, mas que se proclame que, depois de Allan Kardec, Chico Xavier é o autor dos livros que mais popularizaram a Doutrina, no Brasil e no mundo - dos livros e da vivência que dele fizeram, em nosso País, um dos homens mais respeitados no século que o viu nascer. Os livros de Chico, em sua qualidade doutrinária e em seu número - mais de 400, com cerca de 20 milhões de exemplares vendidos - somente são superados pelas suas atitudes de homem de bem - se imitável na condição de médium, insuperável na sua vida repleta de bênçãos!

Falar em Chico Xavier e divulgá-lo é difundir a Mensagem Espírita no que ela possui de mais puro e melhor. Isto não é idolatria. Conforme podemos ler nas páginas do Novo Testamento, "a quem honra, honrai!" Ele é o apóstolo que todas as religiões estimariam ter em suas fileiras, porquanto raros, como ele, têm sido capazes de arrebatar multidões.

Em Uberaba, ao completar 90 anos de profícua e laboriosa existência, à medida que se lhe declinam as forças físicas, mais se lhe esplendora o espírito, permanecendo intocado a toda e qualquer artimanha das trevas.

Enquanto o Movimento Espírita Brasileiro se deixar inspirar pelos livros e pelos feitos de Chico Xavier - O Médium do Século -, e as suas lideranças não se afastarem de seus exemplos de humildade e de serviço desinteressado à causa, continuaremos alimentando a esperança de que, um dia, o Brasil seja, de fato, o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho!…

(Transcrito do boletim de divulgação das Organizações Candeia, ano I, n.° 3 - abril/2000)

(Jornal Verdade e Luz Nº 173 de Junho de 2000)