Receita para marido infiel

Orson Peter Carrara

de Mineiros do Tietê, SP

A Sr.ª estava desesperada com o comportamento e traição do marido, que muito a fazia sofrer. Anos de ternura e carinho, dedicação ameaçados pela intromissão de outra mulher na vida do casal. Sentia-se aturdida, pensando ora em vingança, ora em suicídio, ora em abandono, mas muito bem amparada pelas próprias virtudes de mulher dedicada à família, resolveu procurar aquele Sr. respeitado e conhecido de todos na cidade. Abriu o coração, falou de seus dramas ...

O bom homem ouviu serenamente, explicou-lhe os fundamentos da Doutrina Espírita, inclusive quanto aos objetivos (pois que ela ali fora, esperando encontrar solução imediata pois essa era a idéia que tinha dos espíritas). Falou-lhe também que o Espiritismo fornece os recursos para a conquista da paz, considerando o caso banal, fácil de ser resolvido, mas que prestasse muita atenção na receita que lhe forneceria. E em breves palavras, receitou, para que fosse amada e respeitada novamente pelo marido: QUE TIVESSE PACIÊNCIA! E que não se admirasse, mas tivesse sim MUITA PACIÊNCIA ...

E completou: "Mas não julgues, minha filha, que ser paciente é ficar de braços cruzados, em completa inação. Não, isso é ser preguiçosa! Deves ter paciência para com teu esposo, no sentido de o tratares com o mesmo carinho, a mesma ternura, meiguice, solicitude e desvelo de sempre, procurando ocultar-lhe a sua desdita, mostrando desconheceres a sua infidelidade, perdoando-lhe de coração a falta, esquecendo-a, não o recriminando, nem censurando ou criticando-lhe o gesto, não o ridicularizando, e antes, dando-lhe sempre o teu sorriso afável de esposa - superior - dedicada e terna. E verás, então, que ele se enfartará dos desregramentos, atentará no comportamento exemplar e no teu nobre e belo exemplo, nessa preponderante lição com a qual será tocado e se arrependerá , envergonhando-se do seu próprio erro e ... fechando, para sempre, o seu novo caso".

E havia tanta convicção e ternura naquelas palavras, que a pobre senhora sentiu reanimarem suas forças, deixando aquele local profundamente emocionada e convicta da eficiência dos métodos ditados por aquele ancião verdadeiramente cristão, resolvida a pôr em prática, ainda que a custa de muitos esforços, os conselhos recebidos.

Passados alguns meses, eis que retorna a Sr.ª à presença daquele homem. Desta vez, sorridente, jovial, com grande contentamento na alma e falou: "Agora venho para agradecer o bem que me fez ! Seus conselhos salvaram-me da desgraça, da corrupção, do abismo que estive prestes a cair. Observei, à risca, seus conselhos, e posso dizer agora, sem constrangimento, que os ensinamentos espíritas que me ministrou fizeram o verdadeiro milagre da volta da paz, da confiança, da alegria, da harmonia e do amor em meu lar. Seguindo-os, suportei com resignação e paciência as minhas mágoas, e sofri, sem murmurar, as minhas provas. Há poucos dias, porém, meu marido, saindo às horas de costume - para encontrar-se com ela -, voltou momentos após, demonstrando grande inquietação e nervosismo. Recolheu-se ao quarto, e uma vez lá dentro, começou a andar de um lado para outro, articulando frases, gesticulando com angústia. Ocultamente, aproximei-me da porta e pude ouvir: — Mulher infame, falsa, infiel! Eu que tudo sacrifiquei por ti; que abandonei a placidez de meu sagrado lar, roubando criminosamente a paz de minha esposa querida; eu que lhe tenho negado o carinho, a atenção, e ela tem sofrido tudo, sem nada exigir, sem me condenar, sequer; eu que por ti, mulher desalmada, tenho sacrificado dinheiro, reputação, tudo ... e agora me enxovalhas com a mais ignominiosa de todas as infidelidades! Não te quero mais! Nunca mais! Viverei doravante inteiramente para o amor de minha esposa!". Não imagina o Senhor o quanto me senti feliz e recompensada naquele momento. Hoje meu marido se recupera da queda moral, procura me tratar bem, voltou-se novamente para mim, para minha felicidade. Graças ao Senhor!

E o bom homem, concluiu: "Nada tens a me agradecer, Sra. senão a Jesus, que me fez intermediário de sua graça!"

O caso acima relatado, que tanto pode servir para homem ou para mulher, retrata o comportamento cristão de um homem lúcido, ANTÔNIO GONÇALVES DA SILVA, o Batuíra, importante figura espírita de São Paulo, que o leitor pode conhecer na íntegra, conhecendo inclusive outros casos semelhantes a este - de muita sabedoria e suavidade, mostrando a coragem e determinação de um verdadeiro cristão, está no livro biográfico BATUÍRA - VERDADE E LUZ, do amigo EDUARDO CARVALHO MONTEIRO, edição da LÚMEN EDITORIAL, Fone (0 XX 11) 270 1353). O livro, recém-lançado traz casos lindos de expressão cristã e o leitor muito ganhará lendo esta belíssima obra.

(Jornal Verdade e Luz Nº 165 Outubro de 1999)