Só o bem vale a pena

Joanira Necas Soares

de Ribeirão Preto, SP

Imprescindível é o socorro necessário no momento oportuno. Nada substitui a palavra de conforto, o socorro material e a alegria de sentir-se amado, valorizado, o que, às vezes, no imperativo da dor, nos chega como alento divino. É a solidariedade, esse sentimento humano que tem um quê de divinal, vertendo do mais alto, edificando todos os que despertaram para a compreensão da fraternidade universal.

Somos essência eterna, perfectível e desenvolvemos nossas potencialidades em caminhar indefinido. Estruturando-nos enquanto seres psíquicos, nesse desenrolar de ações, nos vemos, muitas vezes, em situação de extrema dor e nesses instantes nos sentimos totalmente fragilizados; é reconfortante sermos o alvo de uma ação beneficente em nossos momentos de provações, não há ninguém que não valorize a ação do bem em sua vida. O bem traz sempre uma energia positiva que elimina o desalento, a dor, o ódio, o egoísmo.

Solidariedade é bem em transfusão completa de coração para coração, ela é a arma mais potente capaz de atingir o alvo certo das incompreensões e desequilíbrios que assolam a sociedade. Nada mais lícito que no uso de nossas atribuições intelectivas estejamos atentos e procuremos desenvolver um processo de solidariedade com a vida, no que há de mais complexo e no que há de mais simples. No entanto é necessário também respeitarmos os nossos limites, nossas habilidades e competências; porém, no que diz respeito a nossas habilidades e competência, é de nossa responsabilidade.

Sempre é tempo de estendermos uma mão amiga a uma pessoa necessitada e toda hora é hora de praticarmos um gesto de solidariedade. Quando o mundo compreender isso se encurtarão em breve espaço de tempo todas as distâncias sociais e todas as dores serão minimizadas.

Sonho? Utopia?

Não para quem acredita na vida, na capacidade do homem de modificar a si mesmo e na certeza de que só o bem vale a pena.

(Jornal Verdade e Luz Nº 180 de Janeiro de 2001)