Vinícius

Domério de Oliveira

de São Paulo, SP

Quando de minha última palestra, na nossa FEESP, gentil Confreira, que sempre acompanha meus passos, no campo da Doutrina, perguntou-me se tive oportunidade de conhecer pessoalmente nosso Valoroso Vinícius. Passo a responder, valendo-me desta simples crônica, traçando, resumidamente, a biografia deste nosso Emérito Evangelizador. Para os amigos que já conhecem Vinícius, vamos juntos recordar e para os que não o conheceram, então, terão oportunidade de tomar ciência de um Vulto Extraordinário que tanto engrandeceu a nossa doutrina. Prezada Confreira, em 1948, quando cursávamos o primeiro ano de Direito, na nossa Velha Academia do Largo de São Francisco, SP, tivemos o prazer de ouvir as palestras evangélicas do nosso Magnífico Vinícius. Aos domingos, às dez horas da manhã, na antiga sede da FEESP, nosso Vinícius ocupava a Tribuna e nos encantava com o Poder das suas Palavras. De preferência, sempre desenvolvia Temas Evangélicos. Sim, meus amigos, Vinícius foi, a meu ver, o Maior Pregador do Evangelho em nossas plagas. No campo da Evangelização, Vinícius poderá ser sucedido, mas jamais poderá ser substituído. Quando o conheci, Vinícius já era um cidadão de cabelos brancos, de porte mediano, e ao falar revelava aquele sotaque piracicabano, mas, o seu português, tanto ao falar, como ao escrever, sempre foi irreprochável. Gostava de usar terno branco e gravatinha borboleta colorida. Quando falava, pausadamente, tinha o poder carismático de chamar para si todos os olhares e todas as atenções. Conhecia profundamente o Evangelho em todos os seus mínimos detalhes. Prezada Confreira, Vinícius chamava-se Pedro de Camargo e nasceu em Piracicaba, SP, no dia 7 de maio de 1878 e desencarnou em São Paulo, no dia 11 de outubro de 1966. Alcançou uma idade provecta e teve sua vida praticamente voltada às Luzes do Evangelho.

Aos vinte e sete anos, ainda, não era Espírita, mas simpático ao Protestantismo. Converteu-se ao Espiritismo no ano de 1905, levado pelo seu amigo João Leão Pitta. Sim, também, nos lembramos do velho Leão Pitta, Português de Nascimento e Eminente Pregador da Doutrina Espírita. Leão Pitta usava longas barbas e foi colaborador do nosso querido - Cairbar Schutel da cidade de Matão, SP. Relacionando-se com João Leão Pitta, Vinícius interessou-se por Kardec e muito especialmente pelo Evangelho Segundo o Espiritismo. Após sério amadurecimento, pelas leituras das obras de Kardec. Vinícius tornou-se um Espírita Convicto e passou a freqüentar núcleos espíritas lá onde morava, em Piracicaba. Pedro de Camargo, (Vinícius), começou a fazer suas exposições para poucas pessoas e passou a escrever comentários evangélicos para o "Reformador", Jornal da Federação Espírita Brasileira. Foi, então, que adotou o pseudônimo "Vinícius", pelo qual veio a ser conhecido em todo o Brasil. Sim, meus amigos, podemos dizer, com absoluta segurança, que Vinícius foi o maior Expositor do Evangelho à Luz do Espiritismo, no Brasil, em todos os tempos. Sua Palavra era clara, objetiva e suas idéias se encadeavam perfeitamente, como já dissemos, conhecia profundamente o Evangelho e do mesmo, com maestria, sempre extraía conceitos e conselhos úteis para o homem atual, para a época atual. Vinícius dava vida às palavras do Evangelho e, com entusiasmo, revivia as Parábolas e era simplesmente empolgante. Nestas condições, como Evangelizador, conquistou para o Espiritismo milhares e milhares de pessoas. Vinícius sempre estimulou a Evangelização Infantil. Além de grande Orador, Viníicus foi também Escritor. Mas, podemos dizer, que o Vinícius Orador, superou o Vinícius Escritor. Da sua lavra brotaram as seguintes obras, todas seguindo a mesma "via-vitae" do Mestre Jesus. Vejamos:

1 - "Na Escola do Mestre";

2 - "Na Seara do Mestre";

3 - "Nas Pegadas do Mestre";

4 - "Em Torno do Mestre";

5 - "O Mestre na Educação"

Em todos os seus Livros, Vinícius revela-se um Legítimo Pedagogo. É o que afirmam suas numerosas obras e teses magistrais, girando os assuntos, invariavelmente, em torno de uma idéia central que é o esclarecimento, a formação moral e espiritual de sus semelhantes.

No seu Formoso Livro "Em Torno do Mestre" - 4.ª edição da FEB - 1979 - fls. 59, Vinícius deixa-nos gravadas palavras de grande valia:

"Para ser Cristão, é preciso coragem, ânimo forte, atitude varonil. "Seja o teu falar: sim, sim; não, não". Não há lugar para composturas dúbias, indecisas, oscilantes. O Crente em Cristo deve possuir convicção inabalável, têmpera rija, caráter positivo e franco".

Nosso Irmão Vinícius, em sua última romagem física, vivenciou suas próprias palavras que, agora, usamos para o remate desta crônica. Vinícius pregou e exemplificou o Evangelho, merece, portanto, ser lembrando, sempre lembrado, com toda nossa gratidão, pelo muito que fez pela nossa Doutrina, colocando-a lá no alto, como Flor de Ponta de Galho.

(Jornal Verdade e Luz Nº 182 de Março de 2001)