Rubens Costa Romanelli

Fidélis Chamone Jorge

Nasceu aos 17 de setembro, na cidade de Divinópolis, Estado de Minas Gerais. Foi o quinto dentre seis filhos do primeiro casamento de Osório Viana Romanelli com Lívia Costa Romanelli. De família medianamente numerosa, teve cinco irmãos: Laura, Iracy, Jandira, Oswaldo e Djalma.

Seu pai casa-se pela segunda vez com Dona Elisa e dá-lhe mais quatro irmãos: José, Osório, Marta e Beatriz. Rubens C. Romanelli casa-se em 1943 com Dona Alda, de quem lhe nasceram três filhas: Lívia, Lilavate e Liliane. Em 1968, celebra núpcias com Otaíza, que lhe deu duas filhas: Juliana e Elisa.

Órfão de mãe, ainda muito criança, e em virtude das constantes mudanças de domicílio de seu pai, não pôde concluir o curso primário iniciado em Belo Horizonte.

Aos 11 anos de idade começou a trabalhar em Ibiá (M.G.), nas oficinas da antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas e três anos mais tarde, transfere-se com seus familiares para Araxá (M.G.), onde foi trabalhar como ajudante de carpinteiro e de marceneiro.

Aos dezessete anos, passou a trabalhar como contínuo nos escritórios daquela ferrovia. Após aprender datilografia, passou para o cargo de Auxiliar de Escrita. Aos vinte e um anos de idade foi transferido para os escritórios centrais da Estrada de Ferro, em Belo Horizonte.

Aos 22 anos, fez em 6 meses, o curso de madureza (o então artigo 91) e, submetendo-se a exames, foi aprovado para a 4a. série ginasial e, no ano seguinte, para a 5a. série. A essa altura, já lecionava Português e Matemática no estabelecimento de ensino onde iniciara seus estudos. Conclui, aos 26 anos, o curso secundário, e verificada sua acentuada vocação para o magistério, matricula-se após os exames vestibulares no Curso de Letras da Faculdade de Filosofia de Minas Gerais, onde, durante dois anos, foi Monitor de Língua Grega. Pela mesma Faculdade, diplomou-se como Bacharel em Letras Clássicas e, um ano mais tarde, como Licenciado.

Desde 1944, foi professor de Latim e Português, em vários educandários de Belo Horizonte, entre os quais o Colégio Estadual e o Instituto de Educação de Minas Gerais. Neste último foi Titular, por concurso, da Cadeira de Língua Latina. Em 1963 obteve, através de defesa de tese, de concurso público de provas e de títulos, o grau de Doutor em Letras e o de Livre Docente da Cadeira de Língua Latina da Faculdade de Filosofia da Universidade de Minas Gerais. Por indicação de seus colegas foi nomeado Diretor do Instituto de Humanidades da Faculdade de Filosofia, dessa Universidade.

Enumeram-se pelo menos 13 Cursos de Especialização e Aperfeiçoamento feitos em França (Paris), no período de 1966 a 1975, seja na "École des Hautes Études" (Sorbonne) com os Professores Emile Benveniste, Jacques André, Françoise Bader, Michel Lejeune; seja no Collège de France (Paris) com o Prof. Emmanuel Laroche.

Os Cursos enumerados, a seguir, demonstram a aguçada curiosidade do Mestre Romanelli, no que concerne às letras indo-européias:

Curso de Gramática Comparada das Línguas Indo-Européias;

Cursos de Filologia Latina (Lexiologia Latina, Crítica de Textos, Questions de Vocabulaire e Critique Textuelle et Questions Pratiques d'Edition);

Cursos de Gramática Comparada das Línguas Indo-Européias (Problème de Morphologie et de Syntaxe Verbales en Indo-Européen, Problème de Dérivation et Composition Nominales en Grec, Morphologie du Verbe Italique, Linguistique Italique, Mycénologie-Grego Micênio). Cursos de Língua e Civilização da Ásia Menor (De la Dérivation Nominale en Indo-Européen de l'Anatolie - Hitita e Luvita, Recherches sur l'Histoire et la Langue Lyciennes).

Incluem-se, também, Cursos de Extensão Universitária, a saber: Semana de Estudos Bilaquianos e Euclidianos, em 1966; Problèmes et Méthodes Actuelles de la Stylistique, ministrado pelo Prof. Pierre Guiraud, da Sorbonne, na Faculdade de Letras da UFMG, em 1966; 1° Seminário de Lingüística, realizado na Faculdade de Letras da UFMG, em 1967; II Semana da Pesquisa na UFMG, promovida pelos Conselhos de Pesquisa e Extensão da mesma Universidade, em 1971.

Dentre as atividades extracurriculares releva registrar que fez várias conferências de interesse universitário como "O Sânscrito no Quadro das Línguas Indo-Européias", proferida na Faculdade de Letras da UFMG, no dia 25/09/69, durante a 1ª Semana de Estudos Hindus. Na qualidade de Delegado da Faculdade de Filosofia da UFMG, participou do 1° Congresso de Cultura Greco-Latina, realizado em São Paulo, em 1958.

Viajou pela Europa, pronunciando inúmeras conferências, a convite, acerca de temas filosóficos, científicos e religiosos. Não só honrou as letras européias, mas também as brasileiras. Peregrinou por quase todas as capitais do Brasil e por incontáveis cidades do interior do País.

Ninguém há de duvidar de que vasta é sua obra. Sobejam-lhe publicações em livros, opúsculos, jornais e revistas.

Veja os "abstracts" de sua OBRA LITERÁRIA.

Rubens Costa Romanelli exerceu nada menos que 22 cargos e funções, a saber:

Presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Filosofia de MG, de 1942/43;

Membro Efetivo do Conselho Estadual de Educação da Campanha Nacional dos Educandários da Comunidade (CNEC), de 1963/68;

Diretor do Instituto de Humanidades da Faculdade de Filosofia da UFMG, de 1964/68;

Revisor da redação do "Diagnóstico da Economia Mineira", obra em 5 volumes elaborada pelos técnicos do Banco do Desenvolvimento de Minas Gerais, para ser apresentaddo ao Exmo. Sr. Presidente da República, em 1967;

Diretor Executivo do Conselho de Extensão da UFMG, de jan. de 1969/jan. 1972;

Membro Efetivo da Coordenação de Ensino e Pesquisa da UFMG, de jan. de 1969/jan. de 1972;

Membro do Júri para julgamento das obras de erudição concorrentes ao prêmio "Cidade de Belo Horizonte", instituído pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, em 1972;

Presidente da Comissão para implantação do Curso de Pós-Graduação em Letras da UFMG, de março de 1972/março de 1973;

Membro da Comissão Verificadora, para efeito de reconhecimento, da Faculdade de Ciências e Letras "Teresa Martin", com sede em São Paulo; da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Formiga (MG) e do Instituto Granbery de Juiz de Fora;

Diretor Geral do VI e VII Festivais de Inverno, promoção cultural da UFMG, realizada em Ouro Preto e outras cidades históricas de Minas Gerais, de 1° a 31 de julho de 1972, respectivamente;

Membro Efetivo do Conselho de Graduação da UFMG, de nov. de 1972/1973;

Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Letras da UFMG, de abril a outubro de 1973;

Presidente da Associação de Estudos Clássicos do Brasil (Secção de Belo Horizonte);

Membro Efetivo do Conselho Curador do Palácio das Artes, nomeado de uma lista tríplice apresentada ao Exmo. Governador do Estado de Minas Gerais, pelo Magnífico Reitor da UFMG, a partir de 1970;

Chefe do Setor de Língua Latina do Departamento de Letras Clássicas da Faculdade de Letras da UFMG, a partir de março de 1972;

Diretor da Revista PHASIS, da Faculdade de Letras da UFMG;

Membro do Núcleo de Assessoramento à Pesquisa da Faculdade de Letras da UFMG;

Vice-Presidente da Fundação de Educação Artística de Minas Gerais, a partir de 1975;

Membro da Associação de Estudos Clássicos do Brasil, filiada à Féderation International des Études Classiques, com sede em Paris;

Membro Efetivo da Associação Brasileira de Lingüística, com sede no Rio de Janeiro.

Dentre os Títulos Honoríficos, Rubens Costa Romanelli fez juz a quatro Prêmios, a uma Condecoração e a três Distinções e Honrarias, perfazendo um total de oito títulos honrosos, a saber:

Prêmio de Filologia "João Ribeiro", conferido pela Academia Brasileira de Letras, em 1964;

Acadêmico Austregésilo de Athayde (1898-1993) cumprimentando o Prof. Romanelli.

Prêmio de Erudição "Cidade de Belo Horizonte", outorgado pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, em 1964;

Dois Prêmios de Erudição "Pandiá Calógeras", conferidos pela Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, em 1965 e 1966, respectivamente;

"Medalha de Honra da Inconfidência", concedida pelo Governo do Estado de Minas Gerais, em Ouro Preto, nas solenidades de 21 de abril de 1972;

Troféu "Professor do Ano" (1964), concedido por motivo de concurso feito entre universitários da capital sobre "Os dez mais da Cultura", por iniciativa do Jornal "Correio de Minas";

Focalizado, por efeito de pesquisa pública, no programa da TV-ITACOLOMI - "Esta é a sua Vida", no ano de 1961;

"Pergaminho do Mérito", título outorgado pela Reitoria da UFMG, em virtude de ter sido eleito "Professor Padrão" da Faculdade de Letras, em eleição realizada entre seus pares, na referida Faculdade, em outubro de 1972.

Conheça um pouco sobre seus últimos dias, nesta dimensão da vida, em CRÔNICA.

Excertos do livro: "O Primado do Espírito" de Rubens C. Romanelli, 3a. edição ampliada, 1965, Editora Síntese Ltda., Divinópolis - MG, e, de CRÔNICA: "Rubens Costa Romanelli, sábio e virtuoso" de autoria de Fidélis Chamone Jorge, In: "Ensaios de Literatura e Filologia" No. 4, Publicações do Departamento de Letras Clássicas da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (1983/1984).