Mais leitura no Centro Espírita

03/01/2002 - O que fazer para que os companheiros dos centros espíritas leiam mais?

Sua preocupação é digna de elogios, pois é preciso fazer com que os espíritas leiam mais e estudem muito mais. Tudo que puder ser feito é elogiável, como sorteio de livros com o compromisso da pessoa relatar o que leu.

Incentivo constante para que as pessoas leiam. Exemplos dos dirigentes mostrando que são bons leitores. Indicação de obras doutrinárias de valor. Criação de Bibliotecas Circulantes, para empréstimos e muitas outras coisas. Infelizmente a maioria dos livros que são lidos pelos espíritas são os romances. Existem romances de qualidade, mas uma grande parte não tem qualidade de enredo, descritiva e muito menos doutrinárias. Entre os leitores há os que lêem muito mal e não retém na memória o que lêem, ou não entendem.

Ensinar como podemos ler melhor e aproveitar a leitura é uma boa iniciativa. Uma prática saudável é a criação de grupos de estudos para as obras básicas e outras dignas de serem denominadas complementares, como as de Leon Denis, Gabriel Delane, Camile Flamarion e vários títulos de Chico Xavier, Herculano Pires, Deolindo Amorim, Carlos Imbassahy e outros. Poderíamos citar os Clubes do Livro, mas eles estão descaracterizado, pois, com algumas exceções, compram o produto mais barato e dão preferência esmagadora aos romances mediúnicos.

O fato de um livro ser mediúnico não é garantia de qualidade. Fazer palestras sobre livros que lemos, é também, uma boa iniciativa de incentivo à leitura.