Espancamento de filhos

05/11/2002 - Por que pais que parecem amar os seus filhos, espanca-os até ao ponto de aleijá-los ou mesmo matá-los? Será que são inimigos de vidas passadas?

Prezada J. Cremos que a mesma perplexidade que a toma de súbito, também acontece conosco e com todas as pessoas de bom senso. Existem vários motivos para que isto aconteça. Dentre elas destaca-se desequilíbrios psíquicos.

Há pessoas que são verdadeiros psicopatas. Existe aqueles que levam uma vida de humilhações nas ruas ou no emprego, por isso tentam se impor em casa para descontar um pouco das suas frustrações.

Um outro motivo, que acontece com algumas pessoas, é o fato de terem sido espancadas quando crianças, acabam se transformando em espancadores. Pode acontecer de em alguns casos a inimizade do passado seja tão forte que altere o relacionamento do presente. Mas ouça bem, estamos dizendo que isto é raro.

Existem dois principais motivos para as inimizades do passado não predomina no presente: 1º o instinto maternal e o paternal que é muito forte. Em 2º lugar o esquecimento do passado.

Todos nós, ao reencarnarmos, passamos por essa lei que determina o esquecimento, para que a reencarnação se dê de forma tranqüila.

O fato de reencarnarmos juntos demonstra a nossa necessidade de progredirmos juntos. Com certeza na maioria dos casos de espancamento, o espancador, seja o pai, mãe, tio, irmão, é, com certeza, uma pessoa doente, quase sempre covarde, pois é comum o espaçamento de crianças pequenas e até de berço, incapazes de se defender.

Pais espancadores, seja qual for a razão, devem submeter-se a tratamento psicológico e também desobsessivo. Quanto ao amor que os espancadores dizem ter, precisa ser revisto. O amor não agride, não machuca, não mata.