Cristianismo e reencarnação

26/05/2003 - Eu gostaria de saber se é verdade que no início do Cristianismo (a chamada Igreja Primitiva) acreditava-se em reencarnação e quando deixaram de acreditar.

Os grandes pais da igreja, como Origines, eram reencarnacionistas.

A igreja aceitou e pregou a reencarnação até que um concílio em quinhentos e pouco, o baniu da igreja. Há quem diga, mas não temos provas, que a reencarnação foi banida a pedido de uma imperatriz, Theodora, ou Theodósia, que por ter uma vida de luxo e maldades de todas as ordens, temia ter que reencarnar pobre ou escrava, ou doente.

Não existem, ao que saibamos, documentos que provem isto. Jesus afirmou que João era Elias, e só podia ser reencarnado. Disse a Nicodemus que, quem não nascesse de novo não poderia ver o Reino de Deus.

Não admoestou os discípulos quando perguntaram se foi o homem cego ou seus pais que pecou para que ele fosse cego, portanto, se ele tinha possibilidade de pecar antes de nascer, só poderia ser em outra vida. O Cristianismo primitivo era sim, reencarnacionista, como era pneumático (depneuma, igual a sopro – espírito), ou mediúnico, e foi apenas com a instituição da Igreja Católica Apostólica Romana, no 4º século, que essas idéias foram retiradas da Doutrina Cristã.