Caridade

17/03/2003 - Me considero uma pessoa boa, faço as coisas tudo com consciência tranqüila, sou voluntária em um orfanato, ajudo todos que me pedem ajuda, rezo bastante, mas o problema é o seguinte as vezes acho que faço isto para que os outros me considere como boazinha. Penso: há se eu fizer isto eles pensarão, ah ela é legal, ela é boa, mas penso, só depois que eu faço, não na hora, na hora é de todo coração, só depois vem este pensamento ridículo, que eu não gosto, porque será que eu penso assim? Ajudem-me, acho-me um pouco hipócrita.

Você está sendo excessivamente rigorosa consigo mesma.

Se os atos caritativos realizados lhe dão satisfação, não permita que depois pensamentos negativos venham lhe trazer infelicidade. Mesmo que você estivesse fazendo por exibicionismo teria o seu valor, porque está fazendo. Muito pior é quem se acomoda e nada faz em benefício do próximo. Dar com a mão direita sem que a esquerda saiba, é uma recomendação justa de Jesus, mas que só pode ser realizada por quem já alcançou alguma evolução cósmica.

Veríamos inconvenientes muito grandes se você fizesse o bem e cobrasse depois em reconhecimento, agradecimento.

Continue fazendo o bem, mesmo que a consciência a acuse. O importante é fazer o bem.