O acaso e o determinismo

30/04/2003 - Fazemos o Evangelho no Lar e estudando esse tema, um parente, membro do grupo, nos colocou que acredita nas coisas que acontecem por acaso, mas precisamente, que alguém pode morrer por acaso, que estava na hora errada no momento errado e por isso morreu, mas que na verdade não era sua hora. Eu particularmente, não acredito no acaso, acredito que se alguém morre e porque chegou sua hora. Minha duvida esta ai, existe na verdade o acaso ou meu pensamento esta certo em acreditar que tudo tem sua hora e as coisas não acontecem do nada.

Na realidade não existe o acaso. Se a vida fosse regida pelo acaso seria muito instável. Entretanto não existe um determinismo absoluto, como muitas pessoas colocam, e que nos parece ser o seu pensamento.

Temos que encontrar a relatividade entre o que se chama acaso, e determinismo. O espírito reencarna com a possibilidade de passar por determinadas coisas. Por exemplo, pode viver numa área onde há possibilidades de ser atingido por uma bala perdida. Quem vive numa cidade grande, com um enorme contingente de veículos automotores e tem que ir às ruas, tem a possibilidade de ser atropelado e morrer, ou ficar muito ferido e até paralítico.

Veja, por exemplo, os casamentos. Há quem diga que ninguém casa com a pessoa errada. Pensamos que casa sim. Há casamentos programados antes do nascimento? Sim, há. Mas não são todos.

Será que quem fica viúvo e casa uma segunda, terceira vez teria programados todos esses casamentos? Num mundo de expiações e provas, como o nosso, estamos sujeitos aos azares do ambiente.

Se você for fazer uma excursão numa mata, sem roupa adequada, sem botas de cano longo e for picado por uma cobra, não quer dizer que tudo estava preparado assim. Foi o descuido, o despreparo que causou o acidente.