Suicídio

02/05/2003 - Gostaria de saber se uma pessoa que atropela e mata alguém embriagado que se atira (suicida?) na frente do seu carro, estava destinada a passar por isso? Afinal, a pessoa é que se jogou na frente do carro fazendo uso do seu livre arbítrio. Como fica o motorista perante as Leis de Deus, já que tirou uma vida e levará para sempre esse "peso" na consciência, mesmo não sendo culpado?

O tom da sua pergunta dá uma sensação de fatalismo, e isto não existe nas leis do universo. Se as coisas aconteceram como você descreveu, foi realmente um suicídio. Seria o mesmo que perguntar se o arquiteto que construiu um prédio em que uma ou mais pessoas se atiraram para matar-se, seria responsável. Assim como inventor do avião não tem culpa do mau uso que já se fez e se faz do aparelho.

O que pode perturbar o sossego consciencial da pessoa que dirigia o carro é se não tivesse habilitação para dirigir, ou se estivesse em alta velocidade, onde o limite fosse menor, ou se estivesse dirigindo com desatenção.

Se considerarmos que o motorista estava dentro dos limites de velocidade e dirigia com toda atenção, ele não tem nada a responder ante as leis de Deus. Se mesmo assim a consciência estiver afligindo-o, seria de bom alvitre fazer um tratamento espiritual num bom centro espírita kardecista em conjunto com tratamento psicológico. Orar pelo possível suicida é sempre uma boa medida.