Livre arbítrio e exageros da humanidade

02/06/2003 - Sei que todos nós temos o livre arbítrio para pensar e agir, mas para mim é muito difícil entender porque Deus e também a espiritualidade maior permitem que certas coisas aconteçam. É tanta fome, tantas guerras, mães que chegam a matar seus filhos pequenos, crianças que na sua maioria não sabem ainda o que estão fazendo: na minha opinião, esta é a pior forma de violência, maltratar crianças indefesas, isso me dói fundo. Ninguém tem o direito de tirar a oportunidade de encarnação de uma pessoa, ninguém tem o direito de maltratar alguém. É difícil aceitar tudo isso, eu sei que muitas vezes é resgate, mas será que tem que ser desta forma?

Prezada amiga, seus questionamentos são mesmo profundos e somente os espíritos de maior elevação poderia responder.

Com tudo, não é difícil entender que estamos num mundo de expiações e provas, onde a maioria dos seus habitantes são espíritos atrasados, endividados, orgulhosos, egoístas.

As coisas acontecem pelo livre arbítrio dos homens. Fome, guerras, assassinatos, infanticídios, maltratos são próprios de mundos inferiores. Na terceira parte do Livro dos Espíritos, Leis Morais, na Lei Justiça, Amor e Caridade, Kardec perguntou qual é o primeiro dos direitos naturais do homem e os espíritos responderam que é o de viver.

Comentaram ainda que é por isso que ninguém tem o direito de maltratar outra pessoa. Existem muitas situações que são realmente resgates, e muitas outras são injustiças humanas. Precisamos trabalhar para que o nosso mundo se torne mais justo, bom e ninguém venha a morrer de fome ou de desprezo. Faça da sua parte todo bem que puder. Dê bons exemplos e vai apressar a vinda deste mundo novo.