Ateu na família

06/06/2003 - Eu e minhas filhas somos espíritas, meu marido é ateu e acha tudo o que fazemos perda de tempo. O que fazer além da prece para ajudá-lo a acreditar em Deus?

Seu marido está exercendo o livre arbítrio que Deus lhe concedeu. Por ora ele não sabe disto, mas dia virá em que ele compreenderá perfeitamente, embora talvez, não seja nesta reencarnação. Muitas pessoas são atéias por orgulho, vaidade intelectual ou revolta, rebeldia. Outras são por absoluta indiferença às coisas espirituais, e outros porque não conseguem entender as injustiças, os sofrimentos, o triunfo dos maus em detrimento dos bons.

Se for esse o caso do seu esposo, certamente ele não tomou contato com a noção espírita de Deus. O conhecimento do Espiritismo demonstra que não há injustiças e sim oportunidades de crescimento, aperfeiçoamento, e aquilo que parece injustiça, é, não raro, a lei de causa e efeito em ação. Você pergunta se não há algum meio pelo qual ele compreenda e aceite Deus além das orações.

Acreditamos que sim: vocês terem conduta exemplar, amorosa, simples, justa, caridosa. Talvez você possa dizer que juntamente com as filhas já agem assim. Pois façam um pouco mais, até mesmo a ponto de garantir-lhe o direito de ser ateu. O que importa realmente é a conduta dele. Se ele for direito, honesto, carinhoso, amigo, leal, certamente ele já vive os ensinamentos do Espiritismo.