Tamanho
do Texto

6º Encontro Espírita Sobre Jesus

6º Encontro Espírita Sobre Jesus

(Reencarnação)

Estudos Espíritas
Promovidos pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Luiz Gabina
Rio de Janeiro
25/09/1999

Dirigente do estudo:

Alexandre Zaghetto

Oração Inicial:

<Naema> Senhor, que possamos nessa noite ter muita paz e a mente aberta aos ensinamentos. Que possam nos atingir fundo no coração. Que possamos incorporar ao nosso dia a dia essa mensagem tão grandiosa que é o Espiritismo. Que possamos, Senhor, estar bem acompanhados e que tenhamos tudo aquilo que viemos buscar. Ilumine nosso amigo que fará o estudo e a todos nós. Agora e sempre. Assim Seja!

Exposição:

<Luiz_Gabina> Boa noite a todos os Amigos. Estaremos a partir de agora iniciando mais um estudo, conversando sobre o tema: Reencarnação. Viemos nesta noite trazer a vocês um convite carinhoso para nos acompanhar na jornada de domingo (6º Encontro Espírita sobre Jesus) na qual estudaremos a Reencarnação. Segundo “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, capítulo IV>: “Ninguém poderá ver o Reino de Deus se não nascer de novo.”Vamos começar a entender o que os ensinamentos do Senhor Jesus trouxe-nos há 2000 anos.

Até a chegada de Jesus os povos da época conheciam apenas que após a morte alguma coisa acontecia, que tudo não cessava na morte. Conheciam a ressurreição como reencarnação. Jesus mostra que a reencarnação é a volta do espírito à vida corpórea em um corpo especialmente formado para ele e que nada tem em comum com o antigo.

Começamos por Jesabel, uma Princesa Fenícia, que se casa com Acabe, filho de Onri, antigo Rei de Israel. Os deuses de Jesabel são: Baal – deus da orgia. E Astarte – deusa da vida sexual e da prostituição.

Para enfrentá-las surge Elias, o Profeta. Ele desafia os sacerdotes de Jesabel, onde um só deus deveria ter os poderes sobre a Terra. Nesse desafio, o deus de Israel atende o povo e Jesabel é derrotada. Elias ordena a prisão dos sacerdotes de Jesabel e manda que suas cabeças sejam cortadas. Jesabel jura vingança, mas não consegue naquela existência.

Encontramos este texto no livro “João Batista, O Profeta do Cristo”, de L. Palhano Junior:

Oitocentos anos mais tarde, eis que surge um mensageiro: ‘”Eis que eu envio o meu mensageiro à tua frente. Ele preparara o caminho diante de ti.” – Evangelho de Lucas.

Naqueles dias apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia, dizendo: ‘Arrependei-vos porque o Reino dos Céus está próximo.’ – Evangelho de Mateus.

Os Judeus tinham assim vagas e incompletas idéias acerca da alma e sua ligação com o corpo. Para eles algo subexiste após a morte do corpo, como se houvesse um tribunal: “Os ímpios vão para o ‘xeol’ enquanto os justos para o paraíso.”

Jesus mostra que a ressurreição é contrária às leis da Natureza, quando ele mostra o exemplo de Lázaro, onde o espírito retorna a vida no mesmo corpo. Neste momento não ocorre ressurreição e sim um processo de cura.

O termo ressurreição era usado por pobreza de palavras e Jesus usava os termos da época. Para Jesus o ensinamento da reencarnação fica claro na passagem do Item 3, Capítulo IV do “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, onde João Batista é Elias reencarnado.

Daí vamos buscar o entendimento através dos seguintes questionamentos:

— Por que reencarnamos?

— Por que desencarnamos?

— Quais as causas da vida na Terra?

— Quais as razões dos nossos sofrimentos?

— Por que choramos a morte de um ser querido?

— O que falta para compreendermos esse ensinamento: “O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito.”?

— Qual a semelhança entre nós e Nicodemos?

— Quantas vezes precisamos reencarnar?

— Qual é o objetivo fundamental da nossa reencarnação?

— Por que reencarnamos em determinado grupo familiar?

— Como entender que a reencarnação pode nos levar a casa do Pai?

Todos estes questionamentos nos conturbam e demonstram o quanto estamos longe dos ensinamentos de Jesus. Eles nos fazem refletir sobre a fé que pensamos que temos, mas claramente fica consciente que ainda precisamos reencarnar muitas vezes para sentirmos todos os ensinamentos de Jesus.

O que vamos estudar amanhã (6º Encontro Espírita sobre Jesus no Centro Espírita Léon Denis), além de todos esses questionamentos, qual a orientação que a Doutrina Espírita nos passa para que possamos sentir Jesus dentro de nós. (t)

Perguntas/Respostas:

[01] <Aprendiz-Fatima> Boa noite a todos. Perguntamos o seguinte: Há quase 2000 anos Jesus nos trouxe grandes ensinamentos espirituais, utilizando como você disse a terminologia, acessível a época, mas no oriente não foi bem assim, né? Os orientais, budismo, lamaismo, hinduísmo, já conheciam e aceitavam plenamente a reencarnação. Porque? (t)

<Luiz_Gabina> Os orientais tem uma cultura milenar mais rica que o povo judeu na época de Jesus, mas não têm a visão progressista da reencarnação que o Cristo trouxe. (t)

[02] <_Cas_> Eu gostaria de saber qual sua visão sobre o que comentou anteriormente, porque reencarnamos em determinado grupo familiar e a tendência em repetir esses grupos indefinidamente. Não seria um pouco mais aberto esse processo?

<Luiz_Gabina> O que você chama de processo, nós chamamos de resgate. Se houver necessidade de se repetir “n” vezes a reencarnação de Espíritos dentro do mesmo grupo familiar, é porque ainda não houve entre eles a pureza de sentimentos. (t)

[03] <Alfie> Quanto a ter que reencarnar muitas vezes mais para apreender os ensinamentos de Jesus, o que pode nos dizer sobre as reencarnações na Terra de espíritos bem pouco evoluídos, em grande número como agora e até quando isso acontecerá? Esse era o tema de discussão no Canal #Espiritismo essa noite e há muitas controvérsias (t)

<Luiz_Gabina> Nos planetas mais primitivos o espírito, iniciando seu processo evolutivo, passa por diversas experiências como a luta pela sobrevivência, conservação do seu grupo, descobertas de novos meios de viver, acumulando, assim, em seu ser espiritual, muitas experiências, dilatando a sua inteligência simples para uma inteligência mais complexa. Quem dá o limite do tempo, segundo o ensinamento trazido pelos espíritos é o próprio espírito que, conforme a sua vontade e sua perspicácia em diferenciar o que é melhor para o seu progresso moral e intelectual, vai fazendo escolhas mais morais e intelectuais sempre mais para o bem, chegando assim à perfeição. (t)

Oração Final:

<Naema> Senhor, obrigada por esses momentos que passamos juntos. Pela oportunidade de aprendermos e crescermos um pouco mais. Por tudo que recebemos, por tudo que damos. Que saibamos amar ao nosso próximo. Que nossa vida seja proveitosa. Que não desperdicemos nenhum momento. Que possamos espalhar alegria e que nossas palavras sejam sempre repletas de ternura para aqueles que precisam ouví-las. Obrigada por mais esta oportunidade. Que assim seja!

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior