Tamanho
do Texto

Afeição dos Espíritos Por Certas Pessoas

Afeição dos Espíritos Por Certas Pessoas

“O Livro dos Espíritos” – questões 484 a 488

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Andreia Azevedo – Safiri
Osasco – São Paulo
09/06/2001

Dirigente do Estudo da Noite:

Safiri

Oração Inicial:

Safiri:

Caríssimos amigos, vamos a prece de encerramento. Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai a força àqueles que passam pela provação, dai a luz àquele que procura a verdade, ponde no coração do homem a compaixão e a caridade. Deus ! Dai ao viajor a estrela guia,
ao aflito a consolação,
ao doente o repouso.
Pai ! Dai ao culpado o arrependimento,
ao Espírito a Verdade,
à criança o guia,
ao órfão o pai.
Senhor !

Que vossa bondade se estenda sobre tudo que criastes. Piedade, Senhor,
para aqueles que vos não conhecem,
esperança para aqueles que sofrem.
Que a vossa bondade permita aos Espíritos consoladores derramarem por toda parte a Paz, a Esperança e a Fé. Deus !
Um raio, uma faísca do vosso amor pode abrasar a terra; deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão,
todas as dores se acalmarão.

Um só coração,
um só pensamento subirá até vós,
como um grito de reconhecimento e de amor. Como Moisés sobre a montanha,
nós vos esperamos com os braços abertos, oh! Bondade,
oh! Beleza,
oh! Perfeição,
e queremos de alguma sorte merecer a vossa misericórdia. Deus !
dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará das nossas almas o espelho onde se refletirá a Vossa Imagem.

(Prece de Cáritas)

Mensagem Introdutória:

AMPARO ESPIRITUAL

No plano físico, onde apareça a cultura social, multiplicam-se dispositivos de segurança contra desastres. Isso, porém, deve igualmente ocorrer no reino da alma.

Se já acordaste para o conhecimento superior, caminhas à frente com a função de guiar. Convence-te de que quanto mais se te amplie o aperfeiçoamento íntimo, mais dilatado o número dos olhos e dos ouvidos que te procuram ver e escutar, de vez que todos aqueles que se afinam contigo, em subalternidade espiritual, passam, mecanicamente, à condição de aprendizes que te observam.

Não te descuides, pois, do amparo aos que te acompanham no educandário da vida, entendendo-se que existem quedas de pensamento determinando lamentáveis acidentes de espírito. Em toda situação, seleciona palavras e atitudes que possam efetivamente ajudar.

Ante as falhas alheias, não procedas irrefletidamente, censurando ou aprovando isso ou aquilo, sem análise justa, a pretexto de assegurar a harmonia, mas define-te com bondade, providenciando corretivos aconselháveis, sem alarde e sem aspereza.

Se aparece a necessidade de advertência ou repreensão, já que toda escola respeitável reclama disciplina, oferece o próprio exemplo no dever retamente cumprido, antes de falar, e, falando, escolhe, tanto quanto seja possível, lugar, tempo e maneira, segundo os comprometimentos havidos na causa do bem comum.

Lendo noticiários calamitosos ou livros indesejáveis, destaca os assuntos que te pareçam dignos de apreço e examina-os com os irmãos do teu nível de experiência, evitando comentários inconvenientes com os amigos de entendimento imaturo.

Espalhando publicações ou divulgando-as, consagra atenção apenas àquelas suscetíveis de beneficiar os leitores. Diante de todas as divergências, conflitos, desesperos e inquietações, articula idéias de paz e pronuncia frases de paz, sem desconhecer embora que todos nos achamos em luta incessante contra o mal e que nenhuma pessoa realmente esclarecida pode acreditar-se em ilusória neutralidade.

Pacifica os outros, através de tua cooperação despretensiosa e espontânea na formação da tranqüilidade alheia, sem enganar a ninguém com a expectativa de um sossego que só existe naqueles que fogem das próprias obrigações e que nunca se previnem contra a desordem.

Administra, onde estiveres, o auxílio espiritual com a alavanca do próprio equilíbrio. Vigilância sem violência. Calma sem preguiça. Consolo sem mentira. Verdade sem drama.

Se já sabes o que deves fazer, no plano da alma, trazes o coração chamado a instruir, e um professor verdadeiro, enxergando mais longe, não apenas informa e ensina, mas também socorre e vela.

Emmanuel
Do Livro: Estude e Viva
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: FEB

Exposição:

Safiri:

O texto de Emmanuel é muito sutil. O que ele nos traz é na verdade a orientação para estarmos com nosso padrão vibracional elevado.

Isso deve ocorrer para que possamos estar próximos de quem nos afinizarmos. E é dentro do bem que ganharemos a simpatia dos bons espíritos.

Os bons espíritos simpatizam-se com homens de bem e também aos que estão em fases de progredir. Que lutam para se reformar e estar ao lado de Deus nosso Pai através dos ensinamentos de Jesus. Os espíritos portanto, se afeiçoam pelos que estão no mesmo padrão vibratório que o seu. Os maus espíritos sabem e se afinizam com os propensos ao mal e aos que no mal já se encontram.

Os espíritos se entristecem ao ver que não nos resignamos com nossas provas, as quais nos conduzirão para um mundo melhor se suportadas com fé e resignação.

Eles sofrem porque sabem que na verdade é como se recusássemos um remédio amargo, mas que seria a nossa cura. A verdadeira afeição não é carnal. Mas muitas vezes essa afeição pode decorrer de lembranças de uma paixão humana. Vividas em outras vidas na terra.

O temos que ter em nossos corações é que os espíritos estão sempre nos ajudando com suas instruções e inspirações. Eles sofrem quando sofremos e se alegram quando conseguimos conduzir nossas vidas para o progresso e para o bem. Estão , portanto, sempre presentes em nossas vidas lutando para que em breve possamos estar ao lado deles no mesmo plano vibracional.

Pois eles sabem que precisamos passar pelas provas terrenas para que chegamos a mundos mais felizes. Como nos diz no LE :
“Sabendo ser transitória a vida corporal e que as tribulações que lhe são inerentes constituem meios de alcançarmos melhor estado, os Espíritos mais se afligem pelos nossos males devidos a causas de ordem moral, do que pelos nossos sofrimentos físicos, todos passageiros.

Pouco se incomodam com as desgraças que apenas atingem as nossas idéias mundanas, tal qual fazemos com as mágoas pueris das crianças. Vendo nas amarguras da vida um meio de nos adiantarmos, os Espíritos as consideram como a crise ocasional de que resultará a salvação do doente. Compadecem-se dos nossos sofrimentos, como nos compadecemos dos de um amigo. Porém, enxergando as coisas de um ponto de vista mais justo, os apreciam de um modo diverso do nosso. Então, ao passo que os bons nos levantam o ânimo no interesse do nosso futuro, os outros nos impelem ao desespero, objetivando comprometer-nos.

É importante sabermos que se estivermos trilhando os caminhos que Jesus nos ensinou há 2000 anos, sempre teremos bons amigos do plano espiritual maior ao nosso lado , nos instruindo e nos protegendo de todo o mal que possam alguns outros espíritos inferiores interessados em nos causar.

Os bons espíritos simpáticos a nós são dedicados e a sua presença ao nosso lado depende do padrão vibratório em que sempre nos emitimos.

É importante que busquemos brandura de coração , paz interior, alegria – viver com alegria por mais que tenhamos dificuldade, emitir um sorriso sem cobrar nada em troca , apenas sorrir com o coração – , vontade de viver e progredir para que possamos atrair esses nossos amigos da espiritualidade maior e também em terra atrair boas pessoas em nossos caminhos. (t)

Perguntas/Respostas:

01. <_kkatia_> você mencionou, que a verdadeira afeição não é carnal, mas não seria desta que surgem os laços mais profundos?(t)

<_Safiri_> Você em certo ponto não está errada. Porém , o que os espíritos querem nos dizer é que muitas vezes confundimos o verdadeiro sentimento.

O amor que Jesus tinha (tem) por nos , é o que chamamos de amor incondicional. O amor carnal , pode se apresentar de varias formas a nos. E uma delas , nos fortalece e nos dirige ao amor incondicional. Esses sim, entrariam no caso que você questiona.

Mas muitas vezes , senão na maioria, nos entregamos as paixões. E essas , são esquecidas quando não há o laço de amor sem desinteresse. (t)

Oração Final:

Safiri

Salmo do Amanhecer

Quero nascer de novo cada dia que nasce.
Quero ser outra vez novo, puro, cristalino.
Quero lavar-me, cada manhã, do homem velho
Da poeira velha, das palavras gastas,
Dos gestos rituais.
Quero reviver a primeira manhã da criação,
O primeiro abrir dos olhos para a vida.
Quero que cada manhã
A alma desabroche do sono
Como a rosa do botão,
E surja,
Como a aurora do oceano,
Ao sorriso dos teus lábios,
Ao gesto de tua mão.
Quero me engrinaldar para a festa renovada
Como que cada dia nos convidasse
E desdobrar as asas como a águia
Em demanda do sol.
Quero crer, a cada nova aurora,
Que esta é a definitiva,
A do encontro com a felicidade,
A da permanência assegurada,
A do teu sim definitivo.
Dionísio Furtes Alvarez

(do livro Preces e Mensagens Espirituais)

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior