Tamanho
do Texto

Emancipação da Alma

Emancipação da Alma

(Sonhos, Desdobramentos, etc.)

Palestra Virtual
Promovida pelo Canal #Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestrante: Altivo Pamphiro
Rio de Janeiro
05/12/1997

Organizadores da Palestra:

Moderador: “Dejavu” (nick: |Moderador|) “Médium digitador”: “jaja” (nick: Altivo_Pamphiro)

Oração Inicial:

<Wania> Senhor Jesus, novamente reunidos em teu nome, solici-tamos ao Teu coração generoso e amigo, que nos sustente, am-pare e nos fortaleça no cumprimento das tarefas que abraçamos em Tua seara. Envolve a todos nós neste momento, principal-mente ao companheiro que conduzirá nossos raciocínios através da palavra amiga. Que seja em Teu nome, Senhor, em nome dos amigos espirituais, mas sobretudo em nome de Deus que solici-tamos a abertura da nossa reunião de estudos desta noite. Que assim seja!

Considerações Iniciais do Palestrante:

<Altivo_Pamphiro> A emancipação da alma é um estado particular do espírito, obtido durante o sono físico ou, no caso, dos médiuns, um estado em que estes se libertam parcialmente do corpo físico permitindo, por esse modo, um contato com o mundo invisível. Obtém-se essa emancipação através dos passes magnéticos ou pelo próprio movimento da alma, isto é, ela mesma se desprende e se coloca junto aos espíritos. (t)

Perguntas/Respostas:

<|Moderador|> [1] <Alves> Altivo, por que algumas pessoas ra-ramente lembram de seus sonhos (meu caso)? É por que não so-nham?

<Altivo_Pamphiro> As pessoas que não lembram dos sonhos não têm uma facilidade para registrá-los no cérebro físico. Fica apenas registrado no cérebro do perispírito. Digo cérebro do perispírito para um melhor entendimento. Agora, quando você recorda dos detalhes dos sonhos é porque você tem uma parti-cular predisposição cerebral para registros. O fato de não lembrarmos dos sonhos não significa que não tenhamos sonhado, ou seja, vivemos uma vida no plano espiritual e não recorda-mos. (t)

<|Moderador|> [2] <Orelhano> Pessoas que sonham com freqüên-cia vêem pessoas na casa, levantam e conversam. Como isso se explica?

<Altivo_Pamphiro> É justamente o fato de você, como espírito, ir aos lugares de sua preferência. Você vai numa casa, em es-pírito, e ali vê as pessoas que moram naquela casa. Você pode também ir a lugares públicos, como praças, ruas, etc. Neste caso, você não terá um sinal particular, isto é, verá as coi-sas como se vêem na rua de um modo bem geral. (t)

<|Moderador|> [3] <TILER> Irmão Altivo, como você explica a interação relativa a aplicação dos passes magnéticos em torno de nossas estruturas espirituais, possibilitando que o nosso corpo perispiritual possa se afastar do corpo físico através do processo emancipatório?

<Altivo_Pamphiro> Quando você aplica o passe magnético, você provoca um desligamento parcial do corpo e do espírito. Isto faz com que, por um processo ainda não devidamente explicado, ou entendido, haja este afastamento do corpo espiritual do corpo físico. Essas descobertas foram analisadas por um in-glês chamado Braid. Ele aplicava passes e verificou que, em certas pessoas, os passes provocavam o sono magnético e de-pois um estado particular de hipnose. O que se sabe através de Mesmer é que o sono magnético é provocado pelo passe dado por espíritos ou por encarnados, provocando este estado de emancipação. (t)

<|Moderador|> [4] <nostres> Gostaríamos de saber até que pon-to o sonho pode atingir o físico? Ou seja, o real?

<Altivo_Pamphiro> Não existe, a rigor, uma medida. O que se sabe é que, em alguns casos de liberdade do espírito, este passa por situações que ficam profundamente gravadas no cére-bro. Vou contar um caso pessoal: há muitos anos, participei de um socorro espiritual dado a uma pessoa obsedada, louca mesmo. Isto que vou relatar foi durante o sono físico. No processo de socorro, esta pessoa batia-me nos olhos com suas mãos que eram muito grandes. Eu a conhecia encarnada. Ao acordar, passei um ou dois dias com profunda dor nos olhos, como se eles estivessem, realmente, edemaciados. Posso dizer, então, que foi uma situação bem particular, mas tenho passado por outras situações menos agressivas que também influencia-ram meu corpo. Situações de socorro médico, de participação em locais que visitei, espiritualmente, etc. E que me recor-dei. (t)

<|Moderador|> [5] <FADA_> Todos os sonhos são o desprendimen-to do espírito do corpo físico ou alguns sonhos podem sim-plesmente ser projeções do inconsciente?

<Altivo_Pamphiro> A maior parte dos sonhos se passam entre espíritos. O que sei por parte do plano espiritual é que mes-mo quando você projeta seu inconsciente, você vai em busca de uma situação de um parceiro, ou de uma circunstância que ca-racteriza o seu desejo íntimo. Assim, a projeção do seu in-consciente leva você para o lugar que deseja. (t)

<|Moderador|> [6] <SantosBA> Boa Noite. Minha pergunta diz respeito aos sonhos com pessoas já desencarnadas. Por que eu não consigo sonhar com parentes e amigos que já partiram pou-co tempo depois do desencarne? Às vezes, acontece o sonho so-mente um ano depois. Qual o motivo que me bloqueia minha ca-pacidade de sonhar com eles e me lembrar disso?

<Altivo_Pamphiro> Muitas vezes, você esteve com a pessoa, mas não recorda. Eu mesmo tenho a mãe falecida há 9 anos e tive poucos sonhos com ela, embora tenha percebido sua presença inúmeras vezes ao meu lado. Agora, você recorde que só os so-nhos que atinjam profundamente nosso cérebro físico é que re-cordamos. (t)

<|Moderador|> [7] <nostres> Porque, às vezes, quando sonha-mos, parece que entramos num estado entre o sono e a realida-de?

<Altivo_Pamphiro> O desprendimento do espírito do corpo vai ocorrendo aos poucos e por isso ficamos entre dois mundos: um mundo real, material, e o mundo que vamos visitar. (t)

<|Moderador|> [8] <Alves> O desdobramento é perigoso? Pode algum desencarnado nos “molestar”, e até nos “matar”, durante este estado? O cordão fluídico que nos prende ao corpo físico pode ser rompido durante a emancipação? <nostres> É verdade que quando saímos do corpo há o perigo de não voltarmos mais?

<Altivo_Pamphiro> O desdobramento não é perigoso a partir do momento em que oramos e contamos com a proteção dos benfeito-res espirituais. Quando você sai do corpo e em sua casa não há uma proteção fluídica, você pode ter o corpo molestado por um espírito que entrou na sua casa. Mas o comum é você voltar logo para o corpo, uma vez que você se sente prejudicado. Neste caso, o espírito apenas incomodará. Mas há casos em que o espírito tem um grande ascendente sobre aquele que dorme e então este se aproveitará deste ascendente para fazer o que bem entender.

É o caso dos grandes pesadelos. Não há na lite-ratura específica casos registrados de pessoas morrerem por conta desta influenciação durante o sono, embora, muitas ve-zes, as pessoas tenham se sentido muitíssimo mal quando per-seguidas por um espírito. No livro “Entre a Terra e o Céu” de André Luiz, temos um exemplo muito interessante de um grupo de pessoas que viviam uma realidade no corpo físico e outra no corpo espiritual. (t)

<|Moderador|> [9] <nostres> Existe algum momento em que pode se passar do sonho para desdobramento, ou vice-versa?

<Altivo_Pamphiro> Sim. Você pode começar a ver um espírito no estado de sonho e depois seguir com ele para mais longe, dan-do início a um processo de desdobramento. Será um momento em que seu espírito precisará ficar bem longe do corpo. Este mo-mento é o do desdobramento. (t)

<|Moderador|> [10] <TILER> Como se processa o desdobramento no mundo espiritual, existe sonho em relação aos espíritos desencarnados?

<Altivo_Pamphiro> Sim. O mesmo sentido dado quando falei no sonambulismo e hipnotismo. O espírito, a partir de um momen-to, ele aprofunda o seu desligamento e começa a colocar o seu corpo espiritual que, juntamente com suas recordações men-tais, forma o que se chama de um estado entre o sono, o des-dobramento e a vida dos espíritos. Nesse caso, você, como es-pírito, projeta seus sentimentos e vai em busca dos seus par-ceiros ou amigos. Também você pode entender desse modo: O es-pírito deixa seu corpo perispiritual descansando e sai com sua projeção mental. (t)

<|Moderador|> [11] <SantosBA> As pessoas que têm problemas de insônia. Isto pode significar que elas são por demais ligadas às coisas materiais? Mesmo existindo problemas neurológicos, esse problema pode retardar o desligamento do espírito após o seu desencarne?

<Altivo_Pamphiro> Entendo que a insônia pode ter suas causas físicas. No caso da dificuldade espiritual, o espírito está realmente muito preocupado com alguma coisa, impedindo o des-canso físico, como, por exemplo, nas nossas grandes preocupa-ções. No caso das pessoas com problemas neurológicos, temos que distinguir se o problema é provacional ou apenas um pro-blema do próprio espírito. Quando é provacional, o corpo é que é o doente. O espírito, tão logo se veja liberto das amarras físicas, esquece e nada mais sente. O corpo doente fica de lado e o espírito liberto voa para onde quiser. Mas quando é o espírito o doente, este carrega consigo todas as suas marcas dolorosas e, assim, ele tem dificuldades para se desprender, para dormir e não consegue ter nem um sono, nem um desprendimento tranqüilo, uma vez que ele é um grande do-ente da alma. (t)

<|Moderador|> [12] <nostres> Quando entramos numa espécie de transe, como fazemos pra ter o controle e conseguir voltar?

<Altivo_Pamphiro> Somente a vontade pode fazê-lo. Mas é pre-ciso uma vontade forte e esperar algum tempo para podermos voltar. Este tempo nos parece, às vezes, muito longo, mas na verdade é um tempo bem pequeno nos padrões terrenos Yvonne Pereira, no livro “Recordações da Mediunidade” fala de uma experiência que ela passou durante um desdobramento em que ela mesma provocou e que depois não sabia como voltar e so-mente após muitas preces a Dr. Bezerra de Menezes é que ela o viu aproximar-se e num simples passe magnético colocou-a no-vamente no corpo. (t)

<|Moderador|> [13] <Pauline_POA> Amigo Altivo, por que é im-portante a emancipação da alma? Pra que serve?

<Altivo_Pamphiro> A emancipação da alma é uma oportunidade que o espírito tem para “descansar” das opressões próprias da matéria. Somente desse modo o espírito enfrenta as suas múl-tiplas obrigações e se sente amparado nos seus momentos de sofrimento, dores, etc. (t)

<|Moderador|> [14] <FADA_> Não entendi direito a diferença entre sonho e desdobramento.

<Altivo_Pamphiro> No desdobramento, o corpo espiritual se li-berta inteiramente do corpo físico e vive a vida de espírito. No sono físico, o espírito não se afasta muito do corpo e, assim, ele é capaz de passar para o cérebro físico as recor-dações do que vê. A rigor, há horas que, realmente, fica di-fícil fazer a distinção entre os dois estados. (t)

<|Moderador|> [15] <McMor> Quando se tem pesadelos, terrí-veis, com pessoas negativas, tem a ver com sintonia com um plano inferior no dia a dia acordado?

<Altivo_Pamphiro> Sim, quando você se liga àquela pessoa ou àquelas situações. Mas você pode também estar em processo de auxílio a ela ou mesmo estar vendo como simples participante como ela vive em espírito. (t)

<|Moderador|> [16] <nostres> Quando entro em transe, tenho dificuldades de voltar não consigo movimentar meu corpo, e fico desesperada! Posso evitar isso? Por que quando começo a entrar nesse tipo de transe, pareço estar muito dopada?

<Altivo_Pamphiro> Seu espírito realmente sai do ambiente fí-sico. É como se fosse um desejo muito grande de desligar-se de alguma coisa. Deve você recordar que certamente seus inte-resses maiores estão no mundo dos espíritos. Daí, suas difi-culdades. Mas você recorde o exemplo dado por Yvonne Pereira. Ore muito para o seu guia ou a um bom espírito. (t)

<|Moderador|> [17] <LeoX> Poderia conceituar animismo e a in-fluência deste nos desdobramentos, se há?

<Altivo_Pamphiro> O animismo significa a comunicação do pró-prio espírito e não como muitas pessoas pensam um estado de mistificação. No animismo, o espírito realmente se liberta do corpo e pode se comunicar, ele mesmo, como espírito imortal que é. Na mistificação fica claro que a pessoa só está fazen-do alguma coisa para enganar o próximo. Pode-se então enten-der que o espírito quer sair do corpo, determina-se a isso e o consegue com alguma experiência. Na mistificação ele não tem real interesse em sair do corpo. (t)

<|Moderador|> [18] <NCC1701> Irmão, até que ponto podemos ter certeza de estarmos realmente nos encontrando com entes que-ridos desencarnados em determinados sonhos? Como pode-se di-ferenciar um simples sonho de um encontro? <FADA_> Como pode-mos saber ao acordar se tivemos um sonho ou se foi um desdo-bramento?

<Altivo_Pamphiro> Realmente não há outra medida senão a cer-teza íntima que temos, ao acordarmos, que estivemos com al-guém. Por outro lado, temos alguns outros referenciais, como vermos pessoas que não conhecemos, situações diferentes das nossas habituais e ainda devemos entender que há muitos mo-mentos de apoio espiritual. É quando os desdobramentos trazem características de suavidade, de beleza que não são habituais no nosso cotidiano. (t)

<|Moderador|> [19] <Roger__> Boa noite! podem os mentores fi-xar a recordação de uma conversa mantida durante o “sonho” no cérebro do espirito fazendo com que nos lembremos ao acordar?

<Altivo_Pamphiro> Sim, desde que isto tenha importância para o encarnado André Luiz é pródigo em informações neste senti-do. E nós mesmos temos muitas vezes o apoio, o ensino dos guias quando num sonho ou num desdobramento nos recordamos de uma única situação parecendo que aquela situação tem a ver com a nossa necessidade de informação. (t)

Perguntas respondidas posteriormente pelo palestrante:

[1] <nostres> Qual a influência do sonho no dia a dia de cada um?

<Altivo_Pamphiro> Dizem os bons espíritos que o sono repre-senta a possibilidade de nos reencontrarmos com os nossos guias espirituais. Ao mesmo tempo que ouvimos seus conselhos e admoestações, temos a oportunidade de nos recuperarmos das fadigas próprias da reencarnação. O sono repousa o corpo e permite ao espírito recuperar-se da vida terrena. O sonho é o resultado desta convivência que nos lembramos.(t)

[2] <nostres> Por que às vezes vemos pessoas das quais não conhecemos e que nos tratam de maneira diferente?

<Altivo Pamphiro> São espíritos que nos visitam e cuja convi-vência se dá toda no plano espiritual, isto é, não temos con-vívio na vida material. Assim, estes conhecidos nos visitam, até porque têm liberdade para isso, o que não ocorre conos-co(encarnados).(t)

[3] <nostres> Durante o sono, onde está o anjo da guarda de cada um?

<Altivo Pamphiro> Poderá estar ao nosso lado, velando por nós ou nos acompanhando no curso das nossas existências.(t)

[4] <nostres> Como diferenciar o que é sonho do que é encon-tro em outro plano que não o físico?

<Altivo Pamphiro> Os encontros dos espíritos nem sempre são recordados por nós. Quando ocorre a recordação e quando vi-venciamos algo de interesse próprio da matéria, dizemos então que é sonho. (t)

[5] <nostres> Seria coincidência você ter um sonho com se-quência, e no final de dois anos após, o sonho acontecer, em parte?

<Altivo Pamphiro> Não é coincidência, é um aviso que tivemos com antecedência. (t)

[6] <nostres> O que se pode interpretar quando uma pessoa em sonho pede, insistentemente, que a outra ligue para ela? O que seria isso?

<Altivo Pamphiro> É o convite, ou aviso, que um espírito faz a outro. Como a pessoa não teve oportunidade de fazer este convite, ou aviso, durante o estágio na carne, fê-lo como es-pírito. (t)

[7] Irmão Altivo, gostaria que o senhor explicasse como se processa o sono relativo aos animais. Isso existe?

<Altivo Pamphiro> Os animais têm o sono físico, por isso, de um modo geral, intermitente e de pequena duração. Já no homem terreno, o sono tem a caracterísitica de recuperação da alma; de convívio com outros seres. Há como que uma diferenciação entre o sono dos animais, profundamente físico, com o dos ho-mens, com caracterísiticas de repouso e convivência com ami-gos do Além. (t)

Considerações finais do Palestrante:

<Altivo_Pamphiro> Espero que as noções de desdobramento e de sonhos tragam para todos a noção exata de que temos uma vida espiritual vivenciada quando dormimos e que esta vida não pode ser esquecida por nós quando estamos em vigília. Assim, tenhamos um bom dia para termos uma boa noite. Deus nos abençoe!! (t)

Oração Final:

<Wania> Senhor Jesus, agradecidos estamos por mais esta opor-tunidade de aprendizado, através deste meio de comunicação. Que possamos sempre estarmos sintonizados com Teu coração amigo, que nos sustenta, ampara e fortalece no dia a dia de nossas jornadas. Que possamos nos despedir em paz, rogando mais uma vez que a Tua bondade nos envolva hoje e sempre. Que seja em Teu nome, mas acima de tudo em nome de Deus, que en-cerramos nossa reunião de estudos desta noite. Que assim seja!

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior