Tamanho
do Texto

A Lei de Amor

Para falarmos da Lei do Amor, antes de mais nada, devemos relembrar esta
figura amiga que esteve e está entre nós quando o solicitamos.

À sua época, Jesus não possuía microfone nem autofalantes, mas toda a
multidão o escutava tal era o seu magnetismo abrasador do amor.

E é sobre esse magnetismo transformador capaz de mudar a direção de nossos
pensamentos em busca de um caminho, de uma rota, de uma meta a ser cumprida que
vamos conversar esta noite. Então, desde já, vamos nos envolvendo por este
magnetismo abrasador do amor.

Em nossas vidas, que possamos exemplificá-lo como a credencial que transforma
o sentimento não são em um sentimento nobre, em um sentimento que eleva a
criatura a sair do pântano de pensamentos depressivos, obscuros para elevarmos,
como diz-nos Emmanuel: “Que nossos olhos, anatomicamente, não foram feitos no
alto a toa, pois se assim não fosse poderiam ter sido feitos nos pés.”

Os nossos olhos ficam no alto de nossas cabeças para que possamos, através da
ótica do amor, compreender a extensão de nossos sofrimentos e conseguirmos
traçar e alçar novos horizontes. Horizontes de Paz, horizontes de Luz, de beleza
e conforto a todos nós almas cansadas de tantos erros.

Lembremos, mais uma vez, da passagem do Evangelho onde o nosso grande amigo
Jesus nos faz um convite ao erguer suas mãos e estendê-las até nós.

Alma, se estás doente eu sou Teu médico.

Neste momento, o Mestre nos coloca a auto-reflexão e acrescenta, ainda: “Se
precisa de ajuda, entenda que meu fardo é leve e que é suave meu jugo”.

Através desta passagem temos material suficiente para reavaliarmos a nossa
trajetória até aqui.

Por estarmos vivendo por acréscimo da misericórdia de Deus neste planeta
abençoado, que nos acolhe como forma de ponto de referência para nos reeducarmos
através da Lei de Amor. Lei essa que é o nosso passaporte no caminho da
felicidade plena.

Lembrando que o meio de nós conseguirmos essa tarefa, ou esta meta, é o
próximo.

O próximo em toda a sua expressão, quer por pensamento quer por palavras,
mas, principalmente, por muitas ações.

Então poderemos se, agindo assim, buscarmos Deus junto de nossos semelhantes.

Sentirmos, mesmo que de forma rudimentar, esse mecanismo abrasador chamado
amor.

Só então transformando as nossas ações, revendo as nossas metas e sustentado
pela disciplina dos benfeitores da égide do Cristo é que vamos angariando,
paulatinamente, as benécies e a credencial para buscarmos, junto ao amor, a nova
pátria. Pátria essa, agora, que não é mais externa e sim uma pátria interior.

Reportemos, mais uma vez, ao Evangelho, e veremos lá que havia necessidade do
joio crescer junto ao trigo e que, em determinada época, ele seria extraído.

Quando nós vamos descobrindo esta Lei, vamos podando, destruindo as ervas
daninhas que ainda existem em nosso ser renovando o homem velho que ainda somos
no homem novo que buscamos.

Palavras de Paulo, o convertido da estrada de Damasco: “O Bem que eu quero
este eu não faço e o Mal que eu não quero este eu ainda faço”.

Tomemos os exemplos dessas figuras que existiram entre nós e que mostraram,
através de um grande esforço, ultrajados, feridos e, muitas vezes, abandonados
mas com a gigantesca vibração sustentadora que é o Amor.

O grande modelo e guia que nos sustentará através de todos os milênios é o
Mestre Jesus.

Que possamos, diante das nossas, dificuldades observar qual a mensagem que o
Amor nos pede para refletirmos e tomarmos o elixir amargo da farmácia divina
como forma de nos curarmos.

Lembremos ainda que toda vez que a dor, seja ela qual for: material,
espiritual e moral, se nos faz chorar é porque o nosso orgulho está sendo
trabalhado e, por que não dizer, transformado pelo magnetismo do Amor.

Nós que nos encontramos, neste momento, entrelaçando os nossos pensamentos
numa grande troca de energia não nos encontramos, como nos afirma a obra de
Kardec, por acaso.

Deus, que é infinitamente sábio, justo, mas, principalmente misericordioso,
este é o doce do seu amor, sempre aproxima almas que precisam doar daquelas que
necessitam receber.

Que possamos, diante dessas pequenas palavras, refletirmos na Lei do Amor e,
amanhã, ao despertarmos, possamos estarmos impregnados de novos ideais.

Que Deus nos abençoe, nos guarde, nos fortaleça e nos guie sempre.

Continuemos envolvidos pela serenidade do Cristo.

Oração Final:

<Wania> Jesus amigo! Muito Te agradecemos pela
oportunidade de receber Tua mensagem, de receber a Tua misericórdia, nas
dificuldades que enfrentamos em nossa jornada terrena. Que jamais nos falte a Fé
, a fidelidade às Tuas Leis, a oportunidade da reflexão sobre nossos atos, a
vigilância dos nossos pensamentos. Envolva-nos em Teu Amor e que a Tua luz nos
conduza pelos caminhos da vida.

Que assim seja!

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior