Tamanho
do Texto

Povos degenerados

Povos degenerados

“O Livro dos Espíritos” – Questões 786 a 789

Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo
http://www.irc-espiritismo.org.br
Centro Espírita Léon Denis
http://www.celd.org.br

Expositor: Elena de Fátima
Rio de Janeiro – RJ
18/05/2002

Dirigente do Estudo da Noite:

Andréia Azevedo – Safiri

Oração Inicial:

<_Safiri_> Vamos então nesse momento , serenando nossos corações

Elevando nossos pensamentos a Deus nosso amado Pai

Pedindo paz aos nossos corações

Tranqüilidade, para que hoje, em mais uma noite de estudos ,

Possamos juntos aprender mais,

Fazendo com que esse aprendizado

Seja refletido com muita atenção para que

possamos aplicar em nosso dia a dia

As mensagens e lições que aqui hoje estaremos adquirindo.

Estamos vivendo dias difíceis em nosso planeta :

Desequilíbrios, dores, angustias, solidão, tristezas e tantos outros sentimentos

Que muitas vezes nos fazem perguntar : Por quê ?

E é quando , chegamos nesse ponto, que buscamos entender-nos interiormente o meio que vivemos.

ë com alegria então, que agradecemos a Deus a oportunidade de aqui estar

A oportunidade de aprender ,

A oportunidade de evoluir mais um pouquinho buscando no Doutrina Espírita a Reforma Íntima.

Que os bons espíritos possam nos acompanhar nesse momento.

Que assim seja .

Mensagem Introdutória:

CAMINHO DE LUZ

Para qualquer estação de melhoria e progresso, aperfeiçoamento e elevação, o trabalho no bem será sempre o caminho de luz.

Se te dizes inexperiente, acharás no trabalho a precisa maturação.

Se te declaras em condições de fraqueza, é a escola que te fará forte, ante as exigências edificantes da vida.

Se te afirmas sem méritos, o trabalho é a via de acesso a eles.

Se inibições ou angústias te cerceiam as manifestações, é o processo mais rápido de extingui-las.

Se te asseveras nas sombras da ignorância, é a lâmpada acesa que te clareará a existência sob a forma de estudo.

Se companheiros te abandonam, é o meio de obter outros muitos ao nível de teus encargos.

Se adversários te incomodam, é a norma de ação para que te respeitem.

Se a necessidade te bate à porta, é a providência com que a liqüidas.

Se mágoas te aniquilam as horas, é o dissolvente que as destrói.

Se calúnias te apedrejam, é o lugar em que as desmentes.

Se a perseguição te fustiga, é a posição em que a justiça te assegura defesa.

Se a tentação te assedia, é o método de frustrá-la.

Se caíste em erro, é o apoio em que te reergues.

Se alguém te humilha, é a força que te levanta.

Se sofreste prejuízos, é o campo em que te refazes.

Se a solidão te ensombra os dias, é o clima que te enriquecerá de afeições.

Trabalha sempre, notadamente construindo a felicidade alheia e estarás edificando a própria felicidade.

O amor é Deus na criatura, gerando bênçãos.

O trabalho é a criatura em Deus, realizando prodígios.

Emmanuel

Do Livro: Nascer e Renascer

Psicografia: Francisco Cândido Xavier

Editora: GEEM

Exposição:

<_Elena_de_Fatima_> _A questão 786… a tônica dela mostra que os povos, na verdade, não há uma destruição.

Há, apenas, uma transformação de forma a fazer com que as almas sediadas em determinadas regiões, atingindo um auge de desregramentos possam se reavaliarem proporcionando um abalo nos seus conceitos e preconceitos.

De que forma?

Misturando as raças os costumes e as crenças, fazendo com que surjam, na essência do povo, verdadeiro sentido da reencarnação daquelas almas.

Enquanto há essa mudança, ela é efetuada com sofrimentos e mudanças, mesmo, nos seus cotidianos.

Mesmo que esses espíritos tenham que ser transferidos de região, ou regiões, exemplo: os antigos egípcios evoluíram, na sua totalidade, de tal forma… que hoje não se verifica mais a cultura egípcia dos Ramsés.

O egípcio de hoje é o homem que pensa com a tecnologia dos países ocidentais, mostrando para a humanidade a mistura de cultura e o desaparecimento de uma raça tão marcante que foi para a humanidade.

Outro exemplo: Os franceses.

Os franceses, que trouxeram para todos nós a Doutrina dos espíritos.

Não encontramos vestígios da Doutrina na França, no entanto, a idéia não morreu junto com os homens daquela época.

O que aconteceu?

Eles vieram trazendo para o Brasil, (podemos afirmar isso, através de diversas mensagens recebidas que nos afirmam essa idéia), por isso tantos centros e casas e sociedades e a própria literatura espírita que surgem em nosso país.

De uma forma tão esclarecedora e ajustando o ideal de Kardec, que foi uma doutrina não apenas científica, mas, acima de tudo, moral, que tivemos na figura de Dr Bezerra de Menezes, no final do Sec XIX

o estudo sistemático do Evangelho.

Voltamos às raças…

Na questão 787, vem nos mostrar que não há uma raça criada para a rebeldia.

O que há é o aniquilamento dos corpos e conseqüentemente um progresso da própria alma.

Aí nos vemos claramente que um selvagem de hoje com certeza chegará a um homem de bem.

Por que isso, muitas das vezes, pode nos parecer difícil aceitar os crimes hediondos nos seio de uma sociedade civilizada.

É um processo para a evolução de uma alma ainda muito atrasada, mas que atendendo à recomendação de Jesus, que ele disse: “Quando deres um banquete, não convideis os amigos e os parentes, e sim os estropiados e os fracos.”

Nos incitando a receber no seio de nosso lar, e conseqüentemente da nossa sociedade, um espírito que necessita conviver com os costumes mais civilizados.

Assim é o que acontece com cidades inteiras.

Onde o aniquilamento dos povos é apenas dos corpos, e não da alma, pois a alma irá conviver em outras localidades, de acordo com as necessidades.

Outro exemplo: A Época Renascentista, onde ressurgiu, na Europa principalmente Itália e França, os antigos gregos e romanos, com as suas pinturas, com suas arquiteturas…

A questão 788, vem trazendo uma reflexão sobre os vestígios de uma coletividade que quando voltam, após a transmigração de regiões, as suas idéias evoluem, aperfeiçoam, evangelizam-se e retornam trazendo benefícios para toda a humanidade.

Os Celtas, do Sul da França, eram povos rebeldes, mas que tinham os seus sacerdotes druidas que acreditavam na imortalidade, faziam culto à natureza, culto a um Deus único, eram reencarnacionistas ao ponto de que se alguém que tivesse uma dívida, que não pudesse ser paga em uma existência, eles combinavam entre si para o pagamento dessa mesma dívida na próxima existência.

Foram dizimados e massacrados pelos romanos, pois eram considerados bárbaros, mas houve necessidade para que eles viessem absorver progressos materiais e tecnológicos dos romanos.

Mas as idéias em sí, os romanos não conseguiram exterminar, do Celtas.

Mais tarde, surge Kardec, que foi um sacerdote Druida, trazendo para a humanidade as mesmas idéias de um povo dizimado.

E temos, também, Léon Denis, que também teve uma existência no meio Céltico, ajudando Kardec na divulgação da Doutrina do Espíritos.

A questão 789 vem mostrando para gente que não haverá uma raça única.

Isso seria impossível, até por causa da diversidade dos climas que originam costumes e necessidades diferentes.

Porém, os humanidade terrena vai aprender que sem a troca de idéias, conceitos e tecnologias, não haverá felicidade, e que o sentimento de casta tem trazido para o ser humano, muitas misérias e sofrimentos.

Com isso, o sofrimento chegando ao extremo, que é o nós temos visto hoje entre os povos onde um vem querendo monopolizar direitos exclusivos sobre bens de consumo e até mesmo de idéias.

Basta ver o aumento da violência, onde os árabes detonam as Torres, em um alerta de não aceitar o desrespeito aos seus costumes e monopólio de suas riquezas naturais.

Em contra partida, o ocidente em vez de refletir sobre suas posturas massacradoras, continuam querendo ganhar pela força.

Um jovem, quando massacra colegas de escola, podemos considerar isso, como diz Emmanuel, o mal chagando ao seu máximo, para que a partir daí, a sociedade comece a se mobilizar para o retorno da alma à sua origem espiritual quando não adianta uns ganharem muito enquanto outro nada tem, porque senão aquele que nada tem, encurrala o que muito tem, ficando impossibilitado de se movimentar e de utilizar os seus bens de consumo, que na verdade se torna tão pobre quanto o que nada tem.

É preciso a troca e intercâmbio entre os povos respeitando, assim, as suas individualidades, culminando na família universal. (t)

Perguntas/Respostas:

01<_Safiri_> 05Safiri_> Elena, gostaria, se possível, que você nos falasse um pouco sobre quem foi o povo Druida. Uma vez que temos na biografia de que Kardec , usa esse nome por na verdade ter sido o nome usado de quando era Druida.

<_Elena_de_Fatima_> Os Celtas eram os primeiros habitantes da França, considerados um povo bárbaro, em comparação aos romanos.

Eles tinham uma cultura espiritualista, onde os Druidas eram os sacerdotes célticos.

Eles acreditavam no Deus Único, ao contrário dos romanos. Ele eram reencarnacionistas, solidários, eles amavam a natureza, como obra do Criador e eles já acreditavam em outros mundos habitados.

No livro O Gênio Céltico, de Léon Denis, encontra-se mais detalhes sobre esse povo, os Celtas.

São exemplos de um povo que foi dizimado e que mais tarde surge, com as idéias e o progresso mais aprimorado.

02 <_Franz_> Por favor, seria possível falar um pouco mais da evolução dos egípcios? Você quis dizer quanto à evolução espiritual? E para onde eles teriam ido na evolução?

<_Elena_de_Fatima_> Os egípcios, diz Emmanuel, em A Caminho da Luz, que seriam um daqueles Capelinos que vieram para o nosso planeta em uma época onde a população terrena era muito atrasada e eles vieram trazer uma tecnologia toda revolucionária e adiantadíssima.

Existe um livro, não espírita, chamado A Rainha Nefertiti, e Ramsés IV, onde mostra bem a evolução do casal.

Esse povo cumpriu o seu papel e parte da população egípcia, que era degredada, voltou para o Sistema de Capela. (Informação do Livro Os Exilados de Capela, de Edgard Armond)

Agora, nem todos daqueles espíritos, conseguiram se regenerar.

Alguns ficaram aqui pelo próprio planeta.

Porém, mudaram de países para que houvesse um intercâmbio cultural.

Tanto é que o Egito de hoje não é mais, em relação ao progresso que existia no passado, uma potência.

Conservou-se parte da cultura, mas não houve segmento das idéias originais.

03 <_MArcio_Alves___> Poderíamos considerar algumas nações do Oriente Médio como “raças rebeldes”? Qual a explicação que podemos encontrar na Doutrina Espírita para esta situação que parece que nunca terá um fim?

<_Elena_de_Fatima_> Essa pergunta foi feita a Chico Xavier, em uma das entrevistas, onde ele diz que esses povos estão em luta há mais de cinco mil anos.

Quanto a parecer não ter fim, não é possível, senão não haveria misericórdia de Deus para com seus filhos.

Nós sabemos que o nosso planeta está passando por uma fase de transição e de transformação. (Informação de Humberto de Campos, no livro Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho)

E também em A Caminho a Luz, de Emmanuel, onde eles dizem que os povos rebeldes, pelo ao menos na área moral, estão tendo as suas últimas chances de se harmonizarem com o planeta.

Porque senão serão, a exemplo dos Capelinos, exilados para outro planeta inferior ao Planeta Terra, onde a situação moral esteja de acordo com a rebeldia de cada criatura.

Não querendo isto dizer, para tal ou qual país. É a criatura em si, rebelde. (t)

Oração Final:

<_Franz_> Com muito respeito vamos fazer nossa prece, desligando por alguns minutos todos os pensamentos que povoam nossa mente…

Senhor

Agradeço por mais essa oportunidade de estar presente aqui nesse estudo espírita.

Pela elevação de nossos espíritos,

que possamos lembrar do que foi dito aqui.

Que possamos também levar às nossas relações, amigos, a família,

Mesmo nos momentos de dor e ódio, que consigamos lembrar do amor de Jesus aos seus algozes e desejar paz àqueles que nos querem mal.

Senhor. Peço-vos que nos ajude a ser um povo ordeiro e generoso para que possamos ter um governo da mesma forma, representando o caráter do conjunto dos cidadãos brasileiros.

Que aspiremos à paz sob todos os valores terrenos, pois a paz é o bem mais preciso que um povo pode ter.

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior