bíblia

Tamanho
do Texto

Abuso das Interpretações Variadas da Bíblia

São normais as interpretações literais e figuradas da Bíblia. Mas, infelizmente, sempre houve e há abusos dos intérpretes, na tentativa de as adaptarem às suas doutrinas, geralmente oriundas dos dogmas criados ao longo dos séculos. 

   O assunto já é bastante conhecido dos leitores dessa coluna em O TEMPO, durante os dezenove anos de sua existência e, principalmente, das mais recentes. Trata-se do significado da palavra grega palingenesia, com a mesma forma e som em português, e cujo significado é reencarnação, a qual pertenceu ao cristianismo até o Concílio Ecumênico de Constantinopla de 553 (Para saber mais: “A Reencarnação na Bíblia e na Ciência”, capítulo 8, pág. 208, de autoria deste colunista, lançado também em Inglês nos Estados Unidos: “The Reincarnation in the Bíble and Science”). Depois desse concílio, os teólogos cristãos  passaram a traduzir palingenesia para outras línguas como sendo regeneração, quando o seu significado verdadeiro, como dissemos, é reencarnação, renascimento ou retorno à vida terrena. Por isso, recomendamos novamente aos que conhecem grego que vejam isso na Bíblia em grego, e a todos que confiram nos dicionários de português o significado de palingenesia, nas passagens de Mateus 19: 28; e Tito 3: 5. A regeneração do espírito ocorre no período das suas reencarnações (palingenesias), que não são a própria regeneração! E ela é feita pelo próprio espírito santo ou a alma de cada um (1 Coríntios 6: 19), com a vivência verdadeira do Evangelho do excelso Mestre.

  Nos comentários de nossa coluna, com o título de “Exemplo de ressurreição como reencarnação”, de 27-7-2019, no Portal de O TEMPO, um dos comentaristas disse que a palavra palingenesia na Bíblia é figurada. No meu estudo de Bíblia, por mais de meio século, jamais vi outro exemplo tão abusivo de interpretação de passagens da Bíblia. Para ele, com todo o respeito, dizemos que não se pode falsificar o significado de uma palavra bíblica, com o pretexto de que ela é figurada, quando a sua significação, pela razão, a lógica e o bom senso, não permite sua interpretação figurada.

 O texto da citada coluna, como outros bíblicos, nos demonstra que, na Bíblia, às vezes, a palavra ressurreição é, para o povo judeu, sinônima de reencarnação ou palingenesia. Eis um exemplo: Herodes (Tetrarca) pensava que Jesus fosse  ressurreição (reencarnação) de João Batista, pois seria a ressurreição do espírito de João em outro corpo. (Mateus 14; 1 e 2). Embora Herodes estivesse errado, ele demonstrou a verdade de que a ressurreição para ele e, pois, para o povo judeu, era também reencarnação, ou seja, o espírito de um morto ressuscitando (renascendo) em outro corpo, que não era, pois, o mesmo  da vida anterior! 

 PS: Recomendamos “Amorosidade – a cura da ferida do abandono” – e “Vibrações de Paz em Família”, ambos pelo espírito Ermance Dufaux, psicografia de Wanderley Oliveira, Dufaux Editora, BH, 2019.

Autor: Jose Reis Chaves

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior