Tamanho
do Texto

Em 2020: Bonzinho ou Bondoso?

Conversava com meu filho, jovem de caráter crítico no sentido nobre da palavra, quando ele
comentou sobre um professor que alguns colegas não gostavam, pois falava a verdade mesmo que não
agradasse. Meu filho, ao contrário, o apreciava exatamente por ensiná-lo a pensar fora da caixa.

Dizia Thiago, a respeito do professor de mesmo nome, que havia uma diferença entre ser
bonzinho e bondoso. Hum, pensei eu, isso será interessante! A diferença era que o bonzinho age de maneira
confortável para agradar os outros, independentemente de suas ações e seus posicionamentos serem bons.
O bondoso, em contrapartida, faz o que deve ser feito porque é correto e justo, não sendo motivado pelo
reconhecimento e pela gratidão de ninguém.

O bonzinho, no conceito do professor, é um indivíduo que mima os outros para não gerar
inimizade, oposição, não ter estresse, não magoar e não ser julgado de forma negativa. Contudo, isso acaba
por reverter contra ele, pois mesmo havendo quem o aprecie, cria para si uma posição de fragilidade que
termina em desrespeito, pois quer tanto agradar que não agrada a si mesmo e, assim, não recebe o devido
valor.

Por outro lado, a pessoa bondosa o é, de fato, em suas ações, nas palavras que diz, no que a
motiva. Não se importa em ser desconfortável se necessário, pois o certo nem sempre traz alívio ou
alacridade, pode inclusive incomodar já que mudar causa transtorno até que o progresso seja atingido. Tal
pessoa é respeitosa, empática, proativa, prestativa, sem se deixar abusar.

Apropriada a época para refletir sobre isso! O mundo está mudando rapidamente, valores,
instituições, sentimentos, comportamentos estão sendo questionados. E nesse meio existem os bonzinhos e
os bondosos; os que não desejam estresse, por isso calam ou se omitem, concordando com seus
interlocutores, e os que desejam deixar um mundo melhor após sua passagem, trabalhando por alcançar
resultados positivos mesmo que nunca sejam reconhecidos como tal.

Temos muitos exemplos de pessoas bondosas, citamos a maior: Jesus. E recordamos que a
vida recomeça simbolicamente a cada ano, sendo este o tempo de decidir se queremos ser bonzinhos ou
bondosos, se ansiamos a posição confortável ou seremos firmes no amor que trabalha para melhorar o
mundo.

Bonzinhos ou bondosos?
Como vocês serão em 2020?

Autrora: Vania Mugnato

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior