Tamanho
do Texto

Como Usar o Microfone

Como Usar o Microfone

Seria difícil imaginar os dias de hoje sem a presença do microfone. Sua
utilidade é incontestável. Ele permite que a comunicação do orador seja mais
natural e espontânea, possibilitando falar a grandes platéias da mesma forma
como se conversa com uma ou duas pessoas. Mesmo possuindo todas essas
qualidades, o microfone, muitas vezes, é visto como um terrível inimigo,
chegando a provocar pânico em determinados oradores, principalmente naqueles
menos habituados com a tribuna. Isso ocorre por não se observar certos
procedimentos elementares, mas de capital importância a uma boa apresentação.
Vejamos, de forma resumida, o que deve ser feito para o bom uso do microfone:

Microfone de lapela

Este tipo de microfone praticamente não apresenta grandes problemas quanto à
sua utilização; ele é preso na roupa por uma presilha tipo “jacaré”, de fácil
manuseio. É muito útil quando se pretende liberdade de movimentos na tribuna.
Para usá-lo bem, basta atentar aos itens que passaremos a comentar.

  1. Ao colocá-lo na lapela, na gravata ou na blusa, procure deixá-lo na altura
    da parte superior do peito, pois ele possui boa sensibilidade e a essa
    distância poderá captar a voz com perfeição.
  2. Enquanto estiver falando, não mexa no fio. É comum observar oradores
    segurando, enrolando, ou torcendo o fio do microfone. Já presenciamos casos
    que se mostraram cômicos; em um deles, sem perceber, o orador começou a
    enrolar o fio do microfone e, quando chegou ao final da apresentação,
    assustou-se ao verificar que esta com mais de dois metros de fio nas mãos.
  3. Outra precaução importante a ser tomada ao usar o microfone de lapela é a
    de não bater as mãos ou tocar no peito com força, próximo ao microfone,
    enquanto estiver falando, porque esses ruídos também são ampliados,
    prejudicando a concentração e o entendimento dos ouvintes.
  4. É perigoso fazer comentários alheios ao assunto tratado de qualquer
    microfone, porque sempre poderão ser ouvidos. No caso do microfone de lapela o
    problema passa a ser muito mais grave por causa da sua alta sensibilidade. Ele
    permite captar ruídos a uma considerável distância. Isto sem conta que, preso
    na roupa, sempre o acompanhará.
  5. Talvez não seja necessário fazer este tipo de comentário, mas como já
    presenciamos inúmeros ocorridos desagradáveis, vale a pena alertar o orador
    para que não se esqueça de retirar o microfone quando terminar de falar e for
    sair da tribuna.

Microfone de pedestal

Este tipo de microfone exige maiores cuidados para sua melhor utilização. É
um microfone mais comum e encontrável na maioria dos auditórios. Veja agora o
que deverá fazer para evitar problemas e melhorar as condições de sua
apresentação.

  1. Inicialmente verifique como funciona o mecanismo da haste onde o microfone
    se sustenta e se existe regulagem na parte superior onde ele é fixado. Treine
    esses movimentos, abaixando e levantando várias vezes a haste, observando
    atentamente todas as suas peculiaridades. Evidentemente essa tarefa deverá ser
    realizada bem antes do momento de se apresentar, de preferência sem a presença
    de nenhum ouvinte. Se isto não for possível, verifique a atuação dos outros
    oradores mais habituados com o local e como se comportam com o microfone que
    irá usar.
  2. Já familiarizado com o mecanismo de regulagem da altura, teste a
    sensibilidade do microfone para saber a que distância deverá falar.
    Normalmente a distância indicada é de dez a quinze centímetros, mas cada
    microfone possui características distintas e é prudente conhecê-las
    antecipadamente. Se durante o teste estiver acompanhado de um amigo ou
    conhecido, peça que ele fique no fundo da sala e diga qual a melhor distância
    e qual a altura ideal da sua voz.
  3. Ao acertar a altura do microfone, procure não deixar na frente do rosto,
    permitindo que o auditório veja o seu semblante. Deixe-o a um ou dois
    centímetros abaixo do queixo.
  4. Ao falar, não segure na haste e fale sempre olhando sobre o microfone;
    dessa forma o jato da voz será sempre captado: assim, quando falar com as
    pessoas localizadas nas extremidades da sala, ou sentadas à mesa que dirige a
    reunião, normalmente posicionada no sentido lateral, gire o corpo de tal
    maneira que possa sempre continuar falando com os olhos sobre o microfone.
  5. Fale, não grite, isso mesmo, aja como se estivesse conversando com um
    pequeno grupo de amigos. Isso não quer dizer que deverá falar baixinho, sem
    energia; ao contrário, transmita sua mensagem animadamente, com vibração, mas
    sem gritar.
  6. Se for preciso segurar o microfone com a mão para se movimentar na
    tribuna, o cuidado com o jato de voz deverá ser o mesmo; nesse caso não
    movimente a mão que segura o microfone e deixe-o sempre à mesma distância.

Microfone de mesa

O microfone de mesa requer os mesmo cuidados já mencionados, com a diferença
de normalmente ser apoiado sobre uma haste flexível. Ao acertar a altura não
vacile, faça-o com firmeza e só comece a falar quando tiver posicionado da
maneira desejada.

Se lhe oferecerem um microfone no momento de falar, antes de aceitar ou
recusar, analise algumas condições do ambiente. Se os outros falaram sem
microfone e se a sala não for muito ampla e permitir que a voz chegue até os
últimos ouvinte, sem dificuldade, poderá recusá-lo. Se alguns oradores se
apresentaram valendo-se do microfone, ou se sentir que o tamanho da sala e a
acústica impedirão sua voz de chegar bem até os últimos elementos da platéia,
aceite-o.

Se o microfone apresentar problemas e você perceber que eles persistirão,
desligue-o e fale sem microfone. Não peça opinião a ninguém sobre essa atitude.
A apresentação é sua e você é o responsável pelo seu bom desempenho. O microfone
deve ajudar a exposição. Se, ao contrário, atrapalhar, é preferível ficar sem
ele.

Volta para o índice

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior