Tamanho
do Texto

Considerações Sobre a Divulgação Espírita

Considerações Sobre a Divulgação Espírita

Quando encontrei a Doutrina Espírita fiquei entusiasmado com as revelações
que ela fazia pouco a pouco, a cada obra que lia, a cada princípio que
descobria… Cintilações de pensamento iluminado me percorria a mente inspirando
renovações em diversos campos da minha existência.

Tão logo se sedimentou a fé espírita em minha alma viril, apressei-me em
difundi-la a todos quantos, de boa vontade, quisessem conhecê-la. E aí, as
primeiras barreiras… parentes e amigos me taxaram de louco, fanático e mesmo
imbecil, por acreditar no que consideravam ser acertadamente apenas fábula e
“conto de carochinha”, ou ainda “coisa de feiticeiro”.

Travei ferrenhas lutas, sobretudo dentro de mim mesmo pela angustia de não
aceitarem o que de melhor tinha a oferecer. E não estava acostumado a me dobrar
às circunstâncias…

Passei então a colecionar, o quanto pude, tudo que se referisse ao
Espiritismo, no contatos que ia fazendo com esse ou aquele irmão de ideal,
textos diversos, recortes de jornal, notícias sobre fenômenos inexplicados,
fascinando-me pelo campo da mediunidade.

Foi assim que, após fatigantes estudos montei um grupo mediúnico familiar,
com o objetivo de entrar em contato com os Espíritos, com a intenção séria de
pesquisa e aprofundamento do que tinha aprendido do ponto de vista teórico.

Seguindo esse curso tornei-me doutrinador, pois, logo de pronto entrei em
confronto com situações de perseguição espiritual ou obsessão ligadas à minha
própria família. Conversei assim com diversos tipos de entidades. Enriquecendo a
minha bagagem de experiências nessa área da prática espírita, fato que logo me
acendeu a idéia de relatar os fenômenos incontestáveis que estavam ocorrendo em
favor da melhoria e do restabelecimento de inúmeras criaturas.

Não podendo conter a empolgação ante uma série de provas que tornava cada vez
mais inabalável minha fé, passei a publicá-las, resguardando naturalmente os
nomes dos seus protagonistas, mas intentando com isso divulgar a verdadeira
noção do que era o Espiritismo: consolação, ciência e filosofia profunda.

Escrevi com paixão e, sentia mesmo estar sendo orientado pelos Espíritos na
escolha deste ou daquele caso.

A repercussão logo se fez sentir, tive que ampliar nossas atividades,
construindo um salão para os trabalhos da mediunidade, uma vez que diversas
pessoas, esclarecidas a partir dos artigos, passaram a nos procurar em busca do
amparo e do socorro às suas aflições espirituais.

Muito me alegro em relembrar estes acontecimentos, tendo em vista que foi a
partir dessas iniciativas que encontrei aqui, no mundo dos Espíritos, o amparo
necessário.

Hoje, renovo meus ideais mais do que nunca, pela convicção eloqüente e firme
da imortalidade em mim mesmo.

O trabalho espírita desinteressado é porta de acesso à paz interior. E exulto
em ver que o labor prossegue, mesmo estando eu “deste lado”.

Algo apenas me incomoda: é a flagrante omissão de muitos espíritas na
divulgação da Doutrina Consoladora.

Onde estão os espíritas que, mesmo sem muita capacidade para escrever enchiam
os jornais de artigos para defender os ideais espiritistas ?

Onde uma “A Grande Esperança”, para desafiar a incredulidade dos que desejam
rebaixar o Espiritismo a mera quiromancia ?

Não contendo o meu espírito de luta constante é que venho acordar meus irmãos
para esse mister sagrado de colocar bem alta a bandeira do Espiritismo, a luz
sobre o candelabro, para que a Doutrina que o inolvidável Mestre Allan Kardec
nos legou, cumpra definitivamente o seu papel: iluminar consciências.

Portanto, aqui vai, meus irmãos espíritas, o meu protesto como quem anuncia o
momento da batalha: divulguem o Espiritismo de todas as formas, por todos os
meios, sempre! Aliás esta atitude deve ser o nosso preito de gratidão por tudo
que ele nos tem oferecido ao nos tirar de nossa cegueira espiritual.

(Página psicografada pelo médium Nilton Sousa, em 02 de janeiro de 2000)

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior