Tamanho
do Texto

O Fermento e Nós

O Fermento e Nós

Há passagens Evangélicas que nos levam à profunda reflexões. As vezes, para
melhor entendê-las precisamos compará-las com coisas simples da vida. Por
exemplo: o fermento.

Quando se coloca o fermento na massa e a deixamos repousar, aquele se mistura
molécula a molécula na farinha, provocando o seu crescimento, a sua expansão.

Num dado momento Jesus disse: “Eu sou o pão que desceu do céu, aquele que não
comer de mim, não poderá ter parte comigo”. As palavras espantaram muitos de
seus seguidores, e cerca de 500 homens o abandonaram, julgando que o Mestre
queria transformá-los em antropófagos. Não entenderam o transcendental das
palavras do Rabi Nazareno. Certamente não tinham ouvidos de ouvir.

Mas, o que acontece com o pão que mastigamos e deglutimos? Ele é digerido, e
os seus nutrientes se incorporarão ao nosso sangue, que nutrirá as células, e a
massa não aproveitada, é expelida por vias naturais.

Não seremos evangelizados enquanto não vivenciarmos este processo. Temos que
interiorizar o Evangelho, digeri-lo com a mente, com o entendimento, e ele
passará a circular em nossas emoções. Ele vai fortalecer a nossa vontade e
manifestar-se de dentro para fora.

Da mesma forma, existe uma parte dos textos evangélicos que não podemos
aceitar, porque foram adulterados, interpolados ou são apenas figurativos. Um
mecanismo natural da nossa inteligência o rejeitará.

Passemos este raciocínio para o Espiritismo. O conhecimento espírita tem que
ser interiorizado, para ser vivenciado. Quando sabemos o que ele é, para que
serve, e o conhecemos profundamente, ele se expande de dentro para fora, e o
testemunhamos no dia-a-dia.

Não se trata de um encantamento exterior, como algo belo que nos chama a
atenção, mas de alguma coisa que muda o nosso interior. É como uma potência que
se atualiza, é a descoberta do Reino de Deus dentro de nós. Quando acontece este
“insight” , podemos parafrasear Paulo de Tarso: “Já não sou eu que vivo, mas a
Doutrina Espírita que vive em mim”. Assim como Paulo se referiu à Cartas vivas
do Evangelho, passamos a ser um “livro Vivo”, porque além de conhecer, sentimos
e praticamos.

No Espiritismo não existem iniciações ou graus, contudo, existem intensidades
diferentes, ou tensões mais altas ou mais baixas de ligação com a Doutrina. O
esfriamento, a rotina entediante aparece quando nossa participação doutrinária é
amorfa, ou centramos nossos interesses nas possíveis vantagens que possam ser
auferidas.

Não corra esse risco. Tenha uma participação dinâmica, entusiasmada, para que
a Doutrina Espírita o impregne até a medula dos ossos.

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior