Tamanho
do Texto

O Mundo Precisa de Amor, O Mundo Precisa de Esperanto

O Mundo Precisa de Amor, O Mundo Precisa de Esperanto

Nos dias 12, 13 e 14 de junho de 2000, por sugestão daqueles que coordenam o
meu trabalho profissional, eis que tivemos o privilégio de participar do II
CONGRESSO INTERNACIONAL DE POLÍCIA COMUNITÁRIA E DIREITOS HUMANOS, em Ribeirão
Preto, no teatro Pedro II.

Então tivemos a oportunidade de presenciar a explanação de profissionais
ligados à Polícia do Brasil e de diversas outras partes do mundo, propondo,
discutindo, descrevendo e analisando resultados ligados a uma nova maneira de
organizar o trabalho da polícia. As novas propostas tendem a levar a polícia a
uma ação participativa, integrada e integradora junto às comunidades, como
elemento presente, educativo, estimulador, facilitador e sinalizador de ações
auto-reguladoras de seus diversos segmentos, desfocando a sua ação do modelo
meramente repressivo. Percebemos a tendência do trabalho policial de crescer no
sentido da compreensão dos caminhos que levam a uma reorganização social, que
privilegie as ações preventivas em detrimento das punitivas. Tal nova maneira de
ver ganha mais e mais adeptos a cada dia, que observam a falência dos sistemas
altamente desenvolvidos na direção da intolerância, do controle das ações
delinqüentes e da simples punição dos culpados, hipertrofiando uma rede
prisional superabarrotada, ingerenciável e geradora de agravamento no
comportamento delinqüente dos indivíduos, o que cria o paradoxo de fazer com que
o sistema traia a sua própria função, fomentando a gênese das mesmas ações a que
se propõe a julgar e reprimir… Arrancou aplausos calorosos de um público que
para tal se pôs de pé, o discurso iluminado e clareador de um dos representantes
brasileiros, que chamou a atenção para o grave momento que vive o Brasil no que
diz respeito a esta questão: ou revemos os nossos rumos, transformando ações
meramente repressivas e punitivas que não tem efeito transformador sobre a
criatura humana, que ao contrário cada vez mais estimula seus instintos ferozes,
em ações preventivas e educativas ressocializadoras, ou não teremos condições de
conviver com a agressividade destas criaturas, que nós próprios, como sociedade,
agravamos e alimentamos…

Eis a vida convidando os homens, indiretamente, à prática do Evangelho, à
aplicação da lei de amor e caridade, ao perdão… Ao enquadramento dos que
delinqüem como doentes, necessitados de orientação e reajuste… “Eu vim para os
doentes e não para os sãos, pois estes não necessitam de médico”, nos diz Jesus…
Eis que a vida evolui, e convida as Instituições que cuidam da Sociedade a
revisarem a si próprias, a transitar a Lei de Talião, do olho por olho e dente
por dente, para a lei do amor, que cobre a multidão de pecados! Convidando o
homem a dar a mão ao seu irmão, o próprio homem, e não a empurrá-lo para o
abismo, sob risco de ser também tragado pelo mesmo abismo! É a lei de evolução
que determina a influência do “ame a seu próximo como a si mesmo” na
transformação das sociedades humanas, nos seus mais diversos segmentos…

No mesmo sentido aconteceram os discursos de profissionais da polícia do
Canadá, França, Itália e Argentina, dentro da mesma linha de argumentação…
porém, em que língua? No idioma que atualmente “está” mais internacional, ou
seja, o Inglês? Não! Ocorreram na língua nacional de cada palestrante, e, com
exceção do Português e do “Portunhol” da palestrante argentina, todos
necessitaram de tradução simultânea: do Italiano (Itália), do Inglês e do
Francês (Canadá) e novamente do Francês (França). Observando o público atento no
momento das palestras, não vimos diferença no caso de cada uma das três línguas:
todos munidos de seus fones de ouvido, captando a tradução simultânea do Inglês,
Francês ou Italiano… Até nem parecia que uma dessas línguas, o Inglês, muitos
consideram como a Língua Internacional definitiva… Eu com algumas colegas
comentávamos como seria bom depois ter os textos traduzidos para rever
argumentos de compreensão obscura, naturalmente comprometidos pelo desgaste,
desconforto e discutível eficiência das traduções simultâneas (não estamos
questionando a alta competência dos profissionais responsáveis pelas mesmas, as
dificuldades são inerentes a tais condições).

Oh! Que saudade de um Congresso Internacional de que participamos em 1988 em
Campos do Jordão! O salão pleno, uma platéia atenta ouvia então diretamente, sem
fones de ouvido, sem tradutores, sem qualquer intermediação, discursos de
brasileiros, alemães, franceses, ingleses, estadunidenses… Em uma língua que,
não sendo de ninguém, era IGUALMENTE de todos! Utilizada, além dos discursos,
nas excursões, na mesa do café e do almoço, nos quartos do hotel, nos banheiros,
nos corredores… Que diferença! Quanta economia de dinheiro e outros recursos,
quanta fluência na comunicação, que clareza na compreensão! Que língua?
Esperanto! Nascida num impulso de fraternidade Universal, para que estrangeiros
entre si se comuniquem fluentemente, olhando-se nos olhos, sem constrangimentos…
Sem necessitar da intermediação de tradutores…

O mundo precisa de AMOR, e a sociedade humana vai despertando
progressivamente para isso, as instituições propondo e efetuando revisão em sua
maneira de interpretar fatos e fenômenos, de agir!

O mundo precisa de ESPERANTO, Língua Universal que não se impõe, mas se
propõe, que não sendo de um interlocutor, não é também do outro, mas também não
é de um terceiro, onde os interlocutores respeitam um ao outro num gesto de
plena confiança, sem qualquer constrangimento… Para cada povo, a sua língua,
para todos os povos, o ESPERANTO, para que o AMOR seja a base de todas as
relações e o Reino de Deus se instale sobre a Terra!

(Jornal Verdade e Luz Nº 174 de Julho de 2000)

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3
logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior