Tamanho
do Texto

Precisa-se de verdadeiros profetas

Eis o anúncio que eu li: Precisa-se de verdadeiros profetas!

Jesus Cristo, através do Evangelho segundo Mateus, capítulo 7, versículos de 15 a 20, adverte-nos quanto à necessidade de nos guardarmos dos falsos profetas, dizendo que eles vêm ter conosco cobertos de peles de ovelha, mas que por dentro são lobos ferozes.

E-ainda: recomenda-nos a conhecê-los pelos seus frutos e nos questiona se se podem colher uvas nos espinheiros ou figos nas sarças.

O mestre Jesus deixa bem claro que uma árvore boa não pode produzir frutos maus e uma árvore má não pode produzir frutos bons; que toda árvore má, ou seja, aquela que não produz frutos bons, será cortada e lançada ao fogo.

Em O Evangelho segundo o Espiritismo, no capítulo 21, item 4, a Espiritualidade da Verdade nos esclarece, através da codificação de Allan Kardec:

Que se atribui comumente aos profetas o dom de adivinhar o futuro, de sorte que as palavras profecia e predição se tornaram sinônimas. Mas que, no sentido evangélico, a palavra “profeta” ganha uma significação mais ampla, mais extensa, de forma que esse vocábulo passa a se referir a todo aquele enviado de Deus com a missão de instruir as pessoas e de lhes revelar as coisas ocultas e os mistérios da vida espiritual, podendo uma pessoa ser profeta sem fazer predições.

Então, amigo leitor, diante do exposto, podemos concluir que os profetas da atualidade (verdadeiros ou falsos) não estão apenas nas religiões, institucionalmente definidas; mas, em todos os segmentos sociais, tais como nas famílias, na política, na comunidade, nas atividades profissionais, nos campos comerciais e assim por diante…

Mas… como conhecê-los, se verdadeiros ou falsos???

Imaginemos um líder ou um dirigente de uma instituição religiosa que prega o bem; mas, na verdade, tem interesses pessoais e/ou econômicos na causa ou, até mesmo por vaidade, tira proveito daqueles que o seguem, está sendo falso profeta.

Os pais que dão maus exemplos aos filhos, tirando vantagem indevida no trato com as pessoas; no trânsito, avançando o sinal vermelho; dirigindo alcoolizado ou embriagado; na lida do dia a dia, soltando expressões obscenas: trata-se de falsos profetas.

O político que corrompe e/ou se deixa corromper, ou que não cumpre as promessas de campanha, também é um exemplo de falso profeta.

O líder comunitário que se dedica à comunidade para obter vantagens ilícitas, também é um exemplo de falso profeta.

O profissional e o comerciante que não cumprem corretamente as suas obrigações, enganando os clientes, ou o patrão, ou os colegas, ou os empregados, também é um caso de falsa profecia.

O escritor que tenta, com as suas obras exuberantes, incentivar pessoas à discórdia, à destruição da família, às práticas do sexo desregrado, ao crime, etc…, trata-se de falso profeta.

Logo, caro leitor, falso profeta é todo aquele que se esconde por trás de uma situação de benefício para a sociedade, mas que, na verdade, dá o “bote” na hora oportuna, enganando as pessoas que nele depositaram a confiança.

Então, precisa-se de verdadeiros profetas:

Que promovam o bem a todo instante, em todos os lugares, visando a cooperação sincera na construção de um mundo melhor e mais fraterno;

Que façam do amor a religião verdadeira;

Que se façam irmãos uns dos outros;

Que o Deus dessa religião seja reconhecido em cada irmão, a quem devemos servir.

Sigamos os bons exemplos dos bons líderes políticos, religiosos e comunitários, que se pautaram e pautam-se na força do bem.

Sigamos os exemplos dos pais dedicados à formação honesta dos filhos.

Sigamos os exemplos dos escritores pautados na ética e na moral elevada.

Sigamos os exemplos dos comerciantes e profissionais que se dedicam ao trabalho honesto e às ofertas sinceras.

Tenhamos em mente os exemplos do Mestre Jesus, que é o tipo mais perfeito que Deus ofereceu à humanidade para lhe servir de guia e modelo de perfeição moral e espiritual. (Vide questão 625 de O Livro dos Espíritos)

Enfim, façamos de cada um de nós um verdadeiro profeta, em todos os momentos e em todos os lugares onde estivermos, para o serviço do próximo e, também, em relação a nós mesmos, à nossa própria consciência, porque, a partir de cada um de nós, surgirá um mundo melhor e mais fraterno.

Hyero Gonçalves
hyero.cap@gmail.com

 

 

 

Comentários

logo_feal radio boa nova logo_mundo_maior_editora tv logo_mundo_maior_filmes logo_uniespirito logo_amigos logo mundo maior logo Mercalivros logo_maior